Ensino de Português como Língua Adicional: sobre uma experiência de ensino-aprendizagem em ambiente virtual

  • Igor Zotti
  • Igor Paim Zotti
  • Adriana Batista Lopes
  • Jorama De Quadros Stein
Rótulo Português, como, Língua, Adicional, Enunciação, (Inter)subjetividade, Língua-cultura, Aprendizagem, língua

Resumo

A teoria geral da linguagem, que sustenta as reflexões enunciativas de Émile Benveniste, permite que encontremos um referencial adequado e diferenciado para pensar a relação entre língua, linguagem e cultura. Trata-se, portanto, de um construto teórico que pode contribuir muito para pensar o ensino de língua, embora pouco explorado para pensar esse tema. Este estudo, que integra a pesquisa Português como Língua Adicional em uma Perspectiva Enunciativa Benvenistiana, tem por objetivo compreender como os alunos hispanofalantes, participantes de um curso de PLA na modalidade online, significam a aprendizagem da língua portuguesa. Para tanto, do ponto de vista teórico, partiremos da compreensão de subjetividade e intersubjetividade pela ótica benvenistiana apresentada nos textos Da Subjetividade na Linguagem (BENVENISTE, 1958 [2005]), A linguagem e a experiência humana (1965 [2006]; Estrutura da Língua e Estrutura da Sociedade (BENVENISTE, 1970[2006]); do ponto de vista metodológico i)selecionamos o depoimento oral de uma aluna argentina em que ela avalia o primeiro módulo do curso de PLA e aborda sua experiência de aprendizagem; ii) transcrevemos esse texto oral; iii) interrogamos esse depoimento à luz da perspectiva enunciativa benvenistiana; iv) sintetizamos de que maneira a aluna significa o seu processo de aprendizagem da língua portuguesa a fim de refletir sobre a atuação docente nos próximos módulos do curso. Os resultados indicam que quando o aluno encontra um lugar de escuta e de acolhimento de sua língua-cultura materna no processo de aprendizagem da língua alvo, ele ultrapassa barreiras ligadas a dificuldades de ordem emocional e linguística e estabelece uma relação de conforto e segurança na nova língua-cultura. Concluímos que o ensino de uma língua adicional, que ocorre em um processo que respeita o embricamento entre língua e cultura, facilita a aprendizagem e aprimora a efetividade das aulas. À medida que estabelece o processo de troca com seus colegas e professores, o aluno apropria-se singularmente da língua portuguesa de forma a encontrar um lugar de fala que lhe permite emergir como um sujeito capaz de ser na/pela nova língua-cultura.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
ZOTTI, I.; PAIM ZOTTI, I.; BATISTA LOPES, A.; DE QUADROS STEIN, J. Ensino de Português como Língua Adicional: sobre uma experiência de ensino-aprendizagem em ambiente virtual. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.