INFLUÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO DE BUTAFOSFAN ASSOCIADO À CIANOCOBALAMINA SOBRE O ESTRESSE OXIDATIVO EM VACAS LEITEIRAS NO PÓS-PARTO RECENTE

  • Rutiele Silveira
  • Camila Pizoni
  • Josiane de Oliveira Feijó
  • Eliza Rossi Komninou
  • Francisco Augusto Burkert Del Pino
  • Marcio Nunes Corrêa
Rótulo Antioxidantes, Bovinocultura, Expressão, gênica, Período, transição

Resumo

O período de transição é um momento crítico para a saúde e desempenho de vacas leiteiras. Nessa fase, ocorrem alterações metabólicas e fisiológicas que levam ao aumento da demanda de energia e oxigênio. Devido a este maior requerimento de oxigênio, a produção de radicais livres pode ser elevada a ponto de ultrapassar a capacidade dos sistemas de defesa antioxidantes, levando o animal ao estresse oxidativo. Recentemente, estão sendo estudadas estratégias metafiláticas para minimizar os efeitos deletérios no período de transição, como o uso de uma fonte de fósforo orgânico associado à cianocobalamina. Diante do exposto, o objetivo do presente estudo foi avaliar a influência da administração de butafosfan associado à cianocobalamina em vacas leiteiras de alta produção no pós-parto recente sobre a expressão de genes relacionados ao status oxidativo. O experimento foi realizado em uma propriedade leiteira comercial no sul do Rio Grande do Sul, no município de Rio Grande e foi aprovado pelo Comitê de Ética em Experimentação Animal da Universidade Federal de Pelotas, sob o código 0102025-2017. Foram utilizadas 18 vacas leiteiras multíparas da raça Holandês de alta produção (≥ 30 L/dia na lactação anterior), distribuídas aleatoriamente em dois grupos. O grupo B+C (n = 9) que recebeu uma dose intramuscular de 2500 mg de butafosfan e 1,5 mg de cianocobalamina (25 mL/animal/dia, Catosal B12®, Bayer, Alemanha), nos dias 0, 3 e 7 após o parto, enquanto o grupo CON (n = 9) recebeu o mesmo protocolo de aplicações, com solução salina (NaCl 0,9%, 25 mL/animal/dia). Nos dias 0, antes do tratamento, e 10 foi realizada biópsia hepática para expressão gênica dos marcadores de estresse oxidativo glutationa peroxidase 1 (GPX1) e superóxido dismutase 2 (SOD2). Ainda, os animais foram avaliados quanto à ingestão de matéria seca (IMS) através de alimentares automáticos nos dias 1 e 10 pós-parto. Para análise estatística, foi utilizado o software Graphad Prism 7 e realizado o método ANOVA de uma via, seguido de teste Tukey para comparação de médias. Além disso, foi realizada Correlação de Pearson para correlacionar as variáveis mensuradas. Foram considerados valores significativos quando P < 0,05 e tendência quando P < 0,1 correlação foi considerada fraca (< 0,5), moderada (0,5 a 0,7) ou forte (> 0,7). Quanto aos resultados, o grupo B+C apresentou tendência à menor expressão de GPX1 no dia do parto quando comparado ao controle no mesmo período (0,49 ± 0,04 vs 1 ± 0,13; respectivamente; P = 0,098), enquanto no dia 10 se manteve igual entre os grupos (B+C = 0,86 ± 0,17 vs CON = 0.99 ± 0,15; P = 0,9). Em relação aos resultados de SOD2, não foram observadas diferenças entre os grupos ou períodos (CON D0 = 1 ± 0,34; B+C D0 = 1,11 ± 0,22; CON D10 = 0.77 ± 0,21; B+C D10 = 0,82 ± 0,15; P > 0,05). A IMS foi semelhante entre grupos durante o período avaliado (B+C D1 = 17,30 ± 1,66; CON D1= 21,38 ± 3,16; B+C D10 = 24,23 ± 2,84; CON D10 = 18,55 ± 3,24; P = 0,3279). Ainda, houve correlação positiva entre a expressão de GPX1 e IMS (r = 0,61; P = 0,03). A menor expressão de GPX1 em animais que receberam o tratamento com butafosfan associado à cianocobalamina no dia do parto, indica que esses animais possivelmente apresentaram um status oxidativo mais atenuado, sendo apenas um fator de indivíduo e sem efeito do tratamento. Ademais, a correlação entre a expressão de glutationa peroxidase e a ingestão de matéria seca sugere que o composto é capaz de modular essas rotas metabólicas, entretanto, são necessários mais estudos a fim de esclarecer a influência das substâncias estudadas e como atuam nessas rotas. Portanto, a utilização de três aplicações de butafosfan associado à cianocobalamina não interferiu na expressão de genes relacionados ao status oxidativo de vacas leiteiras de alta produção no pós-parto recente.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
SILVEIRA, R.; PIZONI, C.; DE OLIVEIRA FEIJÓ, J.; ROSSI KOMNINOU, E.; AUGUSTO BURKERT DEL PINO, F.; NUNES CORRÊA, M. INFLUÊNCIA DA ADMINISTRAÇÃO DE BUTAFOSFAN ASSOCIADO À CIANOCOBALAMINA SOBRE O ESTRESSE OXIDATIVO EM VACAS LEITEIRAS NO PÓS-PARTO RECENTE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.