VARIAÇÃO TEMPORAL DO NDVI NA CULTURA DO MILHO SILAGEM EM ALEGRETE/RS

  • Vanessa Bassin Cogo
  • Sueli Elisa Kullmann
  • Vilnei de Oliveira Dias
Rótulo Agricultura, digital, Índice, vegetação, Mapas

Resumo

As atividades agrícolas vêm crescendo mundialmente todos os anos, visto isso, agricultores buscam aumentar a produtividade das culturas em uma mesma área plantada, sendo implantadas práticas agrícolas, que empregam tecnologias de ponta no campo que permitem o gerenciamento localizado dos cultivos, auxiliando no manejo das áreas cultivadas e aumento da produtividade. O Índice de Vegetação por Diferença Normalizada, do inglês, Normalized Difference Vegetation Index (NDVI) é uma das tecnologias utilizadas para monitorar o índice de vegetação, sendo este um dos vários métodos existentes para o monitoramento. O NDVI é utilizado para realizar o acompanhamento temporal da lavoura, podendo detectar problemas causados por pragas e doenças, estimar a biomassa das culturas, analisar o desenvolvimento e crescimento da vegetação durante seu ciclo, dentre outras aplicações. Neste contexto, este trabalho teve por objetivo analisar a variabilidade do NDVI de um talhão cultivado com a cultura do milho silagem em duas datas distintas no ano agrícola 2020/2021. A área experimental está localizada na cidade de Alegrete/RS, 3º Subdistrito Durasnal, sob as coordenadas 29°51''14.5"S e 55°33''34.8"O, na chácara Três Irmãs e possuía área de 17,5 hectares. O cálculo do NDVI foi realizado através da calculadora raster do software livre QGIS, sendo utilizadas leituras de refletância das bandas do infravermelho próximo (NIR) e vermelha (Red), onde foi calculada a diferença entre a refletância destas bandas NIR e Red, dividida pela soma das duas refletâncias, onde o resultado do índice de vegetação pode variar de -1 a +1, sendo que quanto maior o resultado, maior é o acúmulo de biomassa da cultura. Foram utilizadas imagens de satélite fornecidas gratuitamente pela plataforma Sentinel Hub EO Browser. Desta forma, foram coletadas imagens do satélite Sentinel-2 nas datas de 21 de dezembro de 2020 e 20 de janeiro de 2021 do mesmo talhão, na qual as imagens apresentam boa visibilidade e também, variação no seu cultivo, possibilitando analisar as diferenças da vegetação. A partir da imagem real do local disponibilizada pelo satélite Sentinel-2 do dia 21 de dezembro de 2020, foi possível observar a presença de uma vegetação em tom verde escuro em todo talhão, o que pode ser explicado pelo fato de que a cultura já estava implantada no talhão analisado. Ao analisar o mapa da mesma data após o processamento e cálculo do NDVI no software QGIS, observou-se que, de fato, havia um alto índice de vegetação em todo o talhão, na qual a faixa de dados do NDVI variaram de 0,4823 a 0,7483, sendo que quanto mais escuro a cor verde e maior o número da faixa de dados, maior o NDVI. Já na imagem real do dia 20 de janeiro de 2021, constatou-se uma diferença entre as duas imagens reais, sendo que na imagem do dia 20 de janeiro notou-se a presença de vegetação no centro do talhão e as bordas em tom mais claro, o que pode ser explicado por estar iniciando-se a colheita do milho neste talhão. No mapa do dia 20 de janeiro de 2021, gerado após o processamento e cálculo do NDVI, percebeu-se que o índice de vegetação diminuiu em toda a área, sendo que a faixa de dados do NDVI variaram de 0,2751 a 0,5893, onde os menores índices NDVI ocorreram nas bordas do talhão, confirmando a hipótese de que estava ocorrendo a colheita do milho. Pode-se concluir que a análise temporal de NDVI calculada a partir imagens do satélite Sentinel-2 juntamente com o software QGIS, apresentaram resultados satisfatórios, permitindo o acompanhamento temporal da lavoura em questão.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
BASSIN COGO, V.; ELISA KULLMANN, S.; DE OLIVEIRA DIAS, V. VARIAÇÃO TEMPORAL DO NDVI NA CULTURA DO MILHO SILAGEM EM ALEGRETE/RS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.