A CONSTRUÇÃO DA TEMÁTICA DA EDUCAÇÃO NAS PÁGINAS DO JORNAL DEFATO (1986-1987)

  • Matheus Rodrigues dos Santos
  • Alessandro Carvalho Bica
Rótulo Educação, Jornal, DeFato, História

Resumo

O presente trabalho, situado no campo da História da Educação, buscou investigar a construção do percurso educacional bajeense através das páginas do Jornal Defato (1986-1987), atentando, em específico, para como fora feito o debate acerca da temática nos anos que antecederam a promulgação da Constituição Federal (CF), de 1988, e da Nova República (1985-atual). Criado em meio a um contexto de efervescência política devido à redemocratização, o semanário surgira enquanto uma alternativa de leitura a um dos folhetins mais antigos publicados no estado do Rio Grande do Sul: o Correio do Sul (1914-2008), de Bagé; que, à época, era vinculado aos latifundiários bajeenses e possuía uma linha editorial governista. A escolha por utilizarmo-nos do impresso supracitado como fonte de pesquisa para o desenvolvimento da escrita deu-se, dentre outros motivos, devido a esse caráter alternativo o qual ele possuía, que o fazia soar como uma voz dissidente se em comparação com o que a mídia tradicional e hegemônica da cidade apresentava. A história da imprensa alternativa (IA) no Brasil se confunde com a própria fundação da República (PETRARCA, 2010), tendo em vista a comum postura subversiva que esse tipo de veículo sempre adotara em seus posicionamentos. Ainda assim, durante muito tempo esses periódicos ficaram relegados ao descrédito, como se tratassem-se de algo secundário, de menor valor, por estarem fora do establishment que constituía a organização do Estado naquele momento. É somente em meio a Ditadura Militar (1964-1985), entretanto, que mídias não-governistas passam a ter uma maior notoriedade em decorrência da influência política que adquirem ao denunciar as arbitrariedades criminosas, cometidas pelos militares, dentro do Regime. O caráter questionador que impressos tais quais esses possuíam, por sua vez, propiciara um olhar amplo e contextualizado sobre a conjuntura política do período, bem como corroborou para que vislumbrássemos o modo como esse momento de ebulição social e de ruptura para com o militarismo ajudou na construção de norteadores os quais pautam a educação brasileira ainda hoje. Dessa forma, fez-se necessário refletir a respeito do modo pelo qual os discursos relacionados à educação eram feitos no DeFato, assim como quem os fazia. Para tanto, elegemos como objetos de análise as colunas destinadas a professores e educadores e também os editoriais do jornal, pois esses tópicos proporcionam uma delimitação mais precisa do tema em questão. Isso nos permitiu perceber que, ao tentar-se romper com os tempos de repressão, tendo em vista o momento de abertura de vozes, noções democráticas começaram a ser pautadas na educação brasileira; a escola conteudista, de noções autoritárias e pragmáticas, ficara para trás e a concepção de uma formação cidadã começara a guiar o debate público referente ao assunto. De tal modo, o ambiente escolar passara a ter um caráter de extrema-importância no que dizia respeito ao pensar os rumos que a sociedade viria a ter no futuro. E, em conjunto das demais temáticas que passaram a integrar o chamado Tripé da Cidadania, composto por Saúde, Segurança e Educação, o tema ganhara uma ampla cobertura midiática e plantara sementes que fazem com que documentos de lei ou norteadores surgidos nos anos e nas décadas seguintes, como a Constituição Federal (1988), a Lei de Diretrizes e Bases (1996) e os próprios Parâmetros Curriculares Nacionais (1998), continuem a nortear o campo educacional brasileiro ainda que nos dias atuais.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
RODRIGUES DOS SANTOS, M.; CARVALHO BICA, A. A CONSTRUÇÃO DA TEMÁTICA DA EDUCAÇÃO NAS PÁGINAS DO JORNAL DEFATO (1986-1987). Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.