MAPEAMENTO DAS PRODUÇÕES TEÓRICAS: PORNOGRAFIA INFANTOJUVENIL EM QUESTÃO

  • Paula Gouvea
  • Maina Saldanha Garcia
  • Julia Arnt Machado
  • Jaina Raqueli Pedersen
Rótulo Pornografia, InfantoJuvenil, Exploração, Sexual, Crianças, Adolescentes, Internet

Resumo

O presente trabalho apresenta reflexões referente a pesquisa que tem como objeto de estudo a pornografia infantojuvenil na internet enquanto forma de manifestação da exploração sexual de crianças e adolescentes. Seu objetivo consiste em analisar os processos sociais que se articulam na constituição do fenômeno da pornografia infantojuvenil na internet, a fim de explicitar as particularidades desta forma de violação dos direitos de crianças e adolescentes. A construção metodológica tem como base a pesquisa exploratória com enfoque qualitativo, considerando referencial bibliográfico e documental. O mapeamento da produção teórica foi realizado de duas formas, primeiro junto às bibliotecas universitárias, que foram delimitadas considerando como critérios: os estados que fazem parte da região SUL I da ABEPSS - Associação Brasileira de Ensino e Pesquisa em Serviço Social (RS, SC e PR) e também as universidades, que nestes estados, ofertam mestrado e doutorado em Serviço Social. O segundo levantamento se deu junto aos periódicos dos Programas de Pós-Graduação (Stricto Sensu) em Serviço Social no Brasil. Foram utulizados descritores de pesquisa principais e variáveis, sendo os principais, exploração sexual de crianças e adolescentes, pornografia infantil na internet e pedofilia na internet, os variáveis exploração sexual comercial de crianças e adolescentes, violência sexual de crianças e adolescentes, pornografia infantil e pornografia infantojuvenil no marco temporal de 2008 a 2019. Foram identificados dezessete (17) dissertações, três (3) teses e nove (9) artigos. Notou-se que o ano que mais houveram publicações de teses e dissertações sobre a temática foi o de 2014 e com mais publicações de artigos em 2016. No levantamento de dados realizado junto às bibliotecas universitárias, observou-se que Serviço Social foi a área que mais se destacou, contribuindo com oito (8) produções para este estudo. No que se refere ao gênero dos/as autores/as destas produções, há predominância do gênero feminino, sendo que dos/as dezessete (17) autores/as dos artigos, quinze (15) são do gênero feminino, enquanto dos/as autores/as das teses e dissertações apenas um (1) era do gênero masculino. No tocante aos artigos analisados observou-se a distância temporal entre a publicação de um artigo e outro, sendo encontrada publicações apenas nos anos de 2008, 2009, 2013, 2014, 2016 e 2018, nota-se a pouca produção de artigos sobre o assunto. Desta forma, os resultados dessa pesquisa apontam a pouca produção teórica sobre a pornografia infantojuvenil, desafiando diversas áreas entre elas, o Serviço Social, a se aproximar e estudar a complexidade que envolve esse fenômeno, pois a pesquisa e a produção de conhecimento podem subsidiar a criação e qualificação das políticas públicas de atendimento desta demanda .

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
GOUVEA, P.; SALDANHA GARCIA, M.; ARNT MACHADO, J.; RAQUELI PEDERSEN, J. MAPEAMENTO DAS PRODUÇÕES TEÓRICAS: PORNOGRAFIA INFANTOJUVENIL EM QUESTÃO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.