O CRIME E O MEDO NA REGIÃO DE FRONTEIRA DO RIO GRANDE DO SUL

  • Maike Mendes
  • Taise Silva da Rosa
  • Jaqueline Carvalho Quadrado
Rótulo CRIMINALIDADE, VIOLÊNCIA, SEGURANÇA, CIDADE

Resumo

Ao lançar um olhar atento à nossa sociedade, observamos uma crescente insegurança dentro dos espaços públicos, um problema que antes era comum nos grandes centros, agora perpassa todas as escalas da vida urbana. Nesse sentido, a região de fronteira do Rio Grande do Sul, mais especificamente as cidades de São Borja, Santana do Livramento e Uruguaiana, produzem as suas próprias dinâmicas de violência urbana, que corrobora para o desenvolvimento de um medo generalizado. Assim sendo, para compreender mais a fundo como funciona esse processo na região, se faz necessário a investigação da criminalidade nas suas mais diversas maneiras de ação, por conseguinte, o uso de indicadores como o de Crimes Violentos contra a Pessoa (CVPES), Crimes Violentos contra o Patrimônio (CVPAT), Crimes de Tráfico de Drogas Ilícitas (CTDI) e Crimes de Armas e Munições (CAM), servem como base para o estudo. A partir disso, o presente projeto de pesquisa tem como objetivo geral a identificação de elementos que possam estar influindo na dinâmica da criminalidade da região, para tanto, se fez uma busca através da correlação entre variáveis criminais, condições socioeconômicas, bem como informações referentes à distribuição espacial de serviços públicos, além de outros eventuais fatores urbanos. Como objetivos específicos estão: 1) compreender o contexto histórico da violência e criminalidade na região; 2) descrever o modo como essas cidades se organizam em relação às políticas públicas; 3) estruturar um complexo de indicadores referentes aos crimes violentos contra a pessoa, crime contra o patrimônio, crimes relacionado ao tráfico de substâncias ilícitas, bem como a concentração de crimes de porte de armas e munições ilegais; 4) mapear a distribuição dos habitantes por faixa etária, da disposição das taxas de analfabetismo por bairros, nível de instrução, renda média das famílias e distribuição de serviços públicos; 5) Identificar a maneira como o medo que é produzido socialmente corrobora para justificar uma vigilância acentuada e uma diminuição do espaço público, que está na raiz da agorafobia, medo da ágora, ou espaço público; 6) Retratar o Direito à cidade e o Direito à Segurança Pública na região de fronteira, bem como identificar os seus avanços e desafios para uma Segurança Cidadã. Para isso, em primeiro lugar, o estudo tem como método a pesquisa bibliográfica, tendo em vista uma maior profundidade teórica, que permite tirar conclusões baseadas em análises feitas dentro de outras conjunturas, mas com elementos próprios da região examinada. Em segundo lugar, o processo de pesquisa empírica, que irá permitir o estudo das ideias em torno do tema. Para completar, a pesquisa tem como base as categorias do método geográfico, usadas dentro do contexto das instâncias analíticas urbanas, com o fim de compreender a dialética entre a cidade e a violência. Dessa maneira, a territorialidade desempenha um papel importante na análise, uma vez que o processo de urbanização avança nas fronteiras de maneira a produzir uma reestruturação espacial, que muitas vezes não é alcançada pelas políticas públicas, resultando em um local favorável à proliferação de atividades ilegais, e consequentemente, o medo. Ao analisar o modo como a insegurança pública se reproduz, encontramos um recorte de classe, onde a criminalidade se perpetua em espaços em que há um descaso do poder público com o investimento na infraestrutura urbana, criando um território propício ao avanço da violência, produto das condições de vida precária. Outra situação que se evidenciou foi que, a criminalidade ao reproduzir violência também influencia na arquitetura urbana, onde muitas casas revestem seus muros de pregos e cacos de vidros, criando um cenário de hostilidade. Sendo assim, com essa pesquisa pretendemos elaborar um estudo aprofundado sobre a violência nas referidas cidades, e com base nisso, fornecer elementos necessários para a realização de políticas públicas que reduzam os problemas da criminalidade na região.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
MENDES, M.; SILVA DA ROSA, T.; CARVALHO QUADRADO, J. O CRIME E O MEDO NA REGIÃO DE FRONTEIRA DO RIO GRANDE DO SUL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.