REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA SOBRE O USO DE METODOLOGIAS ATIVAS NO ENSINO DE LÍNGUAS

  • Bruna Machado da Rosa
  • Juliana da Silveira Machado
  • Camila Gonçalves dos Santos do Canto
Rótulo Metodologias, Ativas, Ensino, Línguas, Tecnologias, Digitais, Informação, Comunicação

Resumo

Com o advento das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC) as práticas de ensino de línguas passaram por ressignificações metodológicas. A cultura digital, vivenciada por alunos e professores, fez com a sala de aula de língua, materna e/ou estrangeira, fosse repensada, uma vez que espaços presenciais e virtuais de aprendizagem se mostraram potencializadores para interagir, criar, estabelecer relações e aprender (MORAN, 2018). Levando em consideração este cenário, bem como a relevância de experiências de aprendizagem ativa (MORAN, 2010) na contemporaneidade, o presente estudo tem como objetivo apresentar uma revisão sistemática da literatura sobre o uso das Metodologias Ativas no ensino de línguas com o intuito de responder a seguinte questão de pesquisa: Quais metodologias ativas estão sendo utilizadas nas aulas de línguas (materna e estrangeiras)? Na intenção de verificar de maneira mais aprofundada o uso dessas metodologias, delinearam-se os seguintes objetivos específicos: (a) analisar as potencialidades e limitações das Metodologias Ativas nas práticas de ensino de línguas a partir de pesquisas já realizadas; (b) verificar o ano das produções, bem como a língua alvo de cada uma e (c) averiguar o uso das TDIC no processo de implementação de Metodologias Ativas nas aulas de línguas. O caráter ativo da aprendizagem, já discutido por Dewey (1950), Freire (1996) e Vygotsky (1998), aponta que a construção do saber por meio da experimentação, questionamento e interação é mais profundo, uma vez que níveis complexos de conexões emotivas e cognitivas são demandados. Na aprendizagem ativa o aluno é o protagonista da sua jornada de aprendizagem. Com o crescente uso das tecnologias na educação é necessário refletir sobre ferramentas e metodologias que potencializem o processo de ensino-aprendizagem de línguas, de modo que o discente seja protagonista na construção do conhecimento. Do ponto de vista teórico a pesquisa é elaborada a partir dos pressupostos da Aprendizagem Ativa (MORAN, 2018), Gamificação (MORAN, 2018; LEFFA, 2020), Sala de Aula Invertida (BERGMANN; SAMS, 2012), Aprendizagem Baseada em Projetos (MORAN, 2018) e a Aprendizagem Baseada em Problemas (MUNHOZ, 2019). Do ponto de vista metodológico, a elaboração da pesquisa se deu, primeiramente, a partir de uma discussão do recorrente uso das Metodologias Ativas no cenário educacional, nesse sentido foram organizadas reuniões quinzenais para discussão dos materiais a serem pesquisados e fichados conforme tabela estipulada pelo grupo para organização do material bibliográfico da pesquisa, seguido do levantamento e fichamento de referencial teórico; que fora encontrado online através de motores de busca como Google Acadêmico, Portal Capes e Scielo. Para encontrar o maior número de trabalhos referentes ao uso das Metodologias Ativas no ensino de línguas foram utilizados alguns descritores: Metodologias Ativas e ensino de línguas, Metodologias Ativas e ensino de Português/Inglês/Espanhol/Francês, Aprendizagem de Línguas e Metodologias Ativas. Dessa forma ao total do levantamento de material bibliográfico analisaram-se 25 trabalhos acadêmicos, entre eles 68% sendo artigos, 16% resumos ou relatos, 8% dissertações, 4% livros digitais e 4% trabalhos de conclusão de curso, os quais fizeram uso das Metodologias Ativas de Aprendizagem, como por exemplo, a Aprendizagem Baseada em Projetos, Aprendizagem Baseada em Problemas, Gamificação e a Aprendizagem em Pares em diferentes contextos educacionais, bem como no ensino médio, técnico e superior. Os resultados prévios apontados pela análise do material revelam a aplicabilidade de ferramentas tecnológicas atreladas a metodologia de aprendizagem ativa em diferentes contextos de ensino, desde a educação básica até o ensino superior. Além disso, percebe-se que o uso das metodologias ativas é realizado comumente nas disciplinas de Língua Portuguesa, Língua Inglesa e Informática. Percebe-se que atrelar as tecnologias de maneira contextualizada é um desafio, entretanto, ressalta-se que o uso das metodologias ativas não está relacionado ao uso de ferramentas tecnológicas, ainda que estas sejam condutoras de experiências significativas, troca de conhecimentos e construção crítica. Nesse contexto, entende-se que as práticas pedagógicas devem acompanhar as necessidades de discentes e docentes, principalmente, estimular a autonomia e reflexão do aluno, diferentemente de um ensino bancário, este definido por Freire (2005) como um ensino baseado em depósito de informações sem construção crítica do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
MACHADO DA ROSA, B.; DA SILVEIRA MACHADO, J.; GONÇALVES DOS SANTOS DO CANTO, C. REVISÃO SISTEMÁTICA DA LITERATURA SOBRE O USO DE METODOLOGIAS ATIVAS NO ENSINO DE LÍNGUAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.