EFEITO DA LIGNINA EM FILMES BIODEGRADÁVEIS: UMA BREVE REVISÃO

  • Rafaela Rodrigues
  • Rafaela Moura Rodrigues
  • Jaqueline Motta de Moura
  • Michaella Santos Fernandes de Almeida
  • Catarina Motta De Moura
  • Gabriela Silveira Rosa
Rótulo Filmes, Biodegradáveis, Lignina, Reaproveitamento, Resíduos

Resumo

Tem havido uma busca crescente pelo reaproveitamento de resíduos gerados pelas indústrias, principalmente devido aos danos ambientais que estes causam, quando descartados em lugares inadequados. Além disso, estes resíduos, em geral,possuem macromoléculas que podem ser extraídas e reaproveitadas na formulação de novos produtos. Neste contexto, destaca-se a lignina, uma biomacromolécula natural, aromática e amorfa e muito abundante na natureza. Presente em todos os tipos de vegetais, sua obtenção se dá como resíduo sendo posteriormente descartada ou utilizada para produção de energia. Devido às funções de proteção e de cimentação nos vegetais, às propriedades estruturais macromoleculares, ao baixo custo e disponibilidade, a lignina torna-se um componente atrativo em blendas poliméricas. A incorporação desse composto em filmes biodegradáveis tem chamado a atenção, pois quando combinada com outros materiais, a lignina é capaz de melhorar as características termoplásticas, aumentar a resistência em relação à oxidação e exposição a elevadas temperaturas, além de contribuir para a redução significativa da permeabilidade ao vapor de água e aumento na rigidez. Sendo assim, o objetivo deste trabalho foi realizar uma revisão com base na literatura, disponível em portais de pesquisa, utilizando referenciais como Elsevier Journal e Biological Macromolecules sobre a influência do uso da lignina em filmes biodegradáveis, embasados em pesquisas realizadas entre os anos de 2011 a 2020. Referente a elaboração do filme, os estudos consultados combinaram a lignina basicamente com amido, quitosana e sagu. Os autores obtiveram resultados satisfatórios quanto a adição de lignina em filmes biodegradáveis, destacando-se o aumento na resistência a tração, a diminuição na permeabilidade ao vapor de água e o aumento na temperatura de degradação dos filmes compósitos, quando comparados com filmes em que há a ausência da lignina. Os filmes, em geral,também apresentaram maior propriedade de bloquear raios UV, mantendo maior transmitância da luz visível e boas propriedades antimicrobianas. Ensaios revelaram que os filmes contendo lignina são capazes de inibir o crescimento bacteriano, responsável pela causa de podridão mole comum em batatas e tomates. Sendo assim, conclui-se que o uso da lignina como modificadora de alguns biopolímeros,pode ser vantajosa na prática, pois é um material de pouco valor agregado que pode trazer diversos benefícios quando aplicada em filmes biodegradáveis, pois possui ótimas propriedades que favorecem a conservação, aliada a biodegradabilidade contribuindo para a não degradação ambiental. Novos estudos deverão ser realizados,visto que a literatura apresenta majoritariamente resultados do composto obtido a partir da extração da celulose e do bagaço da cana-de-açúcar, considerando o desenvolvimento da olivicultura na região da campanha, projeta-se utilizar o resíduo dessa dessa produção para obtenção da lignina e a aplicação em filmes biodegradáveis.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
RODRIGUES, R.; MOURA RODRIGUES, R.; MOTTA DE MOURA, J.; SANTOS FERNANDES DE ALMEIDA, M.; MOTTA DE MOURA, C.; SILVEIRA ROSA, G. EFEITO DA LIGNINA EM FILMES BIODEGRADÁVEIS: UMA BREVE REVISÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.