AVALIAÇÃO QUANTITATIVA E QUALITATIVA DAS ESPÉCIES JACARANDA MIMOSIFOLIA E LIGUSTRUM LUCIDUM LOCALIZADAS EM UMA ÁREA URBANA DE BAGÉ, RS

  • Maiara Resende Araújo
  • Cibele Rosa Gracioli
  • Rafael Marian Callegaro
Rótulo Ligustro, Jacarandá-mimoso, paisagismo, gestão, urbana, áreas, verdes

Resumo

A arborização urbana é essencial para a melhora da qualidade de vida da população, pois quando bem planejada traz vários benefícios para o local. Além disso, o replanejamento da arborização estabelecida, embasado por exemplo em avaliações dendrométricas e fitossanitárias, permite identificar características do crescimento da árvore e suas relações com as condições de cultivo, subsidiando intervenções que visem manter a qualidade das árvores urbanas e a expressão dos seus benefícios. Nesse contexto, o presente estudo teve como objetivo mensurar e avaliar a fitossanidade das espécies Jacaranda mimosifolia e Ligustrum lucidum, duas espécies encontradas em abundância na arborização urbana. O estudo ocorreu na Praça Silveira Martins em Bagé - RS, onde foram avaliados 56 indivíduos, sendo 39 da espécie jacarandá-mimoso e 17 de ligustro. Foi utilizado o aplicativo Clinômetro Florestal para mensurar a altura da copa e a altura total da árvore, além de uma trena com comprimento de 30 m para medir a distância entre o observador e a árvore, bem como uma fita métrica para mensurar a circunferência à altura do peito (CAP). Posteriormente, os valores de CAP foram transformados em diâmetro à altura do peito (DAP) por meio da seguinte equação: DAP = CAP/π. Foram realizadas três medições para as variáveis altura total e altura de copa de cada indivíduo. Após as três medições de cada árvore, foi calculada a média para que, assim, fosse determinada a altura total e a altura de copa de cada indivíduo mensurado. Em casos que não foi possível visualizar perfeitamente a copa da árvore devido à obstrução visual, optou-se por não mensurar essa variável do indivíduo. A qualidade da copa e as condições fitossanitárias foram avaliadas em três classes: boa, regular e ruim. Para a qualidade da copa, na classe boa estão inseridas árvores com a copa está inteira e bem distribuída, sem deformações ou podas. A classe regular inclui árvores em que a copa tem pequenas deformações, ramos quebrados ou leves podas. Na classe ruim estão as árvores com copa muito deformada, com ausência de galhos ou podas drásticas. Já para a avaliação de fitossanidade, a classe boa inclui árvores em que o indivíduo se apresenta vigoroso, sem sinais de doenças, pragas ou danos mecânicos. Na classe regular estão inseridos os indivíduos que apresentam um leve grau de danos mecânicos, doenças ou pragas e na classe ruim os indivíduos que apresentam graus severos de danos mecânicos, doenças ou pragas. Para a espécie ligustro, os resultados obtidos para o diâmetro indicam que as árvores avaliadas possivelmente têm idade avançada, visto que 88% dos indivíduos possuem diâmetro superior a 20 cm, valor apresentado como potencial para essa espécie. Em termos de altura, considera-se que a espécie geralmente atinge 7 a 10 m. 41% dos indivíduos apresentaram alturas iguais ou superiores a 7 m, enquanto que apenas um indivíduo se mostrou maior que 10 metros. A análise qualitativa evidenciou que a fitossanidade boa foi observada apenas em dois indivíduos de ligustro, enquanto 14 apresentaram fitossanidade regular ou ruim e uma não foi classificada. Já a qualidade da copa foi considerada boa para nove indivíduos. Entre os indivíduos do jacarandá-mimoso, 41% dos indivíduos tiveram diâmetro entre 32,0 cm e 41,9 cm, sendo 50 cm o valor potencial máximo para a espécie. Quanto a altura total, 11 indivíduos apresentaram altura de 6,0 a 11,9 m, 20 indivíduos de 12,0 a 17,9 e oito de 18,0 a 24,0 metros de altura. Sobre a altura da copa da espécie jacarandá-mimoso foi observado que 83% dos indivíduos possuíam altura superior a 5,5 m, limite superior da classe de maior altura de copa da espécie ligustro. A condição fitossanitária geral das árvores de jacarandá-mimoso é boa, com 69% dos indivíduos, seguida da regular em 23% e da ruim em 8%. Por outro lado, a qualidade da copa das árvores do jacarandá-mimoso é predominantemente regular e ruim, com 64% do total, em comparação com qualidade de copa boa em 36% dos indivíduos. Os resultados encontrados indicam que são necessárias intervenções na arborização urbana com as espécies ligustro e jacarandá-mimoso visando corrigir problemas fitossanitários e condições de cultivo que estão descaracterizando as copas das espécies.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
RESENDE ARAÚJO, M.; ROSA GRACIOLI, C.; MARIAN CALLEGARO, R. AVALIAÇÃO QUANTITATIVA E QUALITATIVA DAS ESPÉCIES JACARANDA MIMOSIFOLIA E LIGUSTRUM LUCIDUM LOCALIZADAS EM UMA ÁREA URBANA DE BAGÉ, RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.