PANDEMIA DE COVID-19 E DETERMINANTES DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE BOVINA

  • Camila dos Santos Pinto
  • Mygre Lopes Da Silva
Rótulo Exportações, brasileiras, Determinantes, das, Carne, Bovina, Pandemia, Método, VAR

Resumo

O Brasil exporta diversos produtos do agronegócio, tais como: soja, carne bovina, frango e suínos, café, suco de laranja, algodão. A carne bovina é a principal proteína animal exportada pelo país, possuindo a China como seu principal comprador. Esta pesquisa tem como objetivo geral analisar os impactos da pandemia de COVID-19 nas exportações brasileiras de carne bovina in natura. Especificamente, estima-se a função de oferta de exportação de carne bovina do Brasil, no período de 1999 a 2021, a partir de econometria de séries temporais. Várias pesquisas vêm empregando o modelo de Auto-regressão Vetorial (VAR, do inglês Vector Autoregressions) para estudo de séries temporais de produtos agrícolas, também empregado no presente estudo. Para isso, aplicou-se o método dos Mínimos Quadrados Ordinários (MQO) a cada equação separadamente, procedimento que tem apresentado bons resultados para previsões. Todavia, o modelo geral VAR é de difícil interpretação devido ao número de parâmetros e as interações entre as variáveis. Assim, as funções impulso-resposta e a decomposição da variância foram empregadas para realizar a análise. As variáveis analisadas correspondem às exportações brasileiras de carne bovina in natura (lexpc); preço externo da carne bovina, cotação internacional (lpext); preço interno da carne bovina, preços médios pago ao produtor, (lpint); proxy da renda externa (lrenda); Taxa de câmbio comercial efetiva real (ltxc) e; proxy da pandemia (pand). As séries analisadas compreendem o período de 1999 a 2021, com periodicidade trimestral. Os testes e o modelo econométrico foram estimados utilizando-se o software econométrico EViews 12. Todas as variáveis foram logaritmizadas. Os testes, ADF e KPSS, indicam que todas as séries em logaritmo são não estacionárias em nível, possuindo raiz unitária, considerando o nível de 5% de significância. Logo, faz-se necessário diferenciá-las e aplicar os testes novamente. Ao repetir os testes para as séries em primeira diferença, observa-se que todas são estacionárias. A próxima etapa consistiu na especificação de um VAR irrestrito inicial. A partir dele, utilizou-se o critério de informação de Schwarz (SC), o qual indicou duas defasagens. Desta forma, aplicou-se o teste de cointegração de Johansen (estatísticas Trace e Max-Eigen). Verifica-se que o teste de cointegração de Johansen indica no mínimo uma raiz de cointegração. Desta forma, pode-se considerar que há relação de longo prazo entre as variáveis aplicadas nesta investigação. As variáveis estimadas para as exportações brasileiras de carne bovina significativas ao nível de 5% foram lpint (preço interno da carne bovina ao produtor), ltxc (taxa de câmbio comercial efetiva real), pand (proxy da pandemia), e lrenda (proxy da renda externa). A variável lpext (preço externo da carne bovina) foi a única não significativa. Os resultados estimados pelo modelo VAR apontam para a variação direta entre as exportações brasileiras de carne bovina e as variáveis preço interno da carne bovina (lpint) e taxa de câmbio (ltxc). Ao contrário, a relação entre as variáveis proxy da renda externa (lrenda) e proxy da pandemia (pand). A principal variável a determinar as exportações brasileiras de carne bovina é, a partir do modelo estimado, as exportações passadas. Os coeficientes encontrados na estimação indicam que à variação de 1% a. t. no preço interno em taxa de retorno ou na taxa de câmbio correspondem respectivamente o aumento de 5,64% e 2,71% na taxa de retorno das exportações defasadas de carne bovina (lexpc) em um período. Inversamente, ao aumento de 1% a. t. em pand ou em lrenda estão associados, respectivamente, uma diminuição na taxa de retorno das exportações defasadas de carne bovina (lexpc) em um período de 1,35% a t. e 2,48% a. t.. A presente pesquisa aponta para a necessidade de uma melhor compreensão dos determinantes das exportações brasileiras de carne bovina in natura. A análise realizada apontou para quatro variáveis (lpint, ltxc, pand e lrenda) estatisticamente significativas para o modelo estimado, resultado que pode vir subsidiar a tomada de decisão dos agentes econômicos da cadeia produtiva de carne bovina in natura, com relação ao comportamento futuro das exportações e dos riscos a possíveis choques como o observado na pandemia de COVID-19.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
DOS SANTOS PINTO, C.; LOPES DA SILVA, M. PANDEMIA DE COVID-19 E DETERMINANTES DAS EXPORTAÇÕES BRASILEIRAS DE CARNE BOVINA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.