AVALIAÇÃO ANTIMICROBIANA DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA POR SÍNTESE VERDE

  • Augusto Filho
  • Francieli Guedes Pintos
  • Aline Castro Caurio
  • Rafael Roehrs
  • Elton Luis Gasparotto Denardin
  • Cheila Denise Otonnelli Stopiglia
Rótulo nanopartículas, catalisador, LED, microrganismo

Resumo

As propriedades antimicrobianas de nanopartículas metálicas já eram conhecidas por culturas milenares, tais como, egípcios, romanos e gregos. Nas últimas décadas, a nanociência tem-se consolidado como um área promissora na busca de materiais com características otimizadas em relação a suas contrapartes em escala macroscópica. Nesta empreitada, empregam-se catalisadores diversos, como luz, calor, pressão e som. Para atender a demanda de mitigar a geração de subprodutos e resíduos tóxicos ao meio ambiente, usa-se, por exemplo, extratos vegetais na rota chamada de síntese verde. No presente trabalho, usamos extrato das brácteas da Bougainvillea glabra Choisy e nitrato de prata 1mM (1:4 v/v) e como catalisador Diodos Emissores de Luz (LED), emitindo as cores violeta e vermelho, para avaliarmos o efeitos destas cores (comprimentos de onda) do LED nas propriedades físico-químicas e bioquímicas das nanopartículas de prata (AgNPs) sintetizadas. Como controle empregou-se como catalisador a luz ambiente, e averiguamos a atividade antimicrobiana (screening) destas AgNPs frente a quatro isolados clínicos, E. coli (ATCC 25922), S. aureus (ATCC 29213), Klebsiella pneumoniae Carbapenemase (ATCC 706603), Acinetobacter spp (ATCC BAA 747) segundo protocolo M7-A7 da CLSI (Clinical & Laboratory Standards Institute). Os resultados evidenciaram as AgNPs/LED violeta com tamanho menor e maior atividade antimicrobiana (10,8 µg/mL com todos os microrganismos testados) em relação as demais AgNPs. Contudo, as AgNPs/LED vermelho (43,2 µg/mL com E. coli, e 21,6 µg/mL com os demias microrganismos) e AgNPs/Luz ambiente (21,6 µg/mL com E. coli, e 43,6 µg/mL com os demais microrganismos) apresentaram boa atividade antimicrobiana. Nossos resultados preliminares são promissores, as AgNPs mostraram diferentes características, o que demonstra a influência do comprimento de onda da luz nas suas propriedades físico-químicas (tamanho) e bioquímicas (atividade antimicrobiana). Os Diodos Emissores de Luz foram catalisadores eficientes, além de oportunizarem ao pesquisador, selecionar o comprimento de onda para otimizar e vetorizar as características desejadas das nanopartículas produzidas sendo um dispositivo barato e de fácil aquisição.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
FILHO, A.; GUEDES PINTOS, F.; CASTRO CAURIO, A.; ROEHRS, R.; LUIS GASPAROTTO DENARDIN, E.; DENISE OTONNELLI STOPIGLIA, C. AVALIAÇÃO ANTIMICROBIANA DE NANOPARTÍCULAS DE PRATA POR SÍNTESE VERDE. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.