UM OLHAR DOS ESTUDANTES FINALISTAS E EGRESSOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA AO TEMA PALEONTOLOGIA

  • Bruno Peruzzi Peres
  • Karina dos Santos Ramos
  • Rochelle Stefanny Maurante Soares
  • Katye Yasmin de Souza de Oliveira
  • Edward Frederico Castro Pessano
  • Maurício Céndon do Nascimento Ávila
Rótulo Paleontologia, Ciências, Natureza, Egressos, Interdisciplinaridade, Fósseis

Resumo

A Paleontologia é a área do conhecimento que estuda a evolução da vida no planeta, bem como o seu desenvolvimento no decorrer do tempo geológico, tendo como base de informações os processos de integração dos materiais biológicos registrados nas rochas, ou seja, a fossilização. Além da própria evolução biológica e a geologia, o estudo dos fósseis contribui para a ampliação da contextualização a respeito de outras áreas como geografia, ecologia, química e até mesmo pedagogia, considerada como tema transversal nos processos de ensino e aprendizagem de ciências. O uso de temáticas interdisciplinares no ensino é indispensável para a compreensão do funcionamento e relação entre ramos e/ou sub-áreas da ciência, auxiliando na capacitação dos estudantes em aplicar conhecimentos a respeito do mundo como um todo. O curso de Licenciatura em Ciências da Natureza aborda o estudo de Biologia, Física, Química e outros conhecimentos relacionados, com enfoque em desenvolver métodos e ferramentas pedagógicas para o ensino dos mesmos, com o objetivo de formar professores na área. Sendo intrinsicamente interdisciplinar, o curso a ser abordado oferece disciplinas que, segundo o seu PPC, deveriam trabalhar em algumas aulas temas que compõem a paleontologia, tendo como obstáculo averiguar se o conteúdo está sendo transmitido devidamente. Nesse cenário, o presente trabalho tem por objetivo identificar a abordagem da Paleontologia, e conhecimentos que a compõem, no curso de Licenciatura em Ciências da Natureza da Universidade Federal do Pampa do campus Uruguaiana, através do interesse e das concepções dos estudantes finalistas e dos egressos do curso. A metodologia aplicada na presente pesquisa foi a confecção de um questionário desenvolvido no Google Forms, contendo questões objetivas e dissertativas sobre o conteúdo da temática em Página | 2 questão, o interesse nela, onde pode ser trabalhada, sua importância em geral e no ensino de ciências. Após isso, foram analisados os resultados e comparados os percentuais adquiridos. Participaram da pesquisa 30 indivíduos, dentre os quais, 9 estão nos dois últimos semestres do curso e 21 são egressos. Na primeira questão, onde foi indagado qual o conceito mais se encaixa com Paleontologia, 14 pessoas (46,7%) escolheram a definição mais apropriada; 9 pessoas (30%) foram mais de acordo com o senso comum, associando a temática apenas à dinossauros; 3 pessoas (10%) limitaram ser apenas relacionada com o processo de fossilização; 2 pessoas (6,7%) encaixaram uma resposta que definiu melhor a arqueologia; e 2 pessoas (6,7%) optaram por uma resposta contendo informações voltadas à genética. Quando foi questionado se já haviam estudado Paleontologia antes da graduação, 23 pessoas (76,7%) assentiram a respeito e 7 (23,3%) negaram terem tido esse contato, ressaltando a pouca visibilidade do tema no ensino em geral. Dentre o público analisado, 12 (40%) afirmaram que quase nunca tiveram esse contato na própria graduação, no máximo em algumas aulas; 10 (33,3%) deixaram claro que houveram menções em algumas disciplinas; porém 8 (26,7%) não souberam responder por não lembrar. Em geral as disciplinas que mencionaram lembrar da abordagem do assunto foram Diversidade da Vida I e II (15 menções), Universo em evolução e evolução da vida na Terra (8 menções) e 5 não souberam informar ou descrever o componente curricular com clareza. Quando questionado o que melhor conceitua um Fóssil, 21 indivíduos (70%) souberam definir bem o termo, porém houveram respostas que acabaram sendo afetadas pelo senso comum, onde 5 respostas (16,7%) relacionavam fósseis apenas a dinossauros e 4 respostas (13,3%) somente a ossos petrificados. Ao indagar qual seria a melhor descrição da real importância da Paleontologia, 21 pessoas (70%) tinham uma boa compreensão a respeito disso, 6 (20%) associaram suas respostas à arqueologia mais uma vez, 2 (6,7%) focaram em animais extintos e 1 (3,3%) pontuou sobre materiais que somos constituídos. Apenas 23 pessoas (76,7%) descreveram que conhecimentos paleontológicos são importantes para a ciência, porém não relacionaram com clareza a relevância da temática para a área pedagógica, mesmo indagando que deveria ser aprofundado. Por fim, ao perguntar se gostariam de ter tido maior contato com o assunto durante a graduação, 25 pessoas (83,3%) responderam positivamente, destacando sua participação potencial para o ensino interdisciplinar e 5 (16,7%) mencionaram não ter interesse no tema, entretanto ainda reconheciam seu devido valor acadêmico. Com base nos dados obtidos, é possível inferir que mesmo o contato do público com a Paleontologia tendo sido superficial no curso, está claro a real importância da temática no ensino de ciências, indicando como o enriquecimento da mesma se faz relevante para o curso e para uma melhor formação de professores de ciências.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
PERUZZI PERES, B.; DOS SANTOS RAMOS, K.; STEFANNY MAURANTE SOARES, R.; YASMIN DE SOUZA DE OLIVEIRA, K.; FREDERICO CASTRO PESSANO, E.; CÉNDON DO NASCIMENTO ÁVILA, M. UM OLHAR DOS ESTUDANTES FINALISTAS E EGRESSOS DO CURSO DE LICENCIATURA EM CIÊNCIAS DA NATUREZA AO TEMA PALEONTOLOGIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.