PROPRIEDADES ANTIOXIDANTES DE PEPTÍDEOS BIOATIVOS OBTIDOS A PARTIR DE TENEBRIO MOLITOR

  • Evander Penchel
  • Alexandra Pretto
  • Carlos Frederico Ceccon Lanes
  • Jessica Cristina Verus Villanova
  • Fernanda Rodrigues Goulart Ferrigolo
Rótulo Hidrólise, enzimática, ação, antioxidante, aditivo, nutrição, animal

Resumo

A aquicultura, que tem como objetivo o cultivo de plantas e animais semiaquáticos e aquáticos, é um dos ramos da produção animal que mais cresce anualmente. Segundo estudo da FAO (2016), a aquicultura crescerá 106% até 2025 no Brasil. É importante ressaltar também que associado ao crescimento da produção de organismos aquáticos temos a intensificação da produção. Essa situação se reflete no emprego de altas densidades de estocagem e susceptibilidade dos animais a má qualidade da água e desequilíbrio nutricional, levando-os a uma alta carga de estresse, o que os torna vulneráveis ao desenvolvimento de doenças. Nesse sentido, para garantir o incremento da produção aliado a saúde dos animais, tem sido adotado o emprego de antibióticos como um agente imunoestimulante. No entanto, o uso equivocado desses fármacos tem se refletindo negativamente sobre o meio ambiente, além de ser responsável pelo surgimento de resistência bacteriana. Como alternativa ao uso dessas substâncias quimioterápicas, tem se estudado a obtenção de peptídeos com potencial bioativo, os quais surgem como opção sustentável para a prevenção e controle de doenças na aquicultura. Peptídeos bioativos são pequenas sequencias especificas de proteínas ou um curto segmento de aminoácidos que promovem positivamente funções biológicas. Esses peptídeos podem ser obtidos através de diferentes fontes, como por exemplo os insetos. Logo, o presente estudo foi desenvolvido com o objetivo de obter peptídeos bioativos a partir de larvas de Tenebrio molitor e avaliar sua capacidade antioxidante. A produção das larvas de T. molitor ocorreu no laboratório de Biodiversidade Animal da Universidade Federal do Pampa, campus Uruguaiana. A seguir, as larvas foram parcialmente secas em estufa por 48h a 55°C e moídas em liquidificador para obtenção da farinha. A farinha foi desengordurada com o solvente hexano (3 lavagens com duração de 30 min cada, utilizando a proporção 1:2 p/v). A farinha desengordurada foi pré-incubada com água destilada por 30 minutos a 55°C. Após a pré-incubação, foram realizados os seguintes testes utilizando a enzima Alcalase, para hidrólise dos peptídeos: Teste 1: adição de 20 𝛍L de enzima para cada 50 mL de volume, com incubação por 4 horas a 55ºC; Teste 2: adição de 4B8r3B4p7yhRXuBWLqsQ546WR43cqQwrbXMDFnBi6vSJBeif8tPW85a7r7DM961Jvk4hdryZoByEp8GC8HzsqJpRN4FxGM9 𝛍L de enzima para cada 50 mL de volume, incubação por 3 horas a 55ºC; Teste 4: adição de 4B8r3B4p7yhRXuBWLqsQ546WR43cqQwrbXMDFnBi6vSJBeif8tPW85a7r7DM961Jvk4hdryZoByEp8GC8HzsqJpRN4FxGM9 𝛍L de enzima para cada 50 mL de volume, incubação por 8 horas a 55ºC; Teste 6: adição de 40 𝛍L de enzima para cada 50 mL de volume, incubação por 8 horas a 55ºC. Amostras de cada um dos testes de hidrólise aplicados foram utilizadas para avaliação da capacidade antioxidante a partir do método FRAP (poder de redução do ferro férrico em ferro ferroso). Os resultados foram submetidos à análise de variância e as médias comparadas pelo teste de Tukey (p

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
PENCHEL, E.; PRETTO, A.; FREDERICO CECCON LANES, C.; CRISTINA VERUS VILLANOVA, J.; RODRIGUES GOULART FERRIGOLO, F. PROPRIEDADES ANTIOXIDANTES DE PEPTÍDEOS BIOATIVOS OBTIDOS A PARTIR DE TENEBRIO MOLITOR. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.