IMPLICAÇÕES DO DIAGNÓSTICO TARDIO DE TUBERCULOSE NO DESFECHO ÓBITO EM PACIENTES DO MUNICÍPIO DE URUGUAIANA-RS

  • Karina de Castilhos
  • Jarbas da Silva Ziani
  • Lucieli Dutra Jaques
  • Guilherme Luiz Domeneghini
  • Eduarda Ferretti
  • Luciana De Souza Nunes
Rótulo Tuberculose, COVID-19, Epidemiologia

Resumo

A Tuberculose (TB) é uma doença infectocontagiosa que, em 2020, levou a óbito cerca de 1,3 milhões de pessoas no mundo. Até 2019, a doença era a primeira causa de óbito por um único agente infeccioso, tendo sido, desde 2020, ultrapassada pela COVID-19. Em 2020, frente à emergência da crise sanitária global, foi necessário realocar profissionais e recursos orçamentários, o que causou prejuízos na assistência aos pacientes acometidos pela TB em todo o território nacional. Ainda neste ano, segundo dados do Centro Estadual de Vigilância em Saúde (CEVS), o RS teve uma queda no número de notificações de novos casos, já em 2021, observou-se aumento na incidência da doença no estado. Ademais, notou-se aumento do número de diagnósticos tardios e desfechos desfavoráveis em relação aos parâmetros pré-pandêmicos. A vista disso, objetiva-se discutir a implicação do diagnóstico tardio de tuberculose no desfecho óbito em pacientes de um município da fronteira oeste do Rio Grande do Sul. Trata-se de um estudo quantitativo, descritivo, do tipo documental. A amostra do estudo foi composta por 194 pacientes. O local de estudo foi um Serviço de Atendimento Especializado (SAE) do município em questão, onde realizou-se coleta de dados em prontuários dos usuários em tratamento para TB nos anos de 2019, 2020 e 2021. A escolha do cenário sucedeu-se uma vez que o serviço atende a todos os pacientes com diagnóstico confirmado de TB no município. Para análise dos dados utilizou-se estatística descritiva. Em 2019, o município da fronteira oeste do Rio Grande do Sul notificou 62 casos de tuberculose, dos quais cerca de 9% obtiveram critérios de cura, 55% completaram o tratamento, 14% evoluíram para óbito e 6% abandonaram o tratamento. Neste ano, 16% dos casos tinham como fonte de origem de encaminhamento o hospital regional e 21% a Estratégia de Saúde da Família. Em 2020, ano em que foi decretada a pandemia por SARS-CoV-2, o município diminuiu a notificação dos casos de TB em 14,5%. Mesmo com a redução dos casos registrados em relação ao ano anterior, a taxa de abandono do tratamento aumentou para 11%, e a taxa de óbitos em 2020 obteve um aumento de 17% quando relacionada a 2019 (considerando a cada cem notificados). Outro dado relevante é que, em 2020, cerca de 41% dos pacientes foram encaminhados diretamente do hospital para o serviço, denotando um aumento de 157% neste tipo de encaminhamento. Já em 2021, houve aumento de quase 50% no número de casos em relação ao ano anterior. Ainda comparando os dados obtidos em 2020 e 2021, observou-se aumento de 113% nas taxas de cura, diminuição dos encaminhamentos advindos do hospital em 24% e redução de cerca de 11% nas taxas de óbito. Quanto aos dados obtidos por esse estudo, identificou-se uma redução significativa no número de pacientes notificados para TB no primeiro ano após o surgimento da COVID-19, bem como nos casos de agravamentos clínicos para a doença. Isso é demonstrado pelo aumento expressivo da quantidade de pacientes advindos do hospital para tratamento clínico quando comparado aos anos anteriores. Essa estatística reflete a maior procura dos pacientes pelo hospital e o consequente atraso no diagnóstico da doença. Entende-se, então, a necessidade de estabelecer cenários de atendimento com políticas sociais e reestruturação do serviço de saúde para possibilitar melhorias no diagnóstico e tratamento da TB, além da organização dos fluxos de atendimento e acolhimento dos usuários. Outro dado alarmante encontrado neste estudo está relacionado ao aumento das taxas de abandono e do número de óbitos. Relacionado a isto, verificou-se que o lockdown, a interrupção do acesso aos serviços e a redução dos recursos, limitaram a disponibilidade de serviços essenciais. Para mais, deve-se atentar às avaliações das ações e políticas de enfrentamento que vêm sendo transferidas e operacionalizadas para visar o acesso dos usuários aos serviços de saúde, já que para alcançar a eficácia do tratamento ele necessita ser realizado de forma mais ampla, considerando as peculiaridades e singularidades dos usuários.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
DE CASTILHOS, K.; DA SILVA ZIANI, J.; DUTRA JAQUES, L.; LUIZ DOMENEGHINI, G.; FERRETTI, E.; DE SOUZA NUNES, L. IMPLICAÇÕES DO DIAGNÓSTICO TARDIO DE TUBERCULOSE NO DESFECHO ÓBITO EM PACIENTES DO MUNICÍPIO DE URUGUAIANA-RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.