A TRAJETÓRIA DE UMA MULHER SURDA PARA TORNAR-SE DOCENTE EM ENSINO DE LIBRAS: EDUCAÇÃO, QUEBRA DE BARREIRAS E ACESSIBILIDADE

  • Paula Maiane da Silva Cavalheiro
  • Paula Maiane da Silva Cavalheiro
  • Francéli Brizolla
  • Claudete da Silva Lima Martins
Rótulo Educação, surdos, Método, autobiográfico, Quebra, barreiras, Acessibilidade, Libras

Resumo

Este trabalho apresenta uma discussão temática de origem autobiográfica sobre a trajetória de uma mulher surda até tornar-se docente no ensino de LIBRAS; assim, é produto de uma primeira parte de uma pesquisa autobiográfica, da qual se apresenta, neste trabalho, a revisão de literatura realizada para o tema, construída a partir de uma revisão sistemática do tipo integrativa. A pesquisa em andamento é desenvolvida no âmbito do Mestrado em Ensino (PPGMAE), na Universidade Federal do Pampa (campus Bagé). No percurso referido, destacam-se as questões conceituais relativas à surdez, à mulher surda, bem como, aos processos educacionais, quebra de barreiras e acessibilidade. A LIBRAS é a Língua Brasileira de Sinais reconhecida, instituída pela lei 10.436/2002; o ensino de LIBRAS nas universidades foi instituído pelo decreto 5626/2005. Desde então passou a fazer do currículo como disciplina obrigatória em alguns cursos de graduação, esse é um dos motivos que justificam a realização desta pesquisa, e também o fato de que professores surdos atuam como docentes de LIBRAS nas instituições e enfrentam diversas adversidades para chegar até essa posição. A cultura surda tem aspectos muito específicos e entender esses aspectos é importante, é necessário que se estabeleça contato com uma pessoa surda fluente em LIBRAS para acessar a fluência nessa língua, pois a cultura surda é parte indissociável da aquisição da língua. Desse modo, se justifica a construção desta narrativa autobiográfica, trazendo não apenas as barreiras os momentos de incerteza, falta de acesso e inclusão como também os momentos de vitória e superação, mostrando para outros estudantes surdos que é possível enfrentar as adversidades e vencer os desafios através de luta por acessibilidade que é garantida conforme a lei nº 10.098/2000 (Lei da Acessibilidade), definindo as medidas necessárias para a superação de barreiras atitudinais, linguísticas, comunicacionais e arquitetônicas. O método autobiográfico compreende essencialmente a subjetividade: sentimento, experiência, interação e percepção no contexto, se caracteriza em realizar investigações, avaliar e sistematizar conhecimentos advindos da experiência pessoal, como um retrato da perspectiva social mais ampla. A pesquisa de busca de palavras-chave foi realizada na área da educação e/ou ensino, entre maio a julho de 2021, utilizando como fontes de dados o Catálogo de Teses e Dissertações Portal de periódicos CAPES, a Biblioteca Digital Brasileira em teses e dissertações BDTD e os artigos - Portal SciELO, com a utilização de descritores combinados a partir do operador booleano AND, além de combinação de filtros possíveis em cada busca. O resultado obtido com esta revisão integrativa permite debater sobre a área da educação dos surdos, oportunizando reflexão da história da vida de uma pessoa surda para outra pessoa surda ou ouvinte, explorando os aspectos das barreiras e das adversidades da diversidade, bem como, mostrando a importância do reconhecimento dos direitos à inclusão e à educação e convivência em sociedade. Os trabalhos encontrados mostram que a acessibilidade é essencial para atendimento da inclusão na universidade, quebra de barreiras para participação e desenvolvimento de acadêmicos surdos e ouvintes em graduação e pós-graduação e docentes surdos de LIBRAS, no ensino de LIBRAS e na área da educação dos surdos, reconhecidos como sujeitos de direitos. Espera-se demonstrar a quebra de barreiras com a utilização de LIBRAS para esta convivência e para a qualidade de trabalho e estudo na instituição onde se realiza a atuação profissional, com acessibilidade comunicacional, pedagógica e atitudinal. Os estudantes surdos e professores surdos têm todos os direitos para acessibilidade, porém, há falta de mais intérpretes de LIBRAS na Universidade. É fundamental a presença de um/a intérprete para o desenvolvimento dos processos de ensino, pesquisa, extensão e gestão, o que não tem sido garantido pela Unipampa em diversos campi da universidade, devido à precariedade pela qual passam as políticas públicas de inclusão no Ensino Superior, no atual momento histórico.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
MAIANE DA SILVA CAVALHEIRO, P.; MAIANE DA SILVA CAVALHEIRO, P.; BRIZOLLA, F.; DA SILVA LIMA MARTINS, C. A TRAJETÓRIA DE UMA MULHER SURDA PARA TORNAR-SE DOCENTE EM ENSINO DE LIBRAS: EDUCAÇÃO, QUEBRA DE BARREIRAS E ACESSIBILIDADE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.