RELAÇÃO DA DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA NO RISCO DE SARCOPENIA E CAPACIDADE FUNCIONAL

  • Keler Correa
  • Keler Eliana Severo Correa
  • Maite Mendes Pellenz
  • Janine Bosi Tonel
  • Luciane Flores Jacobi
Rótulo Redução, força, massa, muscular, Habilidade, executar, tarefas, cotidianas, COPD, Assessment, Test, Doença, pulmonar

Resumo

A doença pulmonar obstrutiva crônica (DPOC) é comum, passível de prevenção e tratável, suas principais características são os sintomas respiratórios persistentes devido a limitação no fluxo de ar. Além de afetar o sistema respiratório, a DPOC tem impacto direto no sistema musculoesquelético, podendo causar inúmeras comorbidades. Desta forma, o objetivo deste trabalho é verificar a associação do impacto da DPOC com o risco de sarcopenia e com a capacidade funcional. Trata-se de um estudo observacional e transversal, sendo a coleta de dados, realizada em prontuário eletrônico e no serviço de Pneumologia do Hospital Universitário de Santa Maria, no período de março de 2021 a janeiro de 2022. Esta pesquisa foi aprovada pelo Comitê de Ética Institucional sob protocolo CAEE número 43018821.9.0000.5346. Foi aplicado o questionário COPD Assessment Test (CAT) que identifica o impacto da DPOC na saúde dos indivíduos, onde os resultados variam entre 6 e 40 pontos, sendo considerado de 6 a 10 pontos impacto leve, de 11 a 20 pontos impacto moderado, de 21 a 30 e de 31 a 40 pontos impacto grave e muito grave respectivamente. Também foi realizado o rastreamento para sarcopenia por meio do questionário Simple questionnaire to rapidly diagnose sarcopenia + calf circumference (SARCF + CC), que possui perguntas referente a força muscular, mobilidade, resistência muscular e queda, além da aferição da circunferência da panturrilha, o resultado varia de 0 a 20 pontos, onde um escore final maior ou igual a 11 pontos indica risco para sarcopenia. Por fim, foi realizado o teste do degrau de 6 minutos (TD6) que avalia a capacidade funcional, em que o paciente sobe e desce um degrau o máximo de vezes que conseguir durante 6 minutos. Para segurança do teste, foi avaliado pré-teste, durante e após o 1º e 5º minuto as seguintes variáveis: frequência cardíaca (FC), saturação periférica de oxigênio (SpO2), escala de BORG que varia de 0 a 10, sendo considerado 1 para alteração muito leve e 10 extremamente forte tanto para dispneia quanto para o esforço. A equação de Arcuri é utilizada para identificar o valor predito para cada individuo no TD6, onde uma diferença maior que 30 degraus do predito indicam redução da capacidade funcional. A análise foi realizada por meio dos testes não-paramétricos Qui-quadrado, Binomial e Exato de Fisher. O nível de significância adotado foi p < 0,05. Foram avaliados 37 pacientes, sendo que 81,1% apresentaram redução da capacidade funcional (RCF). Em relação ao COPD Assessment Test (CAT) 53,3% dos pacientes com RCF apresentaram impacto da DPOC leve ou moderado. Associando os resultados do CAT com o TD6, verificamos que os pacientes com nenhum grau de impacto clínico da DPOC realizaram 79,0% do previsto no TD6, enquanto que os pacientes com grau leve a moderado e grave a muito grave realizaram, respectivamente, 52,0% e 48,0% do previsto. O resultado do SARC-F + CC mostra que 43,2% dos indivíduos apresentaram resultado positivo para rastreio de sarcopenia e 100% dos indivíduos com RCF através do resultado do TD6 apresentam risco para sarcopenia. Quanto ao desempenho no TD6, os pacientes com rastreio positivo para a sarcopenia realizaram cerca de 45,0% do previsto no TD6, enquanto que os com rastreio negativo para sarcopenia realizaram 62,0% do previsto. O resultado da escala de BORG de dispneia e de esforço obtiveram diferença estatística nos indivíduos com e sem RCP com o passar do tempo entre 1 e 5 minutos com (p<0,05) e ambos só retomaram o valor estatisticamente equivalente ao início do teste após 5 minutos de descanso. Quanto à frequência cardíaca, verificou-se que mesmo com 5 minutos de descanso após o teste, os valores não retornam para o equivalente ao basal. Já na saturação periférica de oxigênio, os valores do início ao fim do tempo de monitoramento não possuem diferença estatisticamente significativa entre si. Neste estudo conclui-se que a maioria dos indivíduos com doença pulmonar obstrutiva crônica avaliados apresentam redução da capacidade funcional, ainda, a maioria dos indivíduos apresentam algum impacto da DPOC na saúde e a totalidade dos pacientes com redução da capacidade funcional apresentam risco para sarcopenia. Também foi observado alterações significativas nos valores de dispnéia e esforço quando comparados os tempos inicial e final do teste.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
CORREA, K.; ELIANA SEVERO CORREA, K.; MENDES PELLENZ, M.; BOSI TONEL, J.; FLORES JACOBI, L. RELAÇÃO DA DOENÇA PULMONAR OBSTRUTIVA CRÔNICA NO RISCO DE SARCOPENIA E CAPACIDADE FUNCIONAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.