A INSATISFAÇÃO E A INTENÇÃO DOS ENFERMEIROS DE DEIXAREM O EMPREGO

  • Camila Antunez Villagran
  • Taís Carpes Lanes
  • Camila Milene Soares Bernardi
  • Ariel Siqueira Lemos
  • Graziele de Lima Dalmolin
  • Valdecir Zavarese da Costa
Rótulo Enfermagem, Sofrimento, Psicológico, Esgotamento, Saúde, Trabalhador

Resumo

Introdução: O Sofrimento Moral associado a outros agravos à saúde do trabalhador intensifica o abandono do emprego entre os enfermeiros, em especial, quando se sentem insatisfeitos com o trabalho, evidencia-se que cada aumento unitário da frequência de Sofrimento Moral pode dobrar as chances da intenção de abandono da profissão. Dentre os agravos, está a Síndrome de Burnout, a qual, em suas dimensões quando os enfermeiros são submetidos a alta carga de trabalho, despersonalização e a baixa realização profissional vivenciam o absenteísmo por doenças psíquicas e físicas, rotatividade e consequentemente, chegam a abandonar seus empregos. Objetivo: Analisar a insatisfação e a intenção de deixar o emprego como risco ao desenvolvimento de Sofrimento Moral e Síndrome de Burnout em enfermeiros hospitalares. Metodologia: Estudo de abordagem qualitativa, realizado com 20 enfermeiros atuantes nas unidades do Pronto Socorro, Clínica Cirúrgica, Psiquiatria e Ginecologia/Obstetrícia de um Hospital Universitário do Sul do Brasil. Foram utilizados como critérios de inclusão: enfermeiros atuando a pelo menos um mês nos setores selecionados e foram excluídos aqueles que estavam em licença médica ou afastados do trabalho por qualquer motivo durante as coletas de dados. A coleta de dados ocorreu no período de agosto a outubro de 2021, por meio de entrevistas semiestruturadas. Por questão do panorama de saúde relacionado a Pandemia da Covid-19, a coleta de dados ocorreu via online, através da plataforma Google meet. Posteriormente, os dados foram submetidos à Análise Textual Discursiva. O presente estudo integra o projeto matricial intitulado Sofrimento moral em enfermeiros hospitalares: qual sua relação com clima ético e burnout? que obteve o parecer favorável do comitê de ética em pesquisa em 2018, sob o nº 049598. Ainda, faz parte da Dissertação de Mestrado intitulada: Associação do Sofrimento Moral e Síndrome de Burnout em enfermeiros hospitalares. Na pesquisa, os depoimentos dos enfermeiros foram identificados pelo codinome Enf, conforme a ordem das entrevistas. O estudo está em conformidade aos preceitos éticos da Resolução 466/12. Resultados: Dentre os 20 enfermeiros entrevistados, somente dois profissionais mencionaram sobre a insatisfação e a intenção de deixar o emprego, sendo eles da unidade de Ginecologia/Obstetrícia as quais foram relatadas em decorrência do sofrimento e esgotamento físico e psíquico. A insatisfação no trabalho é relatada, a partir do sofrimento dos enfermeiros mediante a vivencia constante de constrangimentos que os impedem de cumprir o trabalho proposto de maneira adequada: Um pouco frustrada! Porque, na verdade, o trabalho que eu me propus a fazer, pelo qual eu vim, foi boicotado (ENFO6). A intenção de deixar o emprego foi verificada mediante o desapontamento em trabalhar no setor atual. Já me senti melhor! Já foi o meu sonho trabalhar ali. Atualmente, estou vendo estratégias para me sentir melhor ou para, talvez, até conseguir outro emprego (ENF05). A insatisfação e a intenção de deixar o emprego são riscos ao desenvolvimento de Sofrimento Moral e Síndrome de Burnout, devido as condições de trabalho inadequadas, com jornadas prolongadas e baixa remuneração, que podem afetar a saúde dos profissionais, diminuindo a motivação para o trabalho. Considerações finais: Através destes dados, compreende-se que a insatisfação no trabalho e a intenção de deixar o emprego oferecem riscos para desenvolvimento do Sofrimento Moral e Síndrome de Burnout entre os enfermeiros hospitalares.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
ANTUNEZ VILLAGRAN, C.; CARPES LANES, T.; MILENE SOARES BERNARDI, C.; SIQUEIRA LEMOS, A.; DE LIMA DALMOLIN, G.; ZAVARESE DA COSTA, V. A INSATISFAÇÃO E A INTENÇÃO DOS ENFERMEIROS DE DEIXAREM O EMPREGO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.