GANHO DE PESO EM OVINOS DA RAÇA CRIOULA E CRUZAS DAS RAÇAS CRIOULAS X DORPER NO PERÍODO DE TERMINAÇÃO

  • Lucas Sartori Schlottfeldt
  • Sthefany Ferreira Rodrigues
  • Mariana Gomes Ribeiro
  • Jeaniffer Melgarejo Vieira
  • Paulo Daniel Barreto
  • Gladis Corrêa Ferreira
Rótulo Heterose, Nutrição, Cordeiros, Crescimento, Confinamento

Resumo

A ovinocultura sempre desempenhou um papel de grande importância no cenário econômico e cultural no estado do Rio Grande do Sul. No início do século XX, a produção lanífera manifestava grande destaque dentre as atividades gaúchas, mas devido à modernização mundial e crescimento do consumo de carne ovina pela população urbana, grande parte dos rebanhos progrediram periodicamente através de cruzamentos absorventes ou direcionados, desenvolvendo animais de dupla aptidão (carne e lã) ou para produção especializada de carne, alinhados com a evolução nos métodos de criação e terminação. A raça ovina Crioula caracteriza-se por indivíduos de porte médio, rústicos, longevos e de fácil manejo. Expressam a característica de produzir carne magra com maciez e sabor diferenciados, mas com baixo desenvolvimento de massa muscular. A raça Dorper, de origem Sul Africana, possui características de boa adaptabilidade, robustez e boas taxas de desenvolvimento e crescimento. Sendo considerada uma raça com aptidão para produção de carne e com grande desenvolvimento muscular. O cruzamento entre ambas as raças visa a produção de animais rústicos, precoces, dóceis e com bom desenvolvimento muscular, produzindo carne de extrema qualidade conferindo propriedades organolépticas e nutricionais, suprindo a exigência do mercado e consumidor. A terminação em confinamento de cordeiros possui grande importância, pois o método reduz o tempo de ganho de peso adequado para abate e deposição de gordura na carcaça, bem como expressa o aumento da eficiência produtiva, reduz a idade ao abate e permite o melhor controle de custos de produção. O trabalho teve por objetivo avaliar o ganho de peso e escore de condição corporal de ovinos das raças Crioula e cruzas Crioulas x Dorper na fase de terminação realizada em confinamento, submetidos ao manejo alimentar controlado. O trabalho foi realizado no Setor de Ovinocultura da Universidade Federal do Pampa - UNIPAMPA, do Campus Dom Pedrito - RS, no período de dezembro 2021 a fevereiro de 2022. Para isso, utilizou-se 21 cordeiros, machos castrados, com idade média de 3 a 4 meses, sendo: PUROS: 11 cordeiros da raça Crioula e, CRUZAS: 10 cordeiros Cruza Crioula X Dorper; submetidos em sistema de terminação em confinamento ao longo de 54 dias. Os cordeiros após ingresso no setor de ovinocultura, passaram por um período de adaptação alimentar e ambiental durante sete dias e com intervalos de 14 dias foram pesados e avaliados de acordo com o escore de condição corporal (ECC). Os dois tratamentos receberam a mesma alimentação durante o período experimental. A dieta disponibilizada foi composta por: água, sal mineral, fenos de gramíneas (azevém - Lolium multiflorum) e feno consorciado de gramíneas e leguminosas (azevém e cornichão - Lotus corniculatus L) e ração balanceada formulada com base em tabelas do National Research Council NRC. A ração era composta de milho, farelo de soja e calcário calcítico, em uma proporção de 61% concentrado e 39% volumoso. Os animais apresentaram média de peso inicial (kg) de 22,12 + 2,52 e 26,01 + 2,61 e escore de condição corporal inicial de 1,7 ± 0,48 e 2,27 ± 0,44, para PUROS e CRUZAS respectivamente. Os dados foram tabulados e submetidos a análise de variância (ANOVA), assumindo o nível de significância de 5% pelo Teste de Tukey, e utilizou-se o procedimento GLM do programa estatístico R. Foram observadas diferenças significativas entre os grupos genéticos avaliados, para peso final e não foi observada significância para os resultados de ECC final. Os valores de peso final e ecc final para os PUROS e CRUZAS, respectivamente, são de 29,54 + 4,03 e 36,22 + 4,35, e de 2.85 + 0.27 e 2.61 + 0.33. Conclui-se de acordo com os resultados obtidos que animais cruzados com o genótipo dorper atingem um maior ganho de peso em razão da sua característica de desenvolvimento muscular com bom tamanho e deposição de músculo comparado aos animais Crioulos puros com característica de apresentarem carcaças menores e mais leves.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
SARTORI SCHLOTTFELDT, L.; FERREIRA RODRIGUES, S.; GOMES RIBEIRO, M.; MELGAREJO VIEIRA, J.; DANIEL BARRETO, P.; CORRÊA FERREIRA, G. GANHO DE PESO EM OVINOS DA RAÇA CRIOULA E CRUZAS DAS RAÇAS CRIOULAS X DORPER NO PERÍODO DE TERMINAÇÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.