UMA ANÁLISE CRÍTICA DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR ENQUANTO INSTRUMENTO DE REPRODUÇÃO DAS POLÍTICAS NEOLIBERAIS

  • Jonas Bertolassi
  • Neiva Maria Buchkoski
  • Emanuelly Wouters Silva
  • Emanuele Ariane Kreps
  • Bruna Sabaranski Bordignon
  • Taíse Morgana Presotto
Rótulo Base, Nacional, Comum, Curricular, Educação, contemporânea, Políticas, Neoliberais

Resumo

Partindo da concepção de que é necessário pensar e/ou discutir a educação sempre com um olhar sociopolítico, surge a temática deste estudo, voltada à discussão da Base Nacional Comum Curricular (BNCC). Tal pesquisa justifica-se pelo fato de a BNCC ser uma normativa que regulamenta, a nível nacional, os currículos e as aprendizagens essenciais a serem desenvolvidas pelos estudantes em todas as modalidades da Educação Básica. Diante dessas considerações, emerge o objetivo deste trabalho: problematizar a BNCC enquanto instrumento de reprodução das políticas neoliberais. A fim de atender às especificidades do objeto de estudo em evidência, a metodologia enquadrou-se em uma pesquisa bibliográfica, com a finalidade de fundamentar as discussões presentes nesse estudo em pesquisas já desenvolvidas dentro das especificidades dos aspectos teórico científicos. Tal pesquisa buscou sustentação teórica em autores como: Apple (2002); Cury (2002); Freire (2013); Manfré (2020); Trevisol e Almeida (2019), entre outros. Tais autores foram selecionados considerando seus campos de estudos, pelo fato de problematizarem por meio de suas produções, aspectos contemporâneos e sociológicos da educação. Apple (2002), Cury (2002), instigam reflexões voltadas a escola enquanto uma instituição de caráter político, e consequentemente um aparelho de reprodução dos ideais neoliberais. Freire (2013), compartilha dessas reflexões, embasado em princípios educativos sócio democráticos. Já Manfré (2020) e Trevisol e Almeida (2019), problematizam em suas pesquisas como tais aspectos discutidos pelos demais autores vem sendo comtemplados pela nova BNCC. Tendo em vista que a educação não se concretiza em sua integralidade sem os professores, seria, pois, conveniente que as legislações fossem pensadas também por eles. No entanto, com base no levantamento bibliográfico, os resultados apontam que a participação docente durante o processo de construção da BNCC não foi significativa, embora seja uma normativa educacional. Isso se caracteriza, portanto, como uma grande fragilidade. Em contrapartida, fica evidente, na redação da normativa, os interesses de diferentes grupos empresariais, dentre eles há empresas multinacionais e Organizações Não-Governamentais . Isso sinaliza que a Educação, no Brasil, vem sendo influenciada por políticas de gênese neoliberal e submetidas a elas. De modo geral, os apontamentos evidenciados concluem que a BNCC não foi pensada, de fato, para proporcionar a aprendizagem emancipatória, mas, sim, para atender às demandas contemporâneas do capital. Em síntese, esse estudo incita para uma reflexão crítica do atual cenário em que a educação contemporânea se encontra. Isso se torna necessário, pois as concepções ideológicas do neoliberalismo estão adentrando no sistema educativo por meio das legislações, impondo que a escola contemporânea seja moldada pelos princípios das instituições empresariais, a fim de atenderem às demandas da chamada sociedade do conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
BERTOLASSI, J.; MARIA BUCHKOSKI, N.; WOUTERS SILVA, E.; ARIANE KREPS, E.; SABARANSKI BORDIGNON, B.; MORGANA PRESOTTO, T. UMA ANÁLISE CRÍTICA DA BASE NACIONAL COMUM CURRICULAR ENQUANTO INSTRUMENTO DE REPRODUÇÃO DAS POLÍTICAS NEOLIBERAIS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.