INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA-RELATO DE CASO

  • Antonielli Radtke
  • Antonielli Dos Santos Radtke
  • Alessandra Da Silva Ofredi
  • Giulia Batista de Freitas
  • Thaís Cristina Vann
  • Júlia Nobre Parada Castro
  • Paula Priscila Correia Costa
Rótulo Insuficiência, cardíaca, congestiva, Doença, valva, mitral, Edema, pulmonar

Resumo

A insuficiência cardíaca congestiva (ICC) é classificada como uma das principais causas de óbitos nos cães. Ela geralmente acomete cães idosos, de pequeno a médio porte, mas também pode acometer cães adultos. Essa patologia é decorrente de uma degeneração mixomatosa da válvula mitral, que inviabiliza o fechamento da válvula durante a sístole e com isso, o coração não é mais capaz de bombear a quantidade necessária de sangue para o organismo. A progressão dessa doença e o aumento da gravidade da regurgitação valvar causam uma sobrecarga de volume do coração esquerdo, levando ao remodelamento atrial e ventricular esquerdos e assim à ICC. Embora seja uma doença de caráter progressivo, seus efeitos podem ser reduzidos com um tratamento adequado e com isso prolongar a vida do animal, mas, é importante deixar claro que se trata de uma doença com um prognóstico muito variável e dependente de cada animal, comorbidades associadas e cuidados do tutor com o mesmo. Esse estudo tem como objetivo relatar um caso de insuficiência cardíaca congestiva em um animal da espécie canina, da raça Yorkshire terrier, com 15 anos de idade, fêmea, castrada. O animal presente no estudo foi atendido no Hospital de Clínicas Veterinárias da UFPel (HCV-UFPel), na qual foi submetido ao exame clínico verificando os parâmetros vitais, tais como, frequência cardíaca, frequência respiratória, temperatura retal, tempo de preenchimento capilar, turgor cutâneo e também exames complementares como, hemograma, bioquímicos, hemogasometria e ecodopplercardiograma com o propósito de diagnosticar quadros patogênicos decorrentes da ICC. No exame clínico foi observado que o animal apresentava-se alerta, com mucosas normocoradas, frequência cardíaca de 140 bpm, temperatura de 38,5°C, na ausculta pulmonar não foi observado sons sugestivos de edema pulmonar e também foi observado uma desidratação leve através do pregueamento cutâneo. No hemograma as principais alterações foram o aumento de proteínas plasmáticas totais, fibrinogênio e plaquetas. Já no bioquímico houve um aumento considerável de uréia e o animal apresentava o soro levemente lipêmico, sugerindo um aumento de triglicerídeos, mas que não foi dosado no exame. Além disso foi realizado o ecodopplercardiograma que teve alterações principalmente em valva tricúspide, sendo observado espessamento, fechamento inadequado e presença de refluxo sistólico diastólico. O animal vinha sendo tratado com Benazepril na dose de 0,25 mg/kg bid, Furosemida 2mg/kg, BID e Espironolactona 2 mg/kg, BID. Todas essas medicações utilizadas possuem apenas efeito paliativo e não curativos. No dia 30/06/2021 o animal infelizmente veio a óbito e foi encaminhado para exame anatomopatológico para verificar as alterações causadas pela doença. Na inspeção externa do cadáver foi observado áreas alopécicas e pelo quebradiço, pele fina e havia melanoderma nas regiões glabras. Em cavidade abdominal, torácica e peritônio foi encontrado a presença de líquido avermelhado. O coração apresentava-se em formato globoso e havia valvopatia mixomatosa nas válvulas tricúspide e mitral. Além disso, as válvulas mitral e tricúspide estavam espessadas. Foi concluído que a causa da morte do animal foi insuficiência cardíaca congestiva direita e esquerda e que as lesões de pele são características de endocrinopatia, entretanto, não foi possível determinar o diagnóstico pois as glândulas adrenal, hipófise e tireóide estavam em autólise. Portanto, a Insuficiência cardíaca congestiva é uma doença de grande frequência nos animais, de caráter progressivo, lento e que não possui cura, por isso, quanto antes diagnosticada, melhor as chances de sobrevida. O animal analisado no estudo infelizmente veio a óbito, mas em casos de animais diagnosticados precocemente pode ser instituído o tratamento adequado, para amenizar sintomas e diminuir ocorrências e complicações decorrentes da enfermidade e, não menos importante, a qualidade de vida do animal.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2022-11-23
Como Citar
RADTKE, A.; DOS SANTOS RADTKE, A.; DA SILVA OFREDI, A.; BATISTA DE FREITAS, G.; CRISTINA VANN, T.; NOBRE PARADA CASTRO, J.; PRISCILA CORREIA COSTA, P. INSUFICIÊNCIA CARDÍACA CONGESTIVA-RELATO DE CASO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 2, n. 14, 23 nov. 2022.