EFEITO DO HIDROLISADO DA CLARA DO OVO SOBRE O AUMENTO PRESSÓRICO INDUZIDO PELA HIPERTENSÃO ARTERIAL NO MODELO DOCA-SAL.

  • Camila Rodrigues Moro
  • Edina Abreu
  • Marta Miguel
  • Luciana Rossoni
  • Ricardo Bernardino
  • Giulia Alessandra Wiggers
Rótulo Hidrolisado, Clara, Ovo, DOCA-Sal, Anti-hipertensivo

Resumo

A hipertensão arterial é uma doença crônica, caracterizada pela elevação dos níveis pressóricos exercidos nas paredes arteriais, é um importante fator de risco na predisposição para o surgimento das doenças cardiovasculares na população. As alternativas terapêuticas farmacológicas e não-farmacológicas empregadas no tratamento dessa doença são fundamentais no controle de agravos à saúde das pessoas e na preservação dos fluxos de atendimento em rede de saúde pública, reduzindo demandas financeiras e assistenciais do sistema. Os alimentos funcionais de origem animal, como o Hidrolisado da Clara do Ovo (HCO), possuem atividade biológica através dos seus peptídeos bioativos com capacidade antioxidante através da inibição do complexo da NADPH Oxidase, anti-inflamatória através da diminuição dos níveis de ciclooxigenase-2 (COX-2), e anti-hipertensivas através da inibição da Enzima Conversora de Angiotensina (ECA) e receptores AT1 para angiotensina II. Dessa forma, estratégias terapêuticas dietéticas alternativas de baixo custo e fácil acesso econômico podem ser úteis no manejo da hipertensão arterial. Investigar os efeitos do Hidrolisado da Clara do Ovo sobre os níveis pressóricos e ponderais em ratos com hipertensão arterial induzida pelo modelo DOCA-Sal. Para a realização desse estudo, foram utilizados ratos Wistar machos de 12 semanas pesando em média ± 300g, divididos aleatoriamente 04 grupos e tratados durante 08 semanas em: a) Grupo SHAM (realizada nefrectomia unilateral + água destilada via gavagem); b) Grupo SHAM + HCO (realizada nefrectomia unilateral + HCO 1 g/kg/dia via gavagem); c) Grupo DOCA (realizada nefrectomia unilateral + acetato de desoxicorticosterona [1ª, 2ª à 3ª e 4ª à 8ª semanas: 20 mg/kg, 12 mg/kg e 6 mg/kg respectivamente] via subcutânea); d) Grupo DOCA + HCO (realizada nefrectomia unilateral + acetato de desoxicorticosterona [1ª, 2ª à 3ª e 4ª à 8ª semanas: 20 mg/kg, 12 mg/kg e 06 mg/kg respectivamente] via subcutânea e HCO 1 g/kg/dia via gavagem). Os animais do grupo DOCA e do grupo DOCA + HCO receberam diariamente como água de beber uma solução de NaCl (1%) + KCl (0,2%) e os demais animais dos grupos SHAM e SHAM + HCO receberam somente água de beber durante o tratamento. A pressão arterial sistólica foi mensurada semanalmente de forma não invasiva por pletismografia caudal e o peso corporal e peso relativo (PR) do fígado, do rim e do coração foram avaliados ao final do tratamento. Os resultados estão expressos em média ± erro padrão da média (EPM), foram comparados por ANOVA de uma via e considerado significante quando P < 0,05 (Aprovação: CEUA / Unipampa 003/2020). O Hidrolisado da Clara do Ovo preveniu o aumento da pressão arterial sistólica induzida pela hipertensão DOCA-Sal (Grupo SHAM: 116,5 ± 1,5; Grupo SHAM + HCO: 118,9 ± 0,7; Grupo DOCA: 194,9 ± 3,7*; Grupo DOCA + HCO: 153,9 ± 5,1*# mmHg - *vs SHAM #vs DOCA). A hipertensão induzida pelo modelo DOCA-Sal aumentou o peso relativo do fígado, rim e coração e o co-tratamento com o Hidrolisado da Clara do Ovo preveniu este efeito no fígado (FÍGADO: SHAM: 0,032 ± 0,001; SHAM + HCO: 0,031 ± 0,001; DOCA: 0,041 ± 0,001; DOCA + HCO: 0,035 ± 0,002; RIM: SHAM: 0,005 ± 1,88; SHAM + HCO: 0,005 ± 2,07; DOCA: 0,009 ± 4,12; DOCA + HCO: 0,007 ± 3,43; CORAÇÃO: SHAM: 0,003 ± 1,58; SHAM + HCO: 0,003 ± 1,04; DOCA: 0,004 ± 1,73; DOCA + HCO: 0,004 ± 1,99 g tecido/peso animal). O Hidrolisado da Clara do Ovo demonstrou efetivo efeito anti-hipertensivo em ratos com hipertensão arterial maligna induzida pelo modelo DOCA-Sal, caracterizando uma alternativa terapêutica dietética não-farmacológica potencial no tratamento dessa doença crônica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
RODRIGUES MORO, C.; ABREU, E.; MIGUEL, M.; ROSSONI, L.; BERNARDINO, R.; ALESSANDRA WIGGERS, G. EFEITO DO HIDROLISADO DA CLARA DO OVO SOBRE O AUMENTO PRESSÓRICO INDUZIDO PELA HIPERTENSÃO ARTERIAL NO MODELO DOCA-SAL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.