EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE SELÊNIO EM DILUENTE PARA CRIOPRESERVAÇÃO DE SEMÊN OVINO

  • Gabriel Alves
  • Luiza Gazeta Passos
  • Jéssica Ferreira Rodrigues
  • Daniela dos Santos Brum
  • Francielli Weber Santos Cibin
  • Diogo Ferreira Bicca
Rótulo criopreservação, semên, ovino, suplementação

Resumo

Um dos principais interesses da cadeia de criação de ovinos no Brasil, baseia-se na genética que os reprodutores carregam e que é disseminada para fins comerciais. Dessa forma, a inseminação artificial tem ocorrido paralelamente ao desenvolvimento de novas tecnologias para criopreservação do sêmen de ovinos. A criopreservação é uma excelente técnica para conservação de material genético por tempo indeterminado e foi utilizada pela primeira vez em meados de 1960 como uma alternativa para a preservação da fertilidade. É uma biotécnia que apresenta como vantagem a seleção de material genético desejado e a possibilidade de grande distanciamento temporal e espacial entre o momento da coleta do sêmen e a realização do protocolo de inseminação artificial. Porém, o processo de congelamento e descongelamento da célula espermática pode interferir em sua viabilidade, em decorrência de mudanças estruturais e fisiológicas dos espermatozoides, que podem levar a alterações na conformação lipídica da membrana, danos no DNA e alterações no acrossoma. Considerando que essas alterações podem estar associadas ao estresse oxidativo, protocolos utilizando diluentes de criopreservação suplementados com antioxidantes têm sido testados, a fim de minimizar os danos e atingir maiores taxas de prenhez. Dentre os compostos com efeito antioxidante, o selênio surge como uma alternativa de grande potencial. Neste contexto, o objetivo deste trabalho foi avaliar a influência de duas formas de selênio (orgânico e inorgânico) na qualidade e viabilidade espermática de sêmen ovino submetido a criopreservação utilizando dois diferentes períodos de resfriamento. Este trabalho teve a aprovação da CEUA-Unipampa (Protocolo 0172019). Foram coletados ejaculados de quatro carneiros saudáveis, usando vagina artificial aquecida a 38°C. O sêmen foi avaliado quanto ao volume, aspecto, motilidade e morfologia e somente as amostras com qualidade comprovada foram utilizadas. Os grupos foram divididos em: grupo controle resfriado por 2h; grupo controle resfriado por 4 horas; grupo selênio orgânico (selenofuranosídeo) e grupo selênio inorgânico (selenito de sódio) esses últimos submetidos a resfriamento de 2h e 4h e suplementados nas concentrações de 0,5 e 1 µg/mL. Portanto, todos os grupos foram submetidos a curvas de resfriamento de 2h e 4h, totalizando 10 grupos. Utilizou-se como diluente Tris-gema para obter uma concentração de 400 x 106 espermatozoides/mL e envasou-se em palhetas de 0,25 mL, onde o sêmen estendido foi embalado manualmente na temperatura ambiente, e após, foram imediatamente resfriados a 5 ° C, por 2 ou 4 horas e, em seguida, foram congeladas em nitrogênio líquido a -196°C. Para as análises, palhetas de cada grupo foram descongeladas em água a 37°C por 30 segundos e submetidas à avaliação cinética e morfológica. A cinética espermática foi avaliada pelo sistema Computer Assisted Semen Analysis (CASA) equipado com o software Sperm Class Analyzer (SCA) (Versão 5.1). Os parâmetros cinéticos analisados foram: motilidade total (TM; %), motilidade progressiva (PM; %), velocidade curvilínea (VCL; µm/s), (LIN; %), amplitude da cabeça lateral deslocamento (ALH; µm), frequência de batimento da cauda (BCF; %) e porcentagem de espermatozoides com movimento rápido (hiperatividade; %). Já em relação à morfologia dos espermatozoides, esta foi analisada com aumento de 1000 × em uma lâmina de vitral com Rosa de Bengala avaliando um total de 200 células/grupo/réplica. A análise estatística foi realizada por meio de Anova de duas vias, seguida de teste Tukey (software GraphPad Prism 8.0.1), considerando estatisticamente significativos os valores com P <0,05. A suplementação do diluente de congelamento com 0,5 µg/mL de selenofuranosídeo submetido a uma curva de resfriamento de 4 horas aumentou a motilidade total dos espermatozoides (80,72% ± 6,51) quando comparado ao grupo controle no mesmo tempo de resfriamento (62,67% ± 6,38) (P = 0,0099). A suplementação com selenito de sódio 0,5 µg/mL no grupo usando a curva de resfriamento de 2 horas mostrou um aumento na motilidade espermática (76,11% ± 14,57) quando comparado ao grupo controle no mesmo tempo de resfriamento (52,73% ± 2,06) (P = 0,0099). Nos demais parâmetros avaliados, não foram observadas alterações significativas em relação ao tempo de resfriamento (2 ou 4 h) e em relação aos tratamentos nas concentrações utilizadas. Na avaliação morfológica, considerando morfologia normal, defeitos maiores e defeitos menores, não foram observadas diferenças significativas em relação a suplementação com selênio bem como em relação às curvas de resfriamento (2 e 4 h). Considerando a importância da motilidade espermática como um parâmetro fundamental para a fertilidade, o estudo indicou que a suplementação com selenito de sódio e selenofuranosídeo, em baixas concentrações, poderia ajudar a melhorar a motilidade total de sêmen de carneiro criopreservado sem influenciar de forma significativa em sua morfologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
ALVES, G.; GAZETA PASSOS, L.; FERREIRA RODRIGUES, J.; DOS SANTOS BRUM, D.; WEBER SANTOS CIBIN, F.; FERREIRA BICCA, D. EFEITO DA UTILIZAÇÃO DE SELÊNIO EM DILUENTE PARA CRIOPRESERVAÇÃO DE SEMÊN OVINO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.