ACHADOS DA HEMOGASOMETRIA NO PACIENTE CANINO COM SINDROME BRAQUICEFÁLICA - RELATO DE CASO

  • Júlia Nobre Parada Castro
  • Francesca Lopes Zibetti
  • Giulia Batista de Freitas
  • Viviana de Almeida Correa
  • Mauro Cezar Mayato Neto
  • Paula Priscila Correia Costa
Rótulo Deformidades, anatômicas, Focinho, curto, Síndrome, respiratória

Resumo

A síndrome braquicefálica é observada em cães de focinho curto, principalmente das raças Shih-Tzu, Boxer, Pug, Buldogue Inglês, Buldogue Francês, Lhasa Apso, Pequinês, de origem congênita, oriunda da seleção realizada nessas raças com a finalidade de obter um focinho cada vez mais curto e achatado. É caracterizada pelo aumento da resistência ao fluxo aéreo nas vias aéreas superiores devido a deformidades anatômicas que causam obstrução das vias aéreas e um fluxo inadequado de ar para os pulmões, como estenose de narinas, palato mole alongado, traqueia hipoplásica e cornetos nasofaríngeos. O diagnóstico é baseado na anamnese, exame físico, exames de imagem e laboratoriais. Os sinais clínicos observados são respiração agitada, dispneia inspiratória, ronco, tosse, intolerância ao exercício, cianose e episódios de síncope, em casos mais graves, pode ser observado associado aos sinais clínicos alterações físicas, como narinas estenóticas e palato mole alongado, essas alterações impactam diretamente na qualidade de vida do paciente, com alto risco de óbito. A realização do exame de hemogasometria é de extrema importância para pacientes braquicefalicos portadores da síndrome, uma vez que auxilia no diagnóstico de disfunções respiratórias, podendo ser observado por meio do exame se o paciente apresenta acidose respiratória. O tratamento indicado é realização do procedimento cirúrgico, como rinoplastia e estafeléctomia, de modo a realizar a correção cirúrgica das malformações anatômicas que causam obstrução das vias aéreas associado ao tratamento terapêutico. O objetivo desse trabalho foi caracterizar os achados de hemogasometria em uma paciente canina com síndrome braquicefálica. Foi realizado o exame de hemogasometria, no Hospital de Clínicas Veterinárias da Universidade Federal de Pelotas em uma paciente canina da raça chihuahua, 9 anos de idade, 1,8kg com síndrome braquicefálica. No exame de hemogasometria foi observado o valor de pressão parcial de oxigênio (pO2) de 29,5 mmHg, segundo consta na literatura atual os valores fisiológicos são de 90 à 100 mmHg, valor de pressão parcial de gás carbônico (pCO2) 62,2 mmHg, conforme consta na literatura, os valores fisiológicos são de 35 à 45 mmHg e hematócrito 40,2%, dentro do valor fisiológico de acordo com a literatura atual (37 a 45%). Caninos braquicefálicos possuem uma tendência a apresentarem um déficit no mecanismo de oxigenação em decorrência da obstrução causada pelas alterações anatômicas das vias aéreas, resultando assim em valores baixos de pO2. O parâmetro pCO2 é um dos principais critérios de avaliação do sistema respiratório, auxiliando a identificar e determinar a gravidade do desequilíbrio respiratório acidobásico (alcalose ou acidose respiratória), valores acima do fisiológico ocorrem quando o paciente encontra-se em acidose respiratória, secundária à obstrução das vias aéreas, uma produção maior de dióxido de carbono que a excreção pelos pulmões, resultando no aumento de pCO2, observado no presente relato. É observado em caninos com a síndrome braquicefálica um aumento no hematócrito, não observado no presente relato. Conclui-se após a análise dos gases sanguíneos que a síndrome braquicefálica interfere diretamente nos parâmetros dos componentes respiratórios, ocasionando acidose respiratória secundária à obstrução das vias aéreas, que pode ser observado no exame de hemogasometria, e afetando a qualidade de vida do paciente, sendo necessário a realização de procedimentos cirúrgicos corretivos afim de tratar o paciente e lhe propiciar qualidade de vida e bem-estar.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
NOBRE PARADA CASTRO, J.; LOPES ZIBETTI, F.; BATISTA DE FREITAS, G.; DE ALMEIDA CORREA, V.; CEZAR MAYATO NETO, M.; PRISCILA CORREIA COSTA, P. ACHADOS DA HEMOGASOMETRIA NO PACIENTE CANINO COM SINDROME BRAQUICEFÁLICA - RELATO DE CASO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.