A INTEGRAÇÃO REGIONAL SUL-AMERICANA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE A UNASUL E O PROSUL

  • Maria Eduarda Xavier Vilella
  • Maria Eduarda Xavier Vilella
  • Bruno Iury dos Reis Basilio
  • Alice Carneiro Siqueira
  • Ana Eliria Bonafé de Moura
  • Rafael Balardim
Rótulo Integração, Regional, América, Sul, Unasul, Prosul

Resumo

O século XXI consagrou na América do Sul um amadurecimento de relações entre Estados, transformando rivalidade em cooperação, distanciamento em aproximação e beligerância em harmonia de interesses. Sob este cenário, em 2008, os países sul-americanos formalizaram a criação da primeira organização internacional de nível regional englobando todos os Estados, a União das Nações Sul-Americanas (Unasul). Contudo, em 2019, oito países (Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai e Peru) denunciaram o Tratado da Unasul, suspendendo a participação no órgão e assinaram a Declaração Presidencial sobre a Renovação e o Fortalecimento da Integração da América do Sul com o objetivo de criar o Foro para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul (Prosul). Neste sentido, esta pesquisa parte do seguinte problema: qual foi a relevância que os governos sul-americanos por meio de suas políticas externas deram para a integração regional ao longo dos últimos anos, em especial, de 2008 até 2022? Desse modo, o objetivo principal é compreender a evolução (ou não) que a pauta da integração regional teve durante o recorte temporal de 2008 com a criação da União das Nações Sul-Americanas (UNASUL) até meados de julho de 2022, com as reuniões do Foro para Progresso da América do Sul (Prosul). Quanto aos objetivos específicos busca-se: i) analisar o histórico de integração na América do Sul; ii) compreender a primeira organização internacional sul-americana, a UNASUL; iii) identificar a atual situação da integração entre os países da região nos últimos anos a partir da declaração presidencial conjunta entre estes até meados de 2022. A metodologia empregada se caracteriza por sua natureza qualitativa, exploratória, descritiva e a utilização de referências de fontes de livros, artigos e documentos sem tratamentos analíticos, tais como jornais, revistas, sites e documentos oficiais. Os resultados obtidos com esta pesquisa são: i) o regionalismo sul-americano apesar dos avanços nas últimas décadas rumos à institucionalidade ainda encontra obstáculos de consensos tanto de agendas dos países quanto por divergências ideológicas dos mandatários; ii) a Unasul desde sua criação até a denúncia do Tratado teve nove anos que compreendeu seu início, desenvolvimento, ápice ao seu abandono; iii) os órgãos e agências da Unasul perderam seu espaço de tal maneira que a Secretaria Geral, na cidade de Quito, teve que deixar o prédio à pedido do presidente equatoriano; vi) a criação do Prosul ainda é vazia em relação às suas finalidades, instrumentos regulatórios e institucionais, carecendo de formas de organização seja sede seja na responsabilidade dos signatários em relação ao Foro; v) o declínio do protagonismo da Unasul e a criação do Prosul demonstram a fragilidade das iniciativas das nações sul-americanas em relação a integração regional; vi) quanto à semelhanças entre a Unasul e o Prosul identifica-se o último apresenta apenas como uma declaração e não como uma organização a nível regional com características de institucionalidade; vii) o Prosul em relação a Unasul possui poucas adesões dos Estados sul-americanos, mas que, ao mesmo tempo, promove um isolamento de algumas nações, como é o caso da Venezuela que não foi convidada para participar do Foro; viii) o Prosul ainda não avançou em relação aos encontros, reuniões e trabalhos, revelando uma característica de flexibilidade entre os signatários para a realização de compromissos com outros atores; ix) embora o surgimento do Prosul tenha por objetivo substituir a Unasul, as semelhanças entre ambos são mínimas, sendo observadas, principalmente, nos objetivos gerais. Os resultados desta pesquisa referem-se ao recorte temporal de 2008 a julho de 2022, podendo sofrer transformações, visto que se trata da História do Tempo Presente. Dessa maneira, a Unasul enquanto uma organização internacional de nível regional sofreu um declínio em relação a sua influência e atividades a partir da denúncia do Tratado Constitutivo por parte de alguns países. Por outro lado, a criação do Prosul sinaliza mais o interesse em diálogos regionais do que necessariamente um instrumento substitutivo da Unasul. Destarte, esses movimentos indicam dificuldades da América do Sul em estabelecer estratégias a nível regional e institucional que possam ser capazes de permanecer em funcionamento mesmo com momentos de crises e instabilidades políticas domésticas dos países.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
EDUARDA XAVIER VILELLA, M.; EDUARDA XAVIER VILELLA, M.; IURY DOS REIS BASILIO, B.; CARNEIRO SIQUEIRA, A.; ELIRIA BONAFÉ DE MOURA, A.; BALARDIM, R. A INTEGRAÇÃO REGIONAL SUL-AMERICANA: UMA ANÁLISE COMPARATIVA ENTRE A UNASUL E O PROSUL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.