INTERDISCIPLINARIDADE E EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS: DESAFIOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL

  • Cleonice Carvalho
  • Jordana Lima de Moraes de Lima
  • Diovana Santos dos Santos Habermann
  • Andre Luis Silva Da Silva
  • Marcio André Rodrigues Martins
  • Caroline Wagner
Rótulo Interdisciplinaridade, Atividades, experimentais, Aprendizagem

Resumo

O presente trabalho emerge de uma proposta da Componente Curricular Abordagens Interdisciplinares no Ensino de Ciências e Matemática, do Mestrado Profissional em Ensino de Ciências, o qual visa contemplar um planejamento didático, abordando experimentos que favoreçam as condições de produção de conhecimento em um viés interdisciplinar. O objetivo desta proposta experimental foi visualizar e mapear estratégias de trabalho interdisciplinar, aplicando-a na educação infantil, sendo que a atividade Fazer um pão constituiu parte das tarefas a serem realizadas. Pensando em uma prática que envolvesse e implicasse os alunos de forma ativa e participativa, elencamos dois experimentos: o fermento e fazendo pão. Foram eles selecionados devido à possibilidade de experimentação em grupos maiores e sua flexibilidade à adaptação em diferentes níveis de ensino. Vislumbramos nesta dinâmica a multiplicidade que se apresenta diante da realização do currículo escolar, preocupando-se não apenas com os objetos do conhecimento, mas com variadas questões que estão implicadas no contexto de sala de aula. Esta proposta foi desenvolvida em uma turma pré-escolar composta por 20 alunos, em idades entre 5 e 6 anos. As atividades tiveram como foco o Ensino de Ciências, numa perspectiva interdisciplinar, desencadeadas por atividades experimentais que, por exemplo, contemplaram conceitos de diferentes áreas, tais como a Matemática (quando tratados os conceitos de proporção, soma, subtração, etc), a História (quando abordado o processo histórico do inicio do consumo do pão pelas civilizações), a Química (quando abordados conceitos de gás carbônico, sendo exalado pelos fungos, gás oxigênio, sendo absorvido, água, em sua fórmula molecular), a Biologia (quando tratados conceitos como fotossíntese, fungos, etc). Ressalta-se que não buscamos mensurar a aprendizagem, mas desafiá-la, e criar condições para uma prática interdisciplinar, desenvolvendo nos alunos seus potenciais de aprendizagem em nível psicológico, o trabalho colaborativo e seu protagonismo de pesquisa. Assim, o aprender se torna um processo permanente, uma atitude constante, um progresso crescente. Com a realização dos experimentos percebemos a curiosidade despertada nos alunos em conhecer a composição dos ingredientes utilizados. Além disso, os alunos levantaram inúmeras hipóteses para a fermentação do pão, crescimento e maciez. Embora não se mensurou questões conceituais, se questionaram sobre os acontecimentos envolvendo a tarefa, protagonizando e contribuindo com suas vivências. Conclui-se que envolver os alunos em tarefas cotidianas, apresentadas como um desafio na experiência, oportuniza o trabalho coletivo, o protagonismo na resolução de problemas, potencializando uma consciência crítica e científica. Por meio de atividades interdisciplinares pode-se verificar que os alunos são capazes de refletir e se apropriar de conhecimentos, através do experimento e do experimentar, de forma flexível e contextualizada.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
CARVALHO, C.; LIMA DE MORAES DE LIMA, J.; SANTOS DOS SANTOS HABERMANN, D.; LUIS SILVA DA SILVA, A.; ANDRÉ RODRIGUES MARTINS, M.; WAGNER, C. INTERDISCIPLINARIDADE E EXPERIMENTAÇÃO EM CIÊNCIAS: DESAFIOS NA EDUCAÇÃO INFANTIL. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.