UM ESTUDO DE SHERLOCK HOLMES: CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS ENTRE OBRA ORIGINAL E ADAPTAÇÃO TELEVISIVA

  • Wendy Fattah
  • Cristina Cardoso
Rótulo Sistemas, semióticos, Sherlock, Holmes, Adaptações

Resumo

O romance policial teve início em 1841 com o conto Os crimes da rua Morgue, escrito por Edgar Allan Poe, onde o detetive Dupin usava de métodos dedutivos para desvendar os assassinatos de sua época. Após o surgimento do gênero policial, outros autores surgiram para compor a narrativa de enigma, a exemplo de Arthur Conan Doyle e de Agatha Christie, que encantaram as pessoas com seus detetives e suas formas de narrar. No entanto, a narrativa detetivesca não está apenas ligada à literatura, ela também ganha espaço no cinema e na televisão, principalmente nos anos 2000 com a estreia dos seriados policiais como Law and Order, CSI: Crime Scene Investigation, Bones, entre outros. Importa referir que a sétima arte, desde de seu surgimento, busca na literatura inspiração para suas obras - trazendo, muitas vezes, adaptações de obras literárias para as telas. A partir disso, percebemos que o cinema e a literatura são dois sistemas semióticos que usam formas diferentes de narrar. Foi a partir das nuances entre a literatura e o cinema que escolhemos analisar as divergências e as convergências que ocorrem entre uma obra original e uma adaptação da mesma. Desse modo, iremos analisar a obra original Um estudo em vermelho de Arthur Conan Doyle, lançada em 1887, e o primeiro episódio do seriado Sherlock - Um estudo em rosa - lançado pela BBC em 2010. A partir da escolha do repertório de análise, referido anteriormente, o estudo será de cunho bibliográfico e qualitativo, buscando mapear e analisar as convergências e divergências desses dois sistemas semióticos distintos dentro do corpus do trabalho. O trabalho ainda está em andamento - contudo, esperamos encontrar as diferenças que distanciam esses dois sistemas e as convergências que os aproximam, buscando analisar as diferentes formas de narrar a mesma história. Vale destacar que uma releitura de um livro pode ser tão importante quanto a obra original, pois poderá trazer um novo olhar sobre a mesma, dando espaço para que o espectador possa observar a mesma história de diferentes ângulos. Consideramos, também, que uma adaptação pode e deve ser detentora da liberdade contida na arte, pois se a arte for destituída de liberdade de expressão, ela terminará reduzida a apenas técnica.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
FATTAH, W.; CARDOSO, C. UM ESTUDO DE SHERLOCK HOLMES: CONVERGÊNCIAS E DIVERGÊNCIAS ENTRE OBRA ORIGINAL E ADAPTAÇÃO TELEVISIVA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.