DESENVOLVIMENTO MOTOR DE BEBÊS DE MÃES COM DIABETES GESTACIONAL

  • Camilla Ferreira de Andrade
  • Sthefany Riella dos Santos
  • Natalie Ferrão Melo
  • Daiane Pinheiro
  • Eloa Maria Dos Santos Chiquetti
  • Christian Caldeira dos Santos
Rótulo desenvolvimento, motor, AIMS, diabetes, gestacional, bebês, gravidez

Resumo

O diabetes mellitus gestacional é definido como uma intolerância à glicose quando detectada pela primeira vez durante a gestação. Tanto a mãe como o bebê são afetados pelo DMG, já que ambos podem desenvolver desfechos indesejáveis. Os principais fatores para desenvolver a DMG são: Idade materna mais avançada (acima de 25 anos); Ganho de peso excessivo durante a gestação; História familiar de diabetes em parentes de 1º grau; Hipertensão arterial sistêmica; gestação múltipla. As complicações para a gestante podem ser: pré-eclâmpsia, aborto, rompimento da bolsa precocemente e desenvolver diabetes tipo 2. Para o neonato os riscos estão relacionados com: prematuridade, hipoglicemia, macrossomia, síndrome da angústia respiratória ao nascer e problemas cardíacos. Considerando as implicações neonatais decorrentes dessa comorbidade, este trabalho tem como objetivo analisar o desenvolvimento motor dos bebês de mães que apresentaram diabetes gestacional. Os principais sintomas são: Cansaço excessivo; Ganho excessivo de peso na gestante ou no bebê; Aumento do apetite; Vontade frequente de urinar; Boca seca; Visão turva; sede; Náuseas. As principais formas de prevenção a diabetes gestacional é mantendo uma alimentação rica em variedades e nutrientes, fazer exercícios físicos regularmente e controlar o ganho de peso durante a gravidez. Trata-se de um estudo transversal, observacional de caráter descritivo. Aprovado pelo Comitê de Ética em Pesquisa da UNIPAMPA CEP 2019112518202/Registro no SAP 1413. O local das avaliações foi no ambulatório de egressos da UTI Neonatal do Hospital da Santa Casa de Uruguaiana. A amostra contou com de 10 crianças de ambos os sexos. A avaliação motora foi realizada através da Escala Motora Infantil de Alberta (AIMS). Trata-se de uma escala validada e normatizada para crianças brasileiras. A AIMS é composta por 58 itens agrupados em quatro subescalas que descrevem o desenvolvimento da movimentação espontânea e de habilidades motoras em quatro posições básicas: prono (21 itens), supino (9 itens), sentado (12 itens) e em pé (16 itens). Em cada item são observados aspectos diferentes do comportamento motor da criança, levando em consideração aspectos tais como a superfície do corpo que sustenta o peso, postura e movimentos antigravitacionais. Para cada item avaliado nas posturas, uma escala dicotômica é empregada com escore 1 ponto para cada postura observada e 0 ponto para cada postura não observada no repertório do bebê. A soma de todos os itens observados (0 a 58 pontos) resulta no escore bruto, que é convertido em percentil de desenvolvimento motor, seguindo os seguintes critérios de classificação: a) desempenho motor normal/esperado: acima de 25% da curva percentílica; b) desempenho motor suspeito: entre 25% e 5% da curva percentílica; c) desempenho motor anormal: abaixo de 5% da curva percentílica. A amostra está distribuída igualmente quanto ao sexo (50% Feminino e 50% masculino). Todos os bebês nasceram prematuros, onde a idade gestacional média foi de 34,9 ± 2,42 semanas; o peso ao nascer foi 2829,80 ± 1064,44 gramas; A média de idade das gestantes era de 33,2 ± 5,69 anos; quanto ao parto 80% foi por cesárea; a mediana do APGAR do 1º minuto foi 6 (min 0; máx. 6), e o APGAR do 5º minuto a mediana foi 9 (min 4; máx 9); todos os bebês da amostra necessitaram de internação na UTI ao nascer; 90% apresentaram icterícia neonatal. Quanto ao desenvolvimento motor a maioria (80%) apresentaram desenvolvimento típico para idade. Este resultado não nos permite ficar tranquilos e não acompanhar o desenvolvimento dessas crianças. O desenvolvimento motor sofre influências multifatoriais e, portanto, o acompanhamento dessas crianças deve ser realizado de maneira periódica, e em caso de detecção de algum desvio na trajetória motora devemos encaminhar para intervenção precoce.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
FERREIRA DE ANDRADE, C.; RIELLA DOS SANTOS, S.; FERRÃO MELO, N.; PINHEIRO, D.; MARIA DOS SANTOS CHIQUETTI, E.; CALDEIRA DOS SANTOS, C. DESENVOLVIMENTO MOTOR DE BEBÊS DE MÃES COM DIABETES GESTACIONAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.