Resíduos sólidos: geração no ambiente doméstico

  • Lena Marques Fagundes
  • Eloir Missio
Rótulo Sustentabilidade, Preservação, ambiental, Descarte, resíduos, domésticos, Problemas, Ambientais

Resumo

A poluição ainda é um problema recorrente nas cidades da fronteira oeste do Rio Grande do Sul. Considerando-se este fato, é importante avaliar as ações do homem no processo de degradação do meio ambiente. Tendo em vista os problemas relacionados ao descarte de resíduos em ambientes urbanos, é possível observar que nos últimos anos esse assunto tem sido discutido com mais frequência pelas comunidades, porém, as ações ainda são insuficientes para a conscientização da população. É necessário que debates sobre o descarte de resíduos, a reciclagem e a diminuição da poluição urbana sejam mais frequentes, abrangentes e acompanhados por ações de poder público. A destinação final dos resíduos sólidos domésticos, industriais e hospitalares é comum a praticamente todos os municípios do Estado e vem se tornando um fator de crescente preocupação à medida que se acentua o processo de urbanização. Objetivou-se caracterizar a composição e quantificar os resíduos domésticos produzidos no ambiente familiar de estudantes do primeiro e terceiro semestres dos cursos de Agronomia e do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia da Unipampa, Campus Itaqui. Os resíduos foram separados por tipo, sendo o resíduo orgânico pesado diariamente antes de descartar, enquanto os resíduos secos foram armazenados e pesados no final do período. O estudo foi realizado durante uma semana, compreendendo os sete dias da semana. Posteriormente foram elaborados os cálculos para determinar a quantidade total produzida diariamente, assim como, a produção per capita. Participaram da pesquisa 26 alunos (famílias) sendo 16 relativas aos alunos do curso de Agronomia e 10 referente aos alunos do Bacharelado Interdisciplinar em Ciência e Tecnologia. A proposta foi encaminhada aos alunos utilizando um formulário do google. A média diária per capita de lixo orgânico produzido nas famílias dos alunos foi de 0,434 Kg por dia, enquanto a média diária, per capita de lixo seco produzido foi de 0,278 Kg, gerando uma média total de 0,742 Kg de lixo produzidos por dia. Considerando a distribuição de frequência dos dados, observou-se que 63% dos pesquisados apresentaram uma produção de lixo orgânico entre 0,083 Kg/dia e 37% valores acima disso, até 1,598 Kg/dia per capita. Em relação ao lixo seco, 60% dos participantes desta pesquisa produziram entre 0,048 e 0,188 Kg/dia per capita, enquanto 40% dos pesquisados produziram valores diários acima disso, até 1,074 Kg/dia. No que se refere a produção per capita de lixo seco mais o lixo orgânico, 52% produziram entre 0,577 a 2,181 Kg/dia, 32% produziram entre 0,305 a 0,577 Kg/dia e16% entre 0,162 a 0,305 Kg/dia. Constatou-se que alguns dos participantes da pesquisa utilizam os resíduos orgânicos como adubo nas hortas e jardins. Outros, em função das condições de moradia, sugeriram que o resíduo orgânico fosse compostado após a coleta para uso nos espaços públicos como praças e arborização urbana. Em relação aos resíduos sólidos, os resultados encontrados indicam que foram produzidos em média 0,278 Kg de resíduos sólidos como papel, plástico, vidros, metais, papelão e borracha. Alguns estudantes indicaram que já encaminham alguns resíduos para reciclagem, outros mencionaram que estão dispostos a direcionar esse material para reciclagem, no intuito de diminuir a poluição e o desperdício de recursos naturais. Com base nesses relatos, ficou claro que existe o interesse e a vontade da população em participar ativamente de um processo de descarte que priorize a reciclagem dos resíduos produzidos no espaço urbano. Portanto, considerando a realidade da maioria dos municípios brasileiros, percebe-se a necessidade de criação de políticas públicas que promovam a educação ambiental nas escolas e na sociedade, associadas a implantação de um sistema de coleta e de reciclagem de resíduos sólidos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
MARQUES FAGUNDES, L.; MISSIO, E. Resíduos sólidos: geração no ambiente doméstico. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.