CUSTO DA IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO PARA A CULTURA DO ARROZ IRRIGADO EM FUNÇÃO DO FENÔMENO ENOS PARA URUGUAIANA/RS

  • Andreone Saueressig
  • Felipe Schmidt Dalla Porta
  • Dionatan Roberto Costa
  • Cleber Maus Alberto
  • Edenir Luis Grimm
  • Lorenzo Dalcin Meus
Rótulo Eficiência, Hídrica, El, Niño, Oscilação, Sul, Gestão, rural, Oryza, sativa, Variabilidade, Climática

Resumo

O arroz irrigado é uma das principais atividades agrícolas do estado do Rio Grande do Sul, desempenhando importante papel na geração de renda para o estado. Dentre as cidades que mais se destacam em produção está Uruguaiana, onde o principal método de irrigação ainda é por inundação, método que apresenta maior custo de produção, menor eficiência no uso da água, maior número de operações de preparo de solo e a impossibilidade de rotação de culturas. Devido a variabilidade climática, escassez de recursos hídricos, elevados custos de produção e a necessidade rotação de culturas para controle de pragas e plantas daninhas, o sistema de irrigação por aspersão utilizando o sistema de pivô-central surgiu como alternativa para proporcionar maior eficiência no uso da água, possibilitar a rotação de culturas como a soja e oferece maior controle sobre a lâmina de irrigação. O sistema pivô-central oferece uma série de vantagens ao produtor, no entanto a ocorrência do evento El Niño Oscilação Sul, sendo as fases quente El Niño, fria La Niña e Neutra quando entre ambos, capazes de influenciar diretamente no manejo de irrigação, ocasionando alterações na Temperatura média, Precipitação pluviométrica e na Evapotranspiração da Cultura. Assim, objetivou-se com esse trabalho estimar o volume e o custo da irrigação por aspersão em relação aos eventos El Niño Oscilação Sul em diferentes datas de emergência e lâminas de irrigação para a região de Uruguaiana no Rio Grande do Sul. O trabalho foi realizado com base na elaboração de uma planilha de cálculos por meio da plataforma Microsoft Excel® e contou com os dados de Temperatura e Precipitação fornecidos pelo Instituto Nacional de Meteorologia (INMET) e Evapotranspiração de referência do Sistema de Suporte a Decisão Agropecuária (Sisdagro). O ciclo de desenvolvimento da cultura foi calculado com base em método de cálculo de soma térmica para a cultivar IRGA 424 RI. As lâminas de irrigação foram calculadas como 100, 150 e 200% da evapotranspiração da cultura. As datas de emergência da cultura foram estipuladas a cada 15 dias entre 15 de setembro e 14 de dezembro entre os anos de 2010 e 2020 totalizando 10 safras agrícolas. O valor do kWh/mm foi obtido por meio da consulta a uma empresa da região levando em consideração a média dos últimos 5 anos sendo fixado em R$ 0,85. O custo e o volume irrigado levaram em consideração a evapotranspiração diária da cultura, quando superior a 5, 20 e 30 mm não foi contabilizada a irrigação no mesmo dia, no seguinte e nos dois dias seguintes, respectivamente. O volume médio irrigado foi de 566,17, 791,87 e 867,79 mm por hectare para os anos de El Niño, Neutro e La Niña, respectivamente. Já o custo médio da irrigação por aspersão para um ano de El Niño, La Niña e Neutro foi de R$ 470,59, R$ 738,14 e R$ 672,2 respectivamente. O fenômeno El Niño foi o que ocasionou menor volume irrigado entre os demais, e por consequência também apresentou o menor custo de irrigação para a cultura do arroz irrigado. Já o fenômeno La Niña apresentou o maior volume e custo de irrigação em comparação com os anos de El Niño e Neutro.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
SAUERESSIG, A.; SCHMIDT DALLA PORTA, F.; ROBERTO COSTA, D.; MAUS ALBERTO, C.; LUIS GRIMM, E.; DALCIN MEUS, L. CUSTO DA IRRIGAÇÃO POR ASPERSÃO PARA A CULTURA DO ARROZ IRRIGADO EM FUNÇÃO DO FENÔMENO ENOS PARA URUGUAIANA/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.