SALA DE AULA INVERTIDA E LETRAMENTO CRÍTICO: POSSIBILIDADES NO ENSINO REMOTO DE INGLÊS COMO LA

  • Claudia Tavares
  • Gabriela Bohlmann Duarte
Rótulo Sala, Aula, Invertida, Letramento, Crítico, TDIC, Ensino, Remoto, Inglês/Língua, Adicional

Resumo

Buscou-se, a partir de 2019, em um projeto de Mestrado Profissional no Ensino de Línguas, uma ponte para mudanças de atitudes entre docente e discentes na cultura de aprendizagem de uma língua adicional em uma escola de ensino fundamental. Essas mudanças ocorreriam por meio de uma metodologia de ensino ativo e significativo, que proporcionasse espaços para maior criticidade de mundo nos discentes em relação ao uso do inglês como língua adicional em seu contexto, tendo, para isso, o aporte das Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC). Mas, como concretizar esta ponte diante de um desafio da carga reduzida do inglês em uma escola de ensino fundamental? Apresentou-se, então, o Letramento Crítico (LC), como uma abordagem problematizadora e contestatória ao pensar a língua como um instrumento de poder e de agenciamento, e a Sala de Aula Invertida (SAI), como uma metodologia ativa na modalidade híbrida, que possibilita a organização, a flexibilização e a integração entre tempos e espaços de aprendizagem do inglês como língua adicional. Como aporte, agregaram-se à SAI e ao LC, as Tecnologias Digitais de Informação e Comunicação (TDIC), dentre elas, o uso dos dispositivos móveis e de um aplicativo (Whatsapp), servindo como instrumentos na flexibilização e dinamização do processo de ensino aprendizagem do inglês entre aulas presenciais (sala de aula) e aulas virtuais (casa), pavimentando uma forma de ensino inovador no gerenciamento das atividades, como bem enfatizado pelos pressupostos teóricos e pelos atuais documentos curriculares. Entretanto, o ano de 2020 encontra-se em meio a uma pandemia que afeta a rotina nas escolas públicas de ensino fundamental do RS. As aulas presenciais foram suspensas, e deu-se ênfase à rotina baseada em um ensino remoto, direcionando um uso mais intensificado das TDIC para fins educativos. Neste momento atípico, ajustes metodológicos para a aplicação da SAI compõem-se de aulas assíncronas e síncronas, organizadas/flexibilizadas, a princípio, em domicílio. Com isso em mente, as TDIC, expressamente necessárias para a aplicação da SAI, continuam a ser contempladas por meio de dispositivos móveis e da ferramenta do Whatsapp, com a intenção de se manter um constante feedback nas interações assíncronas nesse contexto. E, acrescentaram a este projeto mais duas plataformas: o Google Meet, com o intuito de gerir aulas/atividades em sessões interativas síncronas; e, o Canva, como uma plataforma de design gráfico na elaboração de atividades de inglês e como espaço para produções criativas e dinâmicas. Como dados, foi possível perceber, quanto maior a interação dos discentes com as plataformas, mediada pela docente de forma dinâmica, maior o interesse e a participação nas aulas, tanto em momentos de discussão sobre os temas, quanto no uso do inglês como língua adicional, resultando em produções autorais, de forma criativa, no formato de Storyboards.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
TAVARES, C.; BOHLMANN DUARTE, G. SALA DE AULA INVERTIDA E LETRAMENTO CRÍTICO: POSSIBILIDADES NO ENSINO REMOTO DE INGLÊS COMO LA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.