O BRASIL NA ANTÁRTICA: AS PROJEÇÕES GEOESTRATÉGICAS NO CONTINENTE GELADO

  • Bruno Teixeira
  • Kamilla Raquel Rizzi
Rótulo Política, Defesa, Externa, Brasil, Antártida, Relações, Internacionais

Resumo

A Antártica tem cerca de 98% da sua área coberta de gelo, possuindo 70% da água doce do planeta, em uma área total de 13.661.000 km² (equivalente a 1,6 vezes o tamanho do território brasileiro), na qual é estimado uma grande quantidade de riquezas minerais, como petróleo, gás, cobre, urânio, entre outros. Além disso, o continente está situado em uma privilegiada posição, tendo como fronteiras o Oceano Atlântico, o Oceano Índico e o Oceano Pacífico. Devido a estes elementos acerca das características geográficas e estratégicas para o desenvolvimento de uma nação, a problemática é estudar qual a projeção e quais os interesses geoestratégicos do Brasil na Antártida. O país está a par do assunto desde a década de 1950, porém foi dada maior importância apenas na década de 1980 e, mais recentemente, nos anos 2000, foram lançados a Política Nacional de Defesa (2012) e o Livro Branco de Defesa Nacional (2012), os quais trouxeram novamente o tema antártico para as discussões da política de defesa brasileira. Desta maneira, foi levantada a seguinte hipótese: as intenções do Brasil na Antártica estão na necessidade brasileira de defender a soberania da fronteira marítima do país. Para tanto, o presente artigo buscará, como objetivo geral, identificar os interesses geoestratégicos do país na Antártica e, como objetivos específicos, analisar os investimentos do país no continente gelado e compreender a política brasileira para a Antártida. Metodologicamente, a pesquisa é de caráter qualitativo, quanto ao procedimento ela é bibliográfica e documental. O artigo se caracteriza como um estudo hipotético-dedutivo e descritivo-explicativo dos aspectos estratégicos sobre a inserção do Brasil nos assuntos acerca do continente antártico, utilizando-se de materiais bibliográficos e documentais. Como resultado parcial, verifica-se que os interesses brasileiros na Antártida ultrapassam apenas o interesse da defesa da fronteira marítima do Brasil. Durante a pesquisa, pode-se também perceber a importância da projeção do Brasil na Antártica como forma de inserção como potência regional e defesa da costa brasileira, assim, defendendo seus elos de comunicação, sua fronteira marítima, seus recursos naturais, suas rotas comerciais. Ademais, o país tem como interesse geoestratégico a defesa do ambiente antártico, já que as modificações no meio antártico afetam largamente o clima e território brasileiro. Há ainda a possibilidade de desenvolvimento de ciência e tecnologia, que podem ser futuramente aplicadas internamente, na academia, Forças Armadas, indústria e outros setores. No entanto, o nível de recursos aplicados nas pesquisas antárticas ainda são baixos e inconstantes, o que ocorre também nas pesquisas das demais áreas de ciência e tecnologia no Brasil.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
TEIXEIRA, B.; RAQUEL RIZZI, K. O BRASIL NA ANTÁRTICA: AS PROJEÇÕES GEOESTRATÉGICAS NO CONTINENTE GELADO. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.