METODOLOGIAS ATIVAS NAS ESCOLAS MÉDICAS

  • Isabela Bechel
  • Isabela Crestani Bechel
  • Anna Laura Holler Maioli
  • João Felipe Peres Rezer
Rótulo Educação, médica, Metodologias, ativas, Medicina

Resumo

As novas Diretrizes Curriculares Nacionais para o curso de Medicina, publicadas em 2014, preveem uma formação médica integrativa e humanizada. Devido a essa nova demanda, a transição curricular das escolas médicas está em constante debate. Sendo assim, apresentou-se a introdução de metodologias ativas como forma de alcançar o perfil discente e profissional requerido pelas novas diretrizes: protagonista de seu conhecimento e com princípios pautados na prática da cidadania. O curso de medicina da Universidade Federal do Pampa é um exemplo de escola médica que integra metodologias ativas de aprendizagem em seu Projeto Pedagógico, como o Aprendizado Baseado em Problemas e Aprendizado Baseado em Equipes. Com isso, o objetivo deste trabalho é avaliar a produção acadêmica sobre as metodologias ativas na escola médica no Brasil. Dessa forma, realizou-se uma breve revisão bibliográfica com publicações de 2019 e 2020. Os artigos selecionados estavam na língua portuguesa e, após a sua leitura na íntegra, foram classificados em seis categorias de acordo com as temáticas identificadas. As bases de dados pesquisadas foram: Scielo, PubMed e periódicos da Capes. Utilizou-se como descritores: Metodologias ativas, escola médica e ensino. Obteve-se um total de dez artigos. Se enquadraram na categoria de comparação entre as metodologias ativas e tradicionais três artigos, os quais discutiam o aprendizado, a autoeficácia dos discentes e o ensino da disciplina bioética. Abordando o perfil do aluno no contexto de metodologias ativas, analisou-se, em três publicações, a motivação intrínseca, o comportamento de busca por informação acadêmica, além da sua autoeficácia. Dois artigos abordaram as mudanças causadas pelas novas Diretrizes Curriculares Nacionais, um buscando compreender as expectativas dos alunos e o outro, o impacto da transição curricular pela perspectiva do discente. No que se relaciona ao Aprendizado Baseado em Equipes, encontrou-se dois artigos que analisavam tal método como forma avaliativa, e a percepção do aluno sobre ele. Uma publicação foi classificada por analisar o processo de desenvolvimento das metodologias ativas, o Aprendizado Baseado em Problemas especificamente. Finalmente, um artigo aborda a experiência dos docentes com as metodologias ativas. Desse modo, a partir da observação dessa amostra e subsequente categorização, é possível constatar que este é um campo de pesquisa em amplo desenvolvimento. Entretanto, percebeu-se uma abordagem generalista sobre as metodologias ativas, carecendo de especificidade dentre as diferentes práticas da metodologia.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
BECHEL, I.; CRESTANI BECHEL, I.; LAURA HOLLER MAIOLI, A.; FELIPE PERES REZER, J. METODOLOGIAS ATIVAS NAS ESCOLAS MÉDICAS. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.