PRODUÇÃO, CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DO LEITE E DESCRIÇÃO DO COMPORTAMENTO EM ORDENHA DE OVELHAS CRIOULAS LANADAS

  • Adriele Azambuja Fagundes
  • Diulia Zolim Galvani
  • Gabriella Cailava Porciuncula
  • Natana Mendes Marques
  • Leonardo Macedo Viega
  • Gladis Correa Ferreira
Rótulo Palavras-chave, Densidade, Ph, acidez, Dornic, campo, nativo, plataforma

Resumo

A criação de ovinos leiteiros no Brasil é uma atividade crescente se comparada à produção em países europeus e asiáticos. Esta atividade é frequentemente caracterizada pela agricultura familiar, tendo como objetivo gerar lucros para as propriedades rurais. Neste contexto, este trabalho teve por objetivo avaliar o comportamento em sala de ordenha de ovelhas da raça Crioula, ordenhadas manualmente e sua inferência na produção de leite. Foram utilizadas 30 ovelhas adultas com idade de 2 a 4 anos, multíparas e lactantes, com parto simples e gemelar, com peso corporal médio de 30,2 Kg e escore de condição corporal (ECC) médio de 2,75. Durante o período experimental os animais foram mantidos em piquetes de campo nativo e em galpão coberto, onde as ovelhas eram alojadas no final da tarde e soltas na manhã seguinte. Os animais recebiam em cochos comunitários, duas vezes ao dia, manhã e tarde, o equivalente a 3% do peso vivo (PV) do lote de silagem de milho e 1,5% do PV de concentrado farelado fabricado na Fábrica de Rações da UNIPAMPA/ Campus Dom Pedrito, à base de farelo de arroz integral, farelo soja, milho em grão, sal comum, calcário calcítico e polivitamínico (Muvicapri®). As coletas foram realizadas no período da manhã para avaliação da produção de leite total por animal. Os cordeiros foram separados das ovelhas, aproximadamente, 16 horas antes da realização da ordenha e foram mantidos em uma baia recebendo alimento e água ad libitum. Durante a ordenha as ovelhas recebiam uma mistura de silagem de milho e concentrado farelado (50-50), em uma proporção de 1% do PV. Os animais foram ordenhados manualmente, até o esgotamento de cada meio mamário. O leite obtido foi pesado em balança analítica, coado em peneiras plásticas para retirada de material estranho, embalados em frascos individuais limpos e secos, identificados com o número dos animais e acondicionados em caixas térmicas com gelo e em seguidas levadas ao laboratório. Os dados analisados consistiram na idade (dentição), escore de condição corporal (ECC), produção de leite, tempo de ordenha, vocalizações totais, escore de entrada e saída da plataforma e movimentação dos membros posteriores. Para avaliar a dispersão dos dados foi utilizado procedimento Freq e Univariate Procedures of SAS® enterprise guide 5.1. Os dados de produção e composição do leite, tempo de ordenha foram submetidos à análise de variância (ANOVA) assumindo o nível de significância de 5% comparadas pelo Teste de Tukey, pelo procedimento GLM do programa estatístico SAS 9.4. Na avaliação das cargas fatoriais rotacionadas do comportamento de ordenha de ovelhas crioulas e a inferência na produção de leite, observou-se que as variáveis: produção de leite (mL), o animal coicear e/ou patear ordenhador, animal abre as patas traseiras quando é ordenhado e tempo de ordenha (Fator Principal 1) associou-se positivamente com reatividade A tendo explicado 23,62% da variância acumulada. Nas variáveis dos fatores principais percentual de gordura, acidez titulável Dornic, escore de entrada e saída da plataforma de ordenha e vocalizações totais (Fator Principal 2) associam-se negativamente com reatividade A explicando 15,96% da variância acumulada. O comportamento de abrir as patas traseiras quando ordenhado associa-se positivamente com a produção de leite (Fator Principal 3), sendo estas explicadas com 51,69% de variância acumulada. Houve uma associação negativa entre a variável de acidez titulável Dornic e pH (Fator principal 4) explicando 63,26% da variância acumulada. No percentual de gordura foi possível observar associação negativa com a produção de leite (mL), densidade e pH (Fator Principal 5) explicando 73,47 % de variância acumulada. Esta foi a primeira ordenha desses animais, e as ovelhas apresentaram resultados similares na composição do leite, em relação à outras raças ovinas. As ovelhas Crioulas demonstraram um temperamento calmo e tranquilo a um manejo no qual não estavam habituadas. É importante ressaltar que durante a ordenha manual, esses animais foram ordenhados por três ordenhadores diferentes, previamente treinados e que estavam habituados ao manejo. Conclui-se, portanto, que a produção de leite da raça ovina Crioula obtida neste estudo apresentou bons resultados, apesar de não ser uma raça especializada para a produção leiteira.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
AZAMBUJA FAGUNDES, A.; ZOLIM GALVANI, D.; CAILAVA PORCIUNCULA, G.; MENDES MARQUES, N.; MACEDO VIEGA, L.; CORREA FERREIRA, G. PRODUÇÃO, CARACTERÍSTICAS FÍSICO-QUÍMICAS DO LEITE E DESCRIÇÃO DO COMPORTAMENTO EM ORDENHA DE OVELHAS CRIOULAS LANADAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.