MAPEAMENTOS DE COBERTURA DAS MARISMAS NO MUNICÍPIO DE RIO GRANDE - RS.

  • Josué Lucas Costa Barcellos
  • Simone Emiko Sato
Rótulo Ecossistema, costeiro, Mangue, Paisagem, Geoecologia

Resumo

A Geografia Física geral, também conhecida como Geografia da Natureza, preocupa-se em investigar fenômenos naturais inter-relacionados, os ecossistemas. A regionalização do espaço em Unidades de Paisagem é uma prática conhecida na Geoecologia, e uma destas Unidades é referida à comunidade biótica. A comunidade vegetal permite a observação de diferentes fitofisionomias na paisagem. Os mapeamentos de uso e cobertura do espaço, através de imagens aéreas ou de satélite, nos permitem delimitar as áreas de uso antrópico, ou que sofreram processos de antropização, e também áreas de cobertura físico-natural no espaço geográfico. E nos permite realizar uma análise temporal, uma comparação entre usos e cobertura de uma mesma área em diferentes períodos. Desta forma, não apenas a antropização se beneficia desta técnica, através da aplicação em planejamentos e organização do espaço antrópico, como também os ambientes naturais são observados e assim podem ser devidamente aplicados planos de manejo, conservação e proteção dos sistemas naturais. Os ecossistemas de marismas possuem características aéreas observáveis que permitem a sua delimitação. Estes ecossistemas são similares aos mangues, mas apenas se desenvolvem em regiões subtropicais. Árvores características de mangues se desenvolvem em regiões tropicais, e não suportam baixas temperaturas, conforme o distanciamento dos trópicos, em direção aos pólos, estas árvores se desenvolvem de forma anômalas, onde as espécies não alcançam seus máximos de altura e desenvolvimento, ao passo que se identificam espécies anãs, até a não ocorrência de espécies arbóreas e predomínio completo de herbáceas aquáticas que suportam extremos salinos e temperaturas mais baixas. O Estado do Rio Grande do Sul se encontra em uma Zona Subtropical, e como tal, o município costeiro de Rio Grande. O município se localiza na desembocadura da Laguna dos Patos no Oceano Atlântico, onde se encontra um estuário de grande importância para espécies endêmicas e migratórias. Este conjunto de características, como a subtropicalidade e as águas salgadas do Oceano Atlântico, propiciam a ocorrência de marismas, valiosos ecossistemas que permitem a procriação e proteção de espécies importantes para o equilíbrio de diferentes ecossistemas naturais, e através da pesca, para o homem. O município de Rio Grande possui diferentes Unidades de Paisagem antrópicas e naturais, e como tais, Unidades delimitáveis através da técnica de mapeamento de Uso e Cobertura da terra. Marismas possuem fitofisionomias identificáveis em imagens aéreas e de satélite, e portanto são passíveis de classificação. A metodologia de pesquisa aplicada ao Planejamento Ambiental para a Geoecologia de Paisagens, subsidiou um mapeamento de uso e cobertura do município do Rio Grande, e a busca por bibliografias, publicadas em portais de periódicos e outras referências científicas, fomentaram um correto embasamento para esta pesquisa. As imagens de satélite Landsat foram adquiridas através do Earth Explorer, uma plataforma online do Serviço Geológico dos Estados Unidos. E utilizando imagens de 2010 e 2020, com o auxílio do Software Livre Qgis foi possível realizar camadas de cobertura para cada uma das classes, ou unidades de paisagem, observáveis no município de Rio Grande. Desta forma, um mapeamento de Uso e Cobertura do município de Rio Grande foi realizado, e através de análise temporal, entre os anos de 2010 e 2020, foi identificado um aumento de 7% das áreas cobertas pelas marismas, um pequeno aumento, mas significativo para ecossistemas tão importantes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
LUCAS COSTA BARCELLOS, J.; EMIKO SATO, S. MAPEAMENTOS DE COBERTURA DAS MARISMAS NO MUNICÍPIO DE RIO GRANDE - RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.