POLIMORFISMO BSMI DO GENE VDR (RECEPTOR DA VITAMINA D), CONSUMO ALIMENTAR E NÍVEIS SÉRICOS DE VITAMINA D NA POPULAÇÃO NEGRA

  • Débora Alejandra Vasquez Rubio
  • Lyana Feijoó Berro
  • Lauren Alicia Flores Viera dos Santos
  • Ana Letícia Vargas Barcelos
  • Jacqueline da Costa Escobar Piccoli
  • Vanessa Rosa Retamoso
Rótulo Negros, Vitamina, Gene, VDR, Polimorfismo, BsmI

Resumo

A vitamina D é responsável por diversas atividades no organismo, como a modulação da imunidade e síntese de interleucinas inflamatórias, reguladora da fisiologia osteomineral, controle da pressão arterial, diferenciação celular (Schuch et al., 2009; Hewison, 2009), o que a torna essencial para a manutenção de uma vida saudável. Sabe-se que grande parte da população mundial tem baixos níveis de vitamina D, caracterizando a hipovitaminose D (Lichtenstein et al., 2013). Populações afrodescendentes tendem a ter uma maior deficiência quando comparado a caucasianos (Rostand, 2010). As concentrações séricas de vitamina D são dependentes da região geográfica, da estação do ano, da faixa etária, tempo de exposição a radiação UVB, uso de protetor solar, consumo da vitamina, obesidade e gestação (Premaor, Furlanetto, 2006; Yanoff, et al., 2006). Ainda, fatores genéticos parecem predispor à hipovitaminose D. A forma ativa da vitamina D é a 1, 25-di-hidroxivitamina D, seu nível nas células e sua circulação são regulados pelo seu receptor chamado VDR (HAJJ et al., 2016). O gene que codifica o VDR está localizado no braço longo do cromossomo 12 (locus 12q12-q14) e polimorfismos ligados a ele foram associados a doenças cardiovasculares, síndrome metabólica, aumento do risco de Diabetes tipo 2, resistência à insulina, perfil lipídico desfavorável, aumento da pressão arterial, obesidade e mortalidade (HAJJ et al., 2016). Assim, o polimorfismo BsmI surge como um possível marcador genético de hipovitaminose, por consequência, o objetivo do presente estudo é verificar se há associação entre os genótipos do BsmI, consumo alimentar e autodeclaração de cor. Participaram do estudo voluntários adultos (≥ 18 a 59 anos), de ambos os sexos, que foram recrutados na comunidade nos municípios de São Borja e Uruguaiana. Após a assinatura do TCLE, a coleta de dados foi realizada pela aplicação do questionário com dados de identificação, autodeclaração de raça/cor, perfil sócio econômico e demográfico. O consumo alimentar foi realizado pelo recordatório R24. Coleta de sangue venoso foi realizada com jejum de 12 horas para análises bioquímicas e genéticas. A dosagem de vitamina D sérica foi realizada pelo método de quimioluminescência. Para a extração de DNA foi utilizado kit de extração Invitrogen. O DNA genômico foi utilizado para análises moleculares como amplificação e genotipagem através de PCR em tempo real do polimorfismo BsmI do gene VDR. O presente estudo foi aprovado pelo CEP-UNIPAMPA / CONEP 977827. Constituíram a amostra 117 sujeitos, destes, até o presente momento, 104 tiveram genotipagem completa e constituem os dados deste resumo, 48 (46,2%) autodeclarados negros, os quais são separados em pretos (19,6%) e pardos (26,4%), e 56 (53,9%) autodeclarados brancos, 49 (47,1%) homens e 55 (52,9%) mulheres. A frequência genotípica do SNP BsmI foi GG= 36 (34,6%); GA= 50 (48,1%) e AA= 18 (17,3%). A média de vitamina D da amostra foi 19,2 ng/mL e a média do consumo alimentar de vitamina D foi de 2,2 μg. Não houve diferença estatisticamente significativa entre as médias de vitamina D (p=0,592) e de consumo alimentar por vitamina D (p=0,817) sérica e os genótipos do BsmI. A comparação entre os valores de vitamina D demonstrou associação estatisticamente significativa entre média de vitamina D e autodeclaração de cor, sendo que autodeclarados pretos apresentam média significativamente menor de vitamina D (15,7±4,6 ng/mL) quando comparados com autodeclarados brancos (20,5±6,0 ng/mL), p=0,005. Pardos não apresentaram diferença significativa na média de vitamina D (19,2±6,0 ng/mL) quando comparados com brancos. Diante dos resultados, podemos concluir que baixos níveis séricos de vitamina D esteve associado à autodeclaração de cor preta, mas não foram influenciados pelo genótipo do VDR BsmI. Estudos complementares são necessários para melhor esclarecer o mecanismo envolvido nos baixos níveis de vitamina D na população negra.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
ALEJANDRA VASQUEZ RUBIO, D.; FEIJOÓ BERRO, L.; ALICIA FLORES VIERA DOS SANTOS, L.; LETÍCIA VARGAS BARCELOS, A.; DA COSTA ESCOBAR PICCOLI, J.; ROSA RETAMOSO, V. POLIMORFISMO BSMI DO GENE VDR (RECEPTOR DA VITAMINA D), CONSUMO ALIMENTAR E NÍVEIS SÉRICOS DE VITAMINA D NA POPULAÇÃO NEGRA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.