AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSAS COM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DE CIMENTO PORTLAND POR SCA EM PRISMAS DE TIJOLOS CERÂMICOS

  • Rubens Silveira Meichtry
  • Leonardo Cambraia Mendonça
  • Ian Baddo da Mota
  • Luan Rodrigues Garcia
  • Ederli Marangon
  • Marcelo de Jesus Dias de Oliveira
Rótulo Aderência, Interface, argamassa/tijolo, Sílica, casca, arroz, Junta, assentamento, Resistência, ao, cisalhamento, prismas

Resumo

A substituição parcial do cimento Portland pela sílica da casca de arroz (SCA) em argamassas, torna-se uma alternativa ecologicamente adequada para um subproduto da cadeia produtiva do arroz. No entanto, para proporcionar esta substituição e a aplicação no assentamento das alvenarias, ensaios de aderência entre as argamassas e os tijolos ou blocos cerâmicos ou de concreto devem ser executados. Diante disso, buscou-se avaliar a resistência de aderência mediante à ensaio de cisalhamento com pré-compressão em prismas de tijolos cerâmicos maciços produzidos com argamassas com e sem substituição parcial em massa do cimento Portland por SCA, sendo a argamassa aplicada em diferentes tempos de idade. Os materiais utilizados para elaboração das argamassas e produção dos prismas foram: areia fina calcária, areia média, areia grossa, fíller calcário (todas de origem mineralógica calcária), cal hidráulica, cimento Portland CP II-F-32, SCA, água e tijolo cerâmico maciço. A caracterização dos materiais foi realizada de acordo com as normas da ABNT. A partir de uma argamassa de referência com resistência à compressão de 8 MPa, realizou-se a substituição do cimento Portland pela SCA nos teores iguais a 5 e 30%, preservando-se a relação água/cimento em 0,71 para todas as misturas. Consecutivamente foram produzidos os prismas de tijolos cerâmicos maciços nos intervalos de tempo de aplicação da argamassa nas idades de 15, 60 e 180 minutos após o fim de mistura das argamassas. Inicialmente os tijolos cerâmicos maciços foram numerados em 1, 2 e 3, em uma superfície plana e indeformável foi colocado o primeiro tijolo e aplicado a primeira camada de argamassa (aproximadamente 300 cm³), após posicionou-se o segundo tijolo sobre a junta de assentamento e mediu-se o nível e o prumo. O mesmo procedimento foi realizado com o terceiro tijolo. Posteriormente o processo de assentamento dos tijolos, os prismas foram acondicionados em câmara úmida durante o tempo de cura (28 dias). O ensaio para a avaliação mecânica foi realizado de acordo com os procedimentos adotados pela norma BS EN 1052-3:2002 em trinta e seis prismas, sendo quatro prismas para cada tempo de moldagem das misturas. A velocidade de deslocamento do travessão da máquina de ensaios universais da marca EMIC® DL 20000 foi de 0,50 mm/min e o critério de interrupção foi quando o deslocamento do tijolo 2 (central) atingisse o deslocamento de 3,5 mm em relação aos tijolos 1 e 3 (laterais). Os resultados foram submetidos à análise de variância (ANOVA) e as diferenças entre as médias comparadas através do teste de Tukey, ao nível de 95% de significância. Os resultados obtidos evidenciaram que a argamassa com 30% de SCA apresentou resistências ao cisalhamento (26,81 e 28,42 kN) superiores as demais argamassas, quando aplicadas nos tempos de moldagem de 15 e 60 minutos, respectivamente, indicando uma maior aderência. Assim como, pôde-se verificar que ao tempo de 180 minutos as tensões máximas de cisalhamento diminuíram, demonstrando que a aplicação neste tempo há uma menor aderência das argamassas ao substrato. Com relação a argamassa de referência foi possível observar que até o tempo de 180 minutos tornou-se possível a aplicação ao substrato, apresentando uma resistência (23,67 kN), semelhante as alcançadas para os tempos de moldagem de 15 minutos (18,64 kN) e 60 minutos (21,45 kN). Quanto aos valores obtidos para a argamassa de 5%, apresentaram desempenho de 17,88% menores quando comparados aos apresentados pela argamassa de referência, embora estaticamente não estarem relacionados a substituição da SCA. Com respeito aos tempos de moldagem, ficou perceptível que as argamassas referência e com 5% de SCA não demonstraram valores discrepantes entre si, logo a substituição do cimento Portland pela SCA não influenciou na aderência da argamassa ao substrato, podendo haver a moldagem em quaisquer tempos. Portanto, conclui-se que a argamassa com 30% de SCA demonstrou uma maior resistência ao cisalhamento quanto as demais argamassas aos tempos de moldagem de até 60 minutos, propriedade está associada a maior capacidade de retenção de água e ao processo pozolânico desenvolvido pela alta quantidade ofertada de SCA na mistura de argamassa.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
SILVEIRA MEICHTRY, R.; CAMBRAIA MENDONÇA, L.; BADDO DA MOTA, I.; RODRIGUES GARCIA, L.; MARANGON, E.; DE JESUS DIAS DE OLIVEIRA, M. AVALIAÇÃO DA RESISTÊNCIA DE ADERÊNCIA DE ARGAMASSAS COM SUBSTITUIÇÃO PARCIAL DE CIMENTO PORTLAND POR SCA EM PRISMAS DE TIJOLOS CERÂMICOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.