USO DE ANTIBIÓTICO EM CIRURGIAS ODONTOLÓGICAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO VETERINÁRIO

  • Marcela Pelisoli da Silva
  • Maria Eduarda de Moraes Guerra
  • Leticia Guilhermina dos Reis Butarello
  • Sandy Liara Primaz
  • Aline de Moura Jacques
  • Diego Vilibaldo Beckmann
Rótulo resistência, antibióticos, odontologia, veterinária, cirurgia, pequenos, animais

Resumo

A área de odontologia além de gerar poluentes e resíduos que causam impactos ambientais prejudiciais ao planeta pode estar associada ao uso indiscriminados de antibióticos. O uso de antibióticos na medicina humana e veterinária representam um problema mundial para a saúde única. Estima-se que em 2050 haverá 10 milhões de mortes por ano devido à resistência a antibióticos. Por esses motivos, é fundamental que estudos sejam feitos para reforçar aos profissionais de saúde, responsáveis por prescrever esses fármacos, quanto à importância do emprego de antimicrobianos de maneira racional. No âmbito da veterinária, uma das áreas em que a utilização irracional de antimicrobianos se faz presente são as cirurgias odontológicas devido a erros na detecção de causas de doenças periodontais. Há uma cultura de uso indiscriminado de antibióticos para o tratamento de afecções orais em cães e gatos. Dessa maneira, esse trabalho tem como objetivo demonstrar resultados parciais de um estudo retrospectivo dos antibióticos utilizados na clínica cirúrgica odontológica de cães e gatos no Hospital Universitário Veterinário da Universidade Federal do Pampa (HUVET) durante o período de 2011-2019. Para sua realização, foram identificados e revisados os procedimentos odontológicos cirúrgicos realizados em pequenos animais. Todos os dados identificados nas fichas desses pacientes foram registrados em Planilha Excel. Os dados registrados foram: número de pacientes odontológicos, diagnóstico, técnicas cirúrgicas realizadas, presença de complicações, uso de antibiótico terapêutico e profilático (no pré, trans e pós operatório), classes de antibióticos e se foi realizado cultura e antibiograma. Dessa maneira, foi possível constatar que 103 pacientes passaram por cirurgias odontológicas, representando 8% do número total de pacientes submetidos a cirurgia no HUVET. Foram realizados 90 diagnósticos nos pacientes odontológicos, sendo a doença periodontal a mais comum com 46 animais, seguida do complexo estomatite gengivite com 11 casos e da neoplasia com 6 pacientes. Ainda, foram diagnosticados em menor quantidade dente decíduo, fístula infraorbitária, oral, oronasal, fratura de mandíbula e dentária, luxação na articulação temporomandibular, mucocele, papiloma, sialocele e sialólito. Um total de 114 técnicas cirúrgicas foram realizadas nesses pacientes, sendo que alguns pacientes passaram por mais de um procedimento cirúrgico. A cirurgia de extração dentária foi a mais realizada, totalizando 59 casos. A segunda cirurgia mais realizada foi a de profilaxia dentária, correspondendo a 31 dos procedimentos realizados, seguida de osteossíntese mandibular, tratamento periodontal não identificado, marsupialização da rânula, exérese de nódulo, mandibulectomia rostral, sialectomia das glândulas mandibulares e sublingual. Outros procedimentos foram realizados apenas uma vez, como coronoidectomia mandibular, exerese de papiloma, exérese de glândula salivar, hemimaxilectomia central esquerda, maxilectomia, nodulectomia. Dentre o N total de cirurgias, complicações cirúrgicas ocorreram em 3 casos no transoperatório, em 5 casos no pós-operatório e houve necessidade de reintervenção em 4 casos. Porém, essas complicações não estavam relacionadas com infecções bacterianas. Houveram 6 classes de antibióticos utilizados - cefalosporina, penicilina, nitromidazólico, oxapenina, macrolídeo, lincosamina. As mais utilizadas foram a associação de nitromidazólicos com macrolídeo e uso isolado de penicilinas. O antibiótico profilático pré-operatório foi utilizado em 20 casos, em 32 casos no trans-operatório e em 3 casos no pós-operatório. Já o antibiótico terapêutico foi realizado em 56 casos no pré-operatório, em nenhum caso no transoperatório, em 74 casos foi prescrito para o pós-operatório - internação ou para ser realizado em casa. Ainda, todos pacientes foram submetidos a antibioticoterapia e em não houve caso em que foi realizada a cultura e antibiograma. Embora, a boca seja considerada um local de alta contaminação, diretrizes globais de odontologia veterinária afirmam que a utilização de antibiótico terapêutico não é essencial em todos os procedimentos odontológicos. A correta seleção de um antibiótico para uma específica condição odontológica garante a resolução do tratamento do referido processo infeccioso e previne o surgimento de novas bactérias resistentes. A melhor maneira de controlar essa situação é reduzir o uso inadequado de antibióticos através de prescrições e utilização correta dos antibióticos. É necessário um entendimento entre os profissionais da saúde sobre as consequências do contínuo uso inadequado de antibióticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
PELISOLI DA SILVA, M.; EDUARDA DE MORAES GUERRA, M.; GUILHERMINA DOS REIS BUTARELLO, L.; LIARA PRIMAZ, S.; DE MOURA JACQUES, A.; VILIBALDO BECKMANN, D. USO DE ANTIBIÓTICO EM CIRURGIAS ODONTOLÓGICAS EM UM HOSPITAL UNIVERSITÁRIO VETERINÁRIO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.