AVES ASSOCIADAS A FRAGMENTOS DE MATA NA REGIÃO CENTRAL DO PAMPA

  • Vitor Rosso
  • Luciano Lopes Marques
  • Carlos Benhur Kasper
Rótulo Avifauna, Campos, Diversidade, Fragmentação, Rio, Grande, Sul

Resumo

A avifauna do Rio Grande do Sul é representada por 704 espécies, apresentando um número expressivo de aves ameaçadas de extinção, cerca de 100 espécies. Ocupando mais da metade do estado, o bioma Pampa é formado não só por áreas abertas, mas também por ambientes florestais, onde ocorrem espécies associadas a ambientes de mata. Embora predominantemente campestre, o Pampa sofre com a fragmentação de seus remanescentes florestais e é conhecido que aves respondem negativamente a esse processo, resultando na diminuição da riqueza e diversidade. Porém, não existem estudos com esse enfoque para o Bioma. Diante disso, o presente estudo visa apresentar uma lista de espécies registradas em um conjunto de fragmentos florestais na região central do Pampa Brasileiro, avaliando possíveis efeitos da fragmentação na utilização destes fragmentos. O estudo foi realizado no município de Caçapava do Sul, RS, na parte central do bioma Pampa, na formação Serra do Sudeste. Entre 2020 e 2021 foram realizadas 10 amostragens da avifauna em sete fragmentos florestais, sendo 5 levantamentos realizados no período frio (maio a setembro) e 5 levantamentos no período quente (novembro a março), por meio de busca ativa limitada por tempo de 30 minutos. Para cada fragmento, foi gerada uma listagem de espécies registradas e calculado um Índice de Frequência de Lista. A riqueza de espécies foi comparada com a utilização de Análise de Variância e teste de Tukey. Por fim, foram calculados parâmetros ecológicos. Todas as análises estatísticas foram calculadas utilizando o software estatístico PAST e o pacote Data Analysis do software Excel. Ao todo, foram registradas 71 espécies de 26 famílias e 10 ordens. Os fragmentos de maior tamanho apresentaram a maior riqueza de espécies. Apenas sete espécies foram registradas em todos os fragmentos: Patagioenas picazuro, Leptotila verreauxi, Tyrannus melancholicus, Polioptila dumicola, Turdus rufiventris, Zonotrichia capensis e Saltator similis. A exceção do menor fragmento, todos os demais apresentaram espécies exclusivas. Os dois maiores fragmentos, sobretudo o fragmento 2, apresentaram diversas espécies exclusivas, tais como: Veniliornis spilogaster, Colaptes melanochloros, Megarynchus pitangua, Accipiter bicolor, Rupornis magnirostris, Piaya cayana, Pyrrhura frontalis, Myiopsitta monachus, Chiroxiphia caudata e Cnemotriccus fuscatus. Pela análise de Tukey, verificou-se diferença significativa somente entre o menor fragmento em relação aos quatro maiores. Não foi verificada diferença entre os períodos frio e quente, mas houve um acréscimo de sete aves migratórias na estação quente: Elaenia mesoleuca, Myiarchus swainsoni, Myiodynastes maculatus, Megarynchus pitangua, Tyrannus melancholicus, Tyrannus savana e Empidonomus varius. Os índices ecológicos mostram a diversidade positivamente relacionada ao tamanho do fragmento. Muitas espécies que utilizam o sub-bosque, de dietas variadas (onívora, granívora e insetívora), se mostraram bem adaptadas a ambientes fragmentados, possivelmente tirando vantagem do efeito de borda presente, representadas nesse estudo por: Zonotrichia capensis, Pseudoleistes guirahuro, Agelaioides badius, Tangara sayaca, Sicalis flaveola, Coryphospingus cucullatus, Saltator similis, Microspingus cabanisi, Cyanoloxia brissonii e Spinus magellanicus. Algumas espécies tipicamente florestais foram registradas, embora com baixa frequência, o que pode estar associada à uma pequena população nos fragmentos estudados, como: Accipiter bicolor, Trogon surrucura, Sittasomus griseicapillus, Lepidocolaptes falcinellus, Dendrocolaptes platyrostris, Heliobletus contaminatus, Chiroxiphia caudata, Elaenia mesoleuca e Vireo chivi. Um importante registro foi feito nesse estudo: o papagaio-charão (Amazona pretrei), classificado como vulnerável pela IUCN. Diante dos resultados obtidos, fica clara a importância da manutenção de fragmentos florestais, além da heterogeneidade de ambientes para a conservação da biodiversidade. Muitas são as ameaças às aves, principalmente as associadas a fragmentos de mata, que estão cada vez mais escassos. Assim, é preciso atenção para as espécies que utilizam esses ambientes no menor e menos protegido bioma brasileiro. Poucos são os estudos de levantamento de aves no bioma pampa, e quando realizados se concentram na avifauna associada a ambientes abertos, predominantes no bioma. Por esse motivo, levantamentos realizados em fragmentos de mata no Pampa são escassos. Assim, os dados gerados nesses estudos são de suma importância, pois além de ser um dos primeiros com este enfoque para a região, contribuem para o conhecimento da biodiversidade local e podem servir de base para estudos futuros desta ampla biodiversidade.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
ROSSO, V.; LOPES MARQUES, L.; BENHUR KASPER, C. AVES ASSOCIADAS A FRAGMENTOS DE MATA NA REGIÃO CENTRAL DO PAMPA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.