EXPERIÊNCIAS DE LEITURA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO FUNDAMENTAL

  • Rebeca Cunha
  • Clara Zeni Camargo Dornelles
Rótulo Experiência, leitura, Letramento, literário, Leitura, literária

Resumo

Esta pesquisa buscou refletir sobre o valor do letramento literário nas aulas de Língua Portuguesa, problematizando efeitos específicos da leitura literária para o leitor infanto-juvenil. A leitura é ferramenta para aprimoramento cognitivo, compreensão do mundo, instrumento de poder e posicionamento crítico diante da sociedade, sendo assim, este trabalho vem mostrar a importância de incentivar o gosto pela leitura, bem como o pensar o texto e além do texto, mas o contexto, permitindo interpretações diversificadas, e também uma reflexão transformadora. No contexto de um projeto de leitura de poemas na escola, os estudantes produziram textos que apresentam as interpretações possíveis para o poema "Cidadezinha", de Mário Quintana. Nesta comunicação, analisamos os textos produzidos pelos alunos a partir da leitura literária, para discutir os diferentes olhares para o mesmo poema. Pretendemos, a partir dessa análise, apontar sinais de experiências de leitura. Esta é uma pesquisa qualitativa (DENZIN; LINCOLN, 2006) e exploratória (GIL, 1991), que considera a percepção da docente-pesquisadora junto à turma participante do projeto de leitura - uma turma de 6º ano do ensino fundamental. Os dados analisados são textos escritos pelos alunos a respeito ou motivados pela leitura do poema citado. O referencial teórico está embasado nas concepções de letramento literário (COSSON, 2011; 2014), de leitura literária (COLOMER, 2003) e de experiência de leitura (LARROSA, 1996, 2002, 2009). A partir da proposta de relacionar a cidade de esteio, onde estudam os alunos da pesquisa, para com o poema Cidadezinha obteve-se como resultado uma troca entre o texto e os leitores permitindo novas percepções e novos diálogos, tensões e transformações. Após a leitura do poema e, nas primeiras problematizações, percebeu-se nas interpretações dos alunos diferentes olhares para o termo diminutivo do poema mostrando que o envolvimento com os enunciados e a constituição de inferências permitiu tais interpretações, as quais no letramento literário vai dependerá da história de leitor do aluno, das relações familiares, e tudo mais que constitui o contexto da leitura. Provocações que incentivam o pensar sobre o poema oferece oportunidade de compartilhar interpretações e ampliar os sentidos construídos individualmente, ganhando consciência de que se faz parte de uma coletividade a qual fortalece e amplia horizontes de leitura. A análise dos registros realizados diante da leitura do poema demonstrou que a construção de sentidos do texto se dá diante do protagonismo do leitor, que integra elementos de sua vivência ao conteúdo textual, ou seja, para que ocorra a interpretação é necessário a interação entre o autor e o leitor, considerando os elementos linguísticos do texto, sua organização e os saberes envolvidos, ou seja, não é algo inerente ao texto, mas que se constrói concomitantemente. Também foram identificados sinais de experiências de leitura, quando os alunos elaboraram sobre seus sentimentos diante do processo de leitura literária. Muitos momentos de leitura literária contemplarão vivências no nível da simples leitura, outras, no nível do interpretar e outras que oferecerão grande possibilidade de um envolvimento além do texto, mas no nível da experiência, um envolvimento genuíno e subjetivo, que gere momentos reais de experiência para muitos. Para isso, o professor tem em suas mãos um grande poder: oportunizar o mundo ao alcance de seus alunos. Essa experiência rica é que permitirá o reconhecimento de si e do outro tornando o mundo mais humano.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
CUNHA, R.; ZENI CAMARGO DORNELLES, C. EXPERIÊNCIAS DE LEITURA NAS AULAS DE LÍNGUA PORTUGUESA DO ENSINO FUNDAMENTAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.