MOBILIDADE ELÉTRICA: ANÁLISE COMPARATIVA DAS PERSPECTIVAS DA INTRODUÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS ENTRE AS CIDADES DE

  • Cintia Flesch
  • Cintia Helena Flesch
  • Enoque Dutra Garcia
Rótulo mobilidade, elétrica, eletropostos, cidades, pontos, carregamento

Resumo

Diante da necessidade de novas formas de locomoção que envolvam veículos menos poluentes (a combustão) e que cooperem para o desenvolvimento sustentável surgem questionamentos sobre a introdução da mobilidade elétrica, ou seja, a inserção de veículos elétricos[VEs]. Nesse estudo levou-se em conta duas cidades com Índice de Desenvolvimento Humano Médio (IDHM) similar, Santa Cruz do Sul (0,77) e Bagé (0,77), segundo [1], para análise comparativa de cenários relativos a introdução de VEs. Os objetivos abrangem análise do mercado de VEs, identificação de oportunidades de melhoria da qualidade de vida e reflexão sobre mobilidade urbana nessas. Primeiramente, para fins comparativos, são analisados os parâmetros distintos como: IDHM, geração distribuída e precificação do combustível. Está em elaboração ainda uma pesquisa direcionada a proprietários de veículos elétricos, proprietários de eletropostos e secretarias de transporte e mobilidade, buscando encontrar o ponto de vista dos mesmos a respeito, objetivando-se assim encontrar oportunidades referentes a essa tecnologia. Tendo como enfoque a percepção da introdução dos VEs desconsiderando nesse caso o valor aquisitivo dos mesmos. Após essa etapa, a metodologia de comparação entre as cidades é mais detalhada para interpretar os resultados. Com as informações preliminares, baseada na pesquisa bibliográfica, as informações obtidas apontam para dois patamares distintos. A primeira cidade mostra-se mais aberta a novas possibilidades com os VEs, sendo que algumas empresas já operam com eletropostos em seus estacionamentos, com abastecimento gratuito para clientes e já há a possibilidade de adquirir motos - patinetes - elétricas em uma das empresas. Além disso, o município já investe em paradas ecológicas com geração fotovoltaica própria que pode ser um dos pontos de abastecimento de ônibus elétricos caso essa tecnologia seja implantada. Em contrapartida, Bagé, apesar de ter uma das precificações de combustível mais elevadas do estado ainda não ingressou no setor da mobilidade elétrica até o momento, tendo apenas alguns veículos híbridos. Entretanto a cidade, só no ano de 2020 implementou segundo [2] mais de sessenta novas instalações fotovoltaicas, por correlação, isso demonstra que há sim a preocupação com questões ambientais. E segundo [3] o uso de energia fotovoltaica auxilia na configuração do sistema elétrico nos pontos de recarga. A medida que os dados da pesquisa aplicada são analisados com maior detalhamento se espera confirmar o interesse da população no investimento na mobilidade elétrica. Assim projeta-se um cenário promissor para mobilidade elétrica, de tal modo o trabalho continua no sentido de fazer proposições para o desenvolvimento sustentável sendo de grande importância a atuação de um Engenheiro de Energia, replicação dos estudos e expansão do setor.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
FLESCH, C.; HELENA FLESCH, C.; DUTRA GARCIA, E. MOBILIDADE ELÉTRICA: ANÁLISE COMPARATIVA DAS PERSPECTIVAS DA INTRODUÇÃO DE VEÍCULOS ELÉTRICOS ENTRE AS CIDADES DE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.