SUPLEMENTAÇÃO DE FÓSFORO E VITAMINA B12 EM OVELHAS NO TERÇO FINAL DE GESTAÇÃO E SEU EFEITO NO DESENVOLVIMENTO DE CORDEIROS

  • Mariana Gomes Ribeiro
  • Damiane Antonetti
  • Karoline da Silva Duarte
  • Rafael das Trevas Pereira
  • Brenda Luciana Alves da Silva
  • Gladis Ferreira Correa
Rótulo Ovinos, Suplementação, vitamínica, mineral, Avaliações, morfométricas

Resumo

O Brasil apresenta um alto potencial para o ovinocultura de corte, apesar disso, grande parte dos rebanhos brasileiros têm demonstrado baixa eficiência na produção. A ovinocultura no estado do Rio Grande do Sul baseia-se no sistema extensivo de criação que utiliza como fonte principal de alimentação as pastagens nativas da região, entretanto, o decréscimo no crescimento das pastagens durante o período de inverno acarreta desafios para a produção. Visto que, neste mesmo período, grande parte dos rebanhos estão com ovelhas gestantes, caracterizando uma etapa fisiológica de maior exigência metabólica para os animais. Logo, a administração de fontes alternativas de vitaminas e minerais em ruminantes vêm aumentando na busca de melhorar o aproveitamento energético da dieta. Dentre as fontes de maior importância, se destaca a administração de Fósforo, devido às extensas áreas brasileiras com solos deficientes neste mineral. Em relação à vitamina B12 (Cianocobalamina), a mesma atua basicamente na conversão de ácidos graxos em succinil-CoA, que é importante para a entrada destes no ciclo de Krebs e a sua utilização como substrato gliconeogênico. Desse modo, o objetivo deste trabalho foi avaliar o efeito da suplementação de fósforo orgânico associado à vitamina B12 em ovelhas no terço final da gestação, no peso ao nascimento e crescimento inicial de cordeiros. O estudo foi desenvolvido entre março e maio de 2021, na Cabanha Rancho Miguel, localizada no município de Fazenda Vilanova RS, foram acompanhadas 20 ovelhas, ½ sangue Corriedale x Poll Dorset utilizadas como receptoras de embriões da raça Poll Dorset. O manejo para todas as unidades foi semelhante. Durante o dia as ovelhas eram mantidas em piquetes de campo nativo com água ad libitum e retornavam em torno das 17 horas para pernoitarem em galpão coberto de chão batido, onde era fornecido, aproximadamente 2,5% do peso vivo de uma mistura de concentrado e silagem de milho por animal. Eram submetidas a avaliação de escore de condição corporal (ECC), pesagem e avaliação da coloração da conjuntiva ocular (FAMACHA®). Aos 100 dias de gestação, as fêmeas foram divididas em dois lotes, sendo que o grupo 1 recebeu aplicações de Fósforo Orgânico associado à Vitamina B12 (FOB) por via intramuscular profunda, na dosagem recomendada pelo fabricante, e os animais do grupo 2, receberam soro fisiológico (NaCl) como placebo, sendo definidos como grupo controle. As aplicações foram realizadas em intervalos de 7 dias, totalizando 6 avaliações. Referente aos cordeiros, as aferições eram feitas à medida que nasciam e aos sete dias de vida. Foram identificados com colar contendo a numeração, pesados e as características analisadas foram comprimento do corpo, altura de cernelha, altura da garupa e perímetro torácico. Os dados foram tabulados em planilhas específicas e analisados pelo procedimento PROC GLM do SAS 9.4, as médias foram comparadas utilizando o teste de Tukey a 5%. Não houve diferença entre os pesos corporais das ovelhas do terço final de gestação até o parto entre os dois grupos (P>0,05), sendo que, na pesagem da semana anterior ao período de parição, a média de peso das ovelhas do grupo controle foi de 73,90 kg e 72,10 kg no grupo submetido a suplementação. Entretanto, pode-se observar uma tendência menor dos graus de FAMACHA® nos animais que receberam a suplementação. No que tange os cordeiros, o valor médio de peso ao nascer e peso aos sete dias de cordeiros provenientes das ovelhas do grupo controle foi, respectivamente, 3,79 e 6,06 kg, enquanto, os cordeiros provenientes de mães submetidas à suplementação com FOB, apresentaram em média 3,60 kg de peso ao nascer e 5,72 kg de peso aos sete dias (P>0,05). Em relação às aferições biométricas (P>0,05), obteve-se os seguintes dados, para cordeiros provenientes de mães do grupo controle e de mães suplementadas, respectivamente: circunferência do tórax 37,80 e 37,60 cm, altura da cernelha 36,30 e 36,00 cm, altura da garupa 35,10 e 34,50 cm e comprimento 33,40 e 31,80 cm. Estes resultados diferiram daqueles encontrados nas bibliografias consultadas, na qual, relacionavam a utilização da suplementação de Fósforo Orgânico associado a Vitamina B12 com um promotor, melhorando o aproveitamento energético da dieta, dando mais condições da ovelha produzir mais leite, aumentando o tamanho e o peso dos cordeiros ao nascer e em seu crescimento inicial. Essa divergência do presente trabalho com as bibliografias pode estar atrelada ao fato das ovelhas utilizadas neste experimento já receberem uma dieta balanceada e que supria suas exigências nutricionais, não necessitando a inclusão de suplementos. Conclui-se, portanto, que não houve efeito da suplementação de fósforo orgânico e vitamina B12 em ovelhas no terço final de gestação no peso ao nascimento e no crescimento inicial dos seus cordeiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
GOMES RIBEIRO, M.; ANTONETTI, D.; DA SILVA DUARTE, K.; DAS TREVAS PEREIRA, R.; LUCIANA ALVES DA SILVA, B.; FERREIRA CORREA, G. SUPLEMENTAÇÃO DE FÓSFORO E VITAMINA B12 EM OVELHAS NO TERÇO FINAL DE GESTAÇÃO E SEU EFEITO NO DESENVOLVIMENTO DE CORDEIROS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.