PLURALIDADE E SEUS DESDOBRAMENTOS

  • Andrei Fonseca
  • Raquel Fabiana Lopes Sparemberger
Rótulo Pluralismo, cultural, Multiculturalismo, Interculturalismo, Cosmopolitismo

Resumo

Inicialmente, o presente estudo analisa o termo pluralismo cultural, mencionando seu empenho na indicação das diversidades culturais e suas lutas, em especial no Brasil. É ainda justificado em prol da inclusão e normalização das variedades populacionais existentes. Possui por escopo ceder informações e refletir sobre o tema, expondo a pesquisa adequadamente e determinando os paradigmas necessários ao entendimento do assunto. Quanto à metodologia, foi utilizado o método hipotético-dedutivo, visando promover a integração no estudo. Adicionalmente, o referencial teórico dessa pesquisa se baseia nos trabalhos sobre multiculturalismo e repercussões. Em razão do conceito eurocêntrico instalado no Brasil, afirmou-se um padrão de ser humano: homem, branco, cristão, ocidental, heterossexual e alfabetizado. Ademais, impôs aos indígenas e africanos uma compreensão de mundo distinta das quais subsistiram pelos antepassados desses, exemplificada pelo(a): monoteísmo e monogamia. Contrariando essa padronização, surgiu o cosmopolitismo, definido pela coexistência de várias culturas num mesmo território, com a função de pleitear reconhecimento e respeito. Em face dos variados tipos de preconceitos que chocam culturas entre si, encontra-se dificuldade de interação intercultural, mantendo um individualismo e impossibilitando o enriquecimento do legado de cada povo através das trocas de informações e saberes. Nesse ínterim, como forma de consolidar o princípio cidadão, expõem-se as adoções de políticas de ações afirmativas, fundamentadas pela justiça social de posição compensatória e redistributiva. Além de restituir os danos causados, essas realizações objetivam a restauração da democracia em sua integridade, promovendo considerável reincorporação da igualdade no meio social. No contexto histórico, o cosmopolitismo iniciou-se no Canadá onde foram criadas agências estatais cuja tarefa era apurar casos de antipatias socioculturais e, em 1971, sancionou a política oficial sobre o assunto dentro das instituições. Difundiu-se pelos Estados Unidos, Europa e, posteriormente, para a América Latina. Com as críticas ao vocábulo multiculturalismo por ser um modelo eurocêntrico, por abrir possibilidade de concernir em um preconceito positivado, por traduzir respeito em formato de superioridade surgiu o interculturalismo, evidenciado pela propensão à fusão entre as comunidades culturais em plano de igualdade, a fim de haver permuta vantajosa em ambas as partes, caracterizado pela recusa à corrente citada, essa associada à fragmentação social. Por fim, faz-se necessária a garantia de dignidade entre as identidades, por meio da pretensão de ampliar a visão de mundo pessoal, abrir portas para conhecer, compreender e respeitar as culturas alheias. Trata-se, portanto, de raízes socioculturais e riquezas imensuráveis, as quais cabem ao Direito zelar, enaltecer e incorporar nas normas nacionais vigentes.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
FONSECA, A.; FABIANA LOPES SPAREMBERGER, R. PLURALIDADE E SEUS DESDOBRAMENTOS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.