CARACTERIZAÇÃO DE LINHAGENS MUTANTES DE ARROZ IRRIGADO

  • Letícia Lima Machado
  • Vitória Horst de Melo
  • Paulo Rogério Franco dos Santos
  • Ivan Perlin
  • Adriana Pires Soares Bresolin
Rótulo Oryza, sativa, Mutação, induzida, Componentes, rendimento

Resumo

O arroz (Oryza sativa L.) é uma das culturas cerealíferas mais cultivadas no mundo, destacando-se principalmente em países do Continente Asiático e da América do Sul. Devido a importância econômica e social, programas de melhoramento buscam novas tecnologias e estratégias com o objetivo de atender às crescentes demandas trazidas pelo aumento populacional. Em vista disso, a indução de mutação auxilia estes programas no incremento de variabilidade e, consequentemente, na obtenção de genótipos com caracteres de interesse agronômico e mais adaptados a diferentes condições ambientais. Com base na variabilidade gerada por mutação induzida foi possível melhorar a produtividade, a estatura de planta, o ciclo e o rendimento de grãos inteiros de linhagens e cultivares de arroz irrigado. No entanto, sabendo-se da importância da orizicultura no cenário mundial e do melhoramento genético de plantas para aumentar a produtividade e qualidade por unidade de área, o presente trabalho objetivou avaliar componentes de rendimento de linhagens mutantes de arroz irrigado, visando caracterizar e selecionar novas constituições genéticas. O experimento foi conduzido na safra de 2021/2022 em área experimental pertencente à Universidade Federal do Pampa - Unipampa, Campus Itaqui. O delineamento experimental utilizado foi de blocos ao acaso com quatro repetições, com dimensões de 2 x 11 m. Cada linhagem mutante foi considerada uma unidade experimental, espaçadas entre si a 0,17 m. A adubação de base utilizada foi de 350 kg/ha-1 de NPK formulado 5-20-20. Posteriormente em cobertura, foram aplicados 390 kg/ha-1 de ureia parcelados em três e 100 kg/ha-1 de cloreto de potássio. Foram testadas onze linhagens mutantes de arroz obtidas por meio de seleções realizadas desde o ano de 2018 pelo Grupo de Melhoramento Genético (GPMV) da Unipampa, Campus Itaqui. As populações mutantes foram obtidas por meio da indução de mutação de sementes da cultivar IRGA 409 com mutagênico químico azida sódica. Para avaliação foram coletadas ao centro da área útil de cada unidade experimental oito panículas ao acaso para determinação do comprimento, número de grãos férteis e porcentagem de grãos estéreis. O peso de mil grãos foi determinado pela contagem de 100 grãos de arroz, sendo estes extrapolados para o peso de 1000 grãos. Os dados obtidos foram submetidos à análise de variância através do software Sistema de Análise de Variâncias - SISVAR, sendo as médias comparadas pelo teste Tukey a 0,05% de probabilidade. Quanto ao caráter comprimento da panícula, a linhagem 4 (20,25 cm) evidenciou redução significativa frente às linhagens 10 (24,50 cm), 7 (24,25 cm), 9 (24,25 cm) e 8 (23,75 cm), não diferindo das demais e nem mesmo da testemunha (23,00 cm). Portanto, é possível que a mutação induzida tenha gerado redução no comprimento de panícula de uma linhagem entre as onze demais avaliadas no estudo. Para as médias do número de grãos férteis, apenas as linhagens 6 (83,75 g) e 7 (75,50 g) evidenciaram uma redução significativa, diferindo da testemunha (127,50 g) que evidenciou o maior número de grãos férteis. Para porcentagem de grãos estéreis, valores até 15% são considerados normais mesmo em condições ambientais favoráveis. Com isso, constatou-se que as médias de grãos estéreis foram estatisticamente altas, exceto para a testemunha (14,25%) e a linhagem 1 (13,50%). Este fato pode-se explicar em razão de que a safra de 2021/2022 apresentou altas temperaturas e baixo índice pluviométrico durante o período reprodutivo, resultando em altos índices de esterilidade dos grãos. Um aumento significativo no peso de mil grãos pode ser evidenciado nas linhagens 9 (25,00 g), 8 (23,75 g), 6 (24,75 g), 5 (24,75 g) e 4 (24,75 g), em comparação a testemunha (22,75 g). Concluímos, com o estudo que a mutação induzida gerou variabilidade genética, evidenciada por meio dos caracteres comprimento de panícula, número de grãos férteis e estéreis e peso de mil grãos. Indicando que estes componentes de rendimento podem ser utilizados na caracterização da variabilidade genética destas linhagens em estudos posteriores em condições ambientais mais estáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
LIMA MACHADO, L.; HORST DE MELO, V.; ROGÉRIO FRANCO DOS SANTOS, P.; PERLIN, I.; PIRES SOARES BRESOLIN, A. CARACTERIZAÇÃO DE LINHAGENS MUTANTES DE ARROZ IRRIGADO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.