“COMO SE DITAS PELA PRIMEIRA VEZ”: UM ESTUDO ENUNCIATIVO DO TEATRO VERBATIM

  • Mariana Fernandes
  • Jorama De Quadros Stein
Rótulo Teatro, Verbatim, Enunciação, (Inter)subjetividade, Referência, Processo, criação

Resumo

O teatro Verbatim, uma vertente do teatro documentário, define-se por levar ao palco as narrativas orais de pessoas reais, as quais são representadas no palco pelos atores. Esse gênero encontra nas formulações de Émile Benveniste um construto teórico pertinente para pensar a respeito do seu processo de criação. No entanto, a relação entre esse objeto e a teoria geral da linguagem do linguista sírio ainda foi pouco explorada. Nesse sentido, este estudo busca compreender como se configura a situação enunciativa (eu-tu-ele-aqui-agora) no processo de criação/edição do teatro Verbatim. Tendo em vista o fato de essa forma complexa do discurso configurar suas falas a partir de depoimentos concedidos por participantes voluntários, dentro de uma temática previamente definida, para explicitar a situação enunciativa, apresentamos de que maneira se dá o processo de apropriação e reprodução da língua-discurso dessas falas reais pelos atores, diretores e editores da peça. Para responder a esse questionamento, realizamos o seguinte movimento metodológico: i) apresentamos as noções de (inter)subjetividade, enunciação e referência em Émile Benveniste (2005,2006) como basilares para melhor compreender a configuração enunciativa do teatro enquanto gênero secundário do discurso (Bakhtin, 2016); ii) selecionamos excertos da entrevista realizada com uma diretora e atriz atuante no teatro Verbatim em que é possível compreender a respeito do processo de criação/edição do teatro; iii) interrogamos a entrevista realizada com essa diretora à luz da perspectiva enunciativa benvenistiana; iv) sintetizamos como se dá o processo de apropriação e reprodução das falas reais até o momento de representação no palco. A reflexão construída aponta para a peça como resultado do processo de apropriação singular das falas dos participantes em que as relações intersubjetivas implicadas no ato de se apropriar da língua-discurso e de reproduzi-la conduzem a uma re-constituição do(s) sentido(s) de forma a produzir uma nova enunciação que só é possível pela escuta do tu. Concluímos que o teatro constitui uma forma complexa do discurso que a todo momento configura uma nova enunciação a cada instância enunciativa (eu-tu-ele-aqui-agora) à medida que pode ser compreendido como uma expressão da conjunção de subjetividades, o que revela novas e infinitas possibilidades de estudo do teatro no contexto enunciativo benvenistiano.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
FERNANDES, M.; DE QUADROS STEIN, J. “COMO SE DITAS PELA PRIMEIRA VEZ”: UM ESTUDO ENUNCIATIVO DO TEATRO VERBATIM. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.