AVALIAÇÃO DO CICLO ESTRAL EM RATA SUBMETIDA Á INJEÇÃO INTRAOVARIANA DE CLORETO DE CÁLCIO 10%

  • Patrick da Silva Magalhães
  • Etiele Maldonado Gomes
  • Endreo Alan Pail dos Santos
  • Julia Mariano Peters Costa
  • Ingrid Rios Lima Machado
  • Maria Ligia De Arruda Mestieri
Rótulo Fêmeas, Quimioesterilizantes, Animais, errantes

Resumo

Estudos a respeito de quimioesterilizantes vêm crescendo mundialmente por ser método alternativo à castração cirúrgica na medicina veterinária. A quimioesterilização visa o controle populacional em massa de animais errantes, por apresentar baixo custo, não necessitar de sala cirúrgica equipada, assim como, de cuidados pós-operatórios. O cloreto de cálcio 20% diluído em etanol 95% é substância química que teve eficácia comprovada através da aplicação intratesticular, causando azoospermia em cães. Contudo, para o controle populacional efetivo em animais errantes, o quimioesterilizante ideal deve também atuar em animais do gênero feminino. Nesse contexto, como ferramenta de monitoração, do ciclo estral pode-se utilizar a avaliação da citologia vaginal. O ciclo estral é composto por 4 fases (proestro, estro, metaestro e diestro). Em ratas, o proestro tem duração média de 14 horas, enquanto o estro dura de 24-48 horas, o metaestro é um estágio curto, durando em média 6-8 horas, enquanto o diestro é o estágio mais longo, com duração de 48-72 horas. Sendo assim, o ciclo totaliza em média 4 a 5 dias. É importante que a avaliação do ciclo estral seja realizada de forma padronizada no mesmo horário todos os dias, a fim de evitar possíveis alterações que comprometam o estudo. Assim, o presente trabalho teve como objetivo avaliar a evolução e detectar possíveis alterações no ciclo estral em uma rata submetida a injeção intraovariana transcutânea guiada por ultrassom de cloreto de cálcio a 10% diluído em etanol 95%. O estudo obteve aprovação pelo CEUA UNIPAMPA, protocolo 020/2018. Foi utilizado uma rata Wistar com 120 dias de idade (animal piloto). A avaliação do ciclo estral foi realizada durante 55 dias, todas as manhãs entre 7h30 e 8h30 do primeiro dia após a aplicação intraovariana de cloreto de cálcio 10% diluído em etanol 95% até a eutanásia do animal. Para obter as informações do ciclo estral, foi realizado lavado vaginal com 0,1 mL de solução salina 0,9% e visualização em microscópio óptico. As fases do ciclo estral foram determinadas pela celularidade presente no lavado. Deste modo, o proestro foi definido pela predominância de células epiteliais redondas e nucleadas de formato uniforme, enquanto no estro, células epiteliais queratinizadas anucleadas eram predominantes. O metaestro foi caracterizado pela combinação de neutrófilos, células cornificadas e células epiteliais nucleadas, sem predominância de tipo celular específico. Por fim, o diestro teve predominância de neutrófilos, seguido por uma pequena quantidade de células epiteliais nucleadas. Durante o período experimental, 9 ciclos foram contabilizados. Dentre as fases, a maior predominância foi de diestro, determinado por 27 dias (49%), seguido por estro (17 dias, 31%), proestro, (8 dias,15%) e metaestro, (3 dias, 5%). Ainda, os ciclos estrais foram classificados em regular, estendido e anormal, levando em consideração as fases de estro e diestro. Sendo assim, aqueles ciclos que obtiverem duração de 4 a 5 dias, foram classificados como regular, enquanto aqueles com 3 a 4 dias de estro, ou 4 a 5 dias de diestro consecutivo como ciclos estendidos. Por fim, aqueles classificados como anormal consistiram em ciclos com >4 dias de estro ou >5 dias de diestro consecutivos. Portanto, os ciclos classificados como regular tiveram a maior prevalência, totalizando 5 ciclos (56%), seguido por estendido, 3 ciclos (33%) e por fim, anormal, com 1 ciclo (11%). Notou-se que, até o quarto ciclo, manteve-se regular. Entretanto, a partir do quinto ciclo começou a mostrar alterações instáveis, apresentando dois ciclos estendidos consecutivamente, um regular, um anormal, por fim, terminando com um ciclo estendido. Tais resultados podem estar correlacionados com o uso do cloreto de cálcio 10% diluído em etanol 95%, visto que as alterações inconstantes passaram a se manifestar a longo prazo dentro do período experimental. Desta forma, sugere-se que o cloreto de cálcio 10% diluído em etanol 95% promoveu alterações no ciclo estral da rata durante o estudo piloto, corroborando que esse agente químico pode causar danos funcionais também em ovários.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2021-11-16
Como Citar
DA SILVA MAGALHÃES, P.; MALDONADO GOMES, E.; ALAN PAIL DOS SANTOS, E.; MARIANO PETERS COSTA, J.; RIOS LIMA MACHADO, I.; LIGIA DE ARRUDA MESTIERI, M. AVALIAÇÃO DO CICLO ESTRAL EM RATA SUBMETIDA Á INJEÇÃO INTRAOVARIANA DE CLORETO DE CÁLCIO 10%. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 13, n. 3, 16 nov. 2021.