A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADOS: REVISÃO INTEGRATIVA

  • Isabella Nebenzahl Gomes
  • Rayssa Paz Rodrigues Cogorni
  • Bruna da Silveira Quadros
  • Ana Laura Alves Saraiva
  • Ana Raquel Rojas Cordeiro
  • Kelly Dayane Stochero Velozo
Rótulo Criança, Institucionalizada, Adolescente, Institucionalizado, Enfermagem

Resumo

O acolhimento em instituições para crianças e adolescentes, de uma forma geral, ocorre quando estes estão vivenciando situações de suscetibilidade socioeconômica com riscos à saúde física e/ou mental, e também em situações de violência infanto-juvenil. Nestas instituições de acolhimento, às crianças e adolescentes costumam ficar sob a responsabilidade de profissionais cuidadores, que têm o papel de prestar os cuidados necessários. Porém, é importante destacar que cada criança e adolescente precisa de um cuidado individualizado e, muitas, apresentam problemas de saúde com necessidade de tratamento e acompanhamento por profissionais da saúde. Diante disso, surgiu a curiosidade para saber o que há publicado sobre a inserção dos profissionais de Enfermagem nas instituições de acolhimento infanto-juvenil. Objetivou-se conhecer as evidências disponíveis na literatura sobre a atuação da enfermagem com crianças e adolescentes institucionalizados. Trata-se de uma revisão integrativa de literatura que seguiu as seis etapas preconizadas, apresentadas na sequência. Etapa 1, questão norteadora da revisão: Quais as evidências disponíveis na literatura sobre a atuação da enfermagem com crianças e adolescentes institucionalizados?. Etapa 2, amostragem: a busca foi realizada em agosto de 2021 nas bases de dados Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde (LILACS) e Base de Dados de Enfermagem (BDENF), via Portal Regional da Biblioteca Virtual em Saúde (BVS), utilizando descritores em inglês com operadores booleanos na seguinte combinação ("Child, Institutionalized" OR "Children, Institutionalized" OR "Institutionalized Child" OR "Institutionalized Children" OR "Adolescent, Institutionalized" OR "Adolescents, Institutionalized" OR "Institutionalized Adolescent" OR "Institutionalized Adolescents" ) AND (nursing OR nurses OR nurse) AND ( db:("BDENF" OR "LILACS")). Critérios de inclusão: artigos oriundos de estudos primários, nos idiomas português, inglês e espanhol. Foram excluídas publicações que não correspondiam à temática ou que não respondessem à questão da revisão. Etapa 3, categorização dos estudos: ao realizar a busca, identificaram-se 58 artigos. Realizou-se a leitura dos resumos destas publicações, a fim de identificar se preenchiam os critérios de inclusão e/ou exclusão. Foram excluídas 55 publicações: 15 publicações não eram artigos, 2 não eram artigos primários, 24 não eram da temática e 14 não respondiam à questão de pesquisa. Etapa 4, avaliação dos estudos incluídos: análise crítica das 3 publicações incluídas. Etapa 5, interpretação dos resultados: todos os artigos incluídos foram publicados no Brasil, entre os anos de 2010 a 2020. Etapa 6, apresentação da revisão. Como resultados encontrados, foi evidenciada a importância da inserção do profissional de enfermagem para realizar o preparo e administração de medicamentos orais em instituições, pois foi observado o desconhecimento dos profissionais cuidadores quanto ao cuidado, higienização e assepsia antes da manipulação dos medicamentos a serem administrados nos institucionalizados. Em outra pesquisa pode-se observar que os cuidados do enfermeiro vão além da realização de procedimentos de enfermagem, aflorando mais o lado humanístico do profissional, permitindo o envolvimento, o diálogo e o protagonismo das crianças e adolescentes institucionalizados, estimulando a autonomia e a singularidade individual. O enfermeiro quando inserido em unidade de acolhimento pode promover uma melhor assistência para a saúde dos adolescentes institucionalizados, além disso pode contribuir com a capacitação dos profissionais cuidadores quanto às orientações e manejo adequado ao adolescente. A principal limitação desta revisão integrativa foi a busca em apenas duas bases de dados, porém a revisão está em andamento e serão incluídas outras bases de reconhecimento mundial, a fim de explorar melhor a temática em estudo. Também, o que pode explicar a pouca quantidade de estudos incluídos é que na maioria das instituições de acolhimento não há a atuação de profissionais de enfermagem. A partir da revisão realizada, percebe-se a pouca quantidade de estudos sobre a inserção da enfermagem em instituições de acolhimento infanto-juvenil. Evidenciando assim, a necessidade de estudos adicionais sobre a temática da importância da atuação do enfermeiro, e da enfermagem, com crianças e adolescentes institucionalizados.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
NEBENZAHL GOMES, I.; PAZ RODRIGUES COGORNI, R.; DA SILVEIRA QUADROS, B.; LAURA ALVES SARAIVA, A.; RAQUEL ROJAS CORDEIRO, A.; DAYANE STOCHERO VELOZO, K. A ATUAÇÃO DA ENFERMAGEM COM CRIANÇAS E ADOLESCENTES INSTITUCIONALIZADOS: REVISÃO INTEGRATIVA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.