CARACTERÍSTICAS DAS PARTURIENTES QUE REALIZARAM PRÉ NATAL NA REGIÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SUL ENTRE 2017 E 2018

  • Carolina Kubo
  • Giulia Maria dos Santos Goedert
  • Jéssica Marder
  • Gustavo de Lemos Souza
  • Isadora Figueiredo Bitencourt
  • Cassia Dos Santos Wippel
Rótulo pré-natal, gestação, alto, risco, complicações, gestacionais

Resumo

Pré-Natal pode ser definido como consultas seriadas que visam avaliar o binômio materno-fetal. Em cada consulta é avaliado o estado de saúde da mãe e do feto, a idade gestacional, crescimento uterino e definido plano de cuidado obstétrico continuado. O Ministério da Saúde (MS) recomenda a realização de pelo menos seis consultas para as gestantes sem fatores de risco e o intervalo entre as consultas não deve ultrapassar 8 semanas. Da mesma forma, gestações de alto risco merecem acompanhamento em serviços especializados a fim de prevenir piores desfechos. O trabalho objetivou analisar as características das parturientes atendidas no Hospital Universitário de Santa Maria (HUSM), identificando aspectos relevantes para a melhoria na assistência pré-natal na região central do Rio Grande do Sul, enfatizando a importância do rastreio de complicações na gestação. Realizou-se estudo transversal incluindo todas as pacientes com parto realizado no HUSM, durante janeiro de 2017 a junho de 2018, com aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa do HUSM (CAAE 59366116.5.0000.5346). Os dados foram obtidos a partir de entrevistas autorizadas após preenchimento do termo de consentimento livre e esclarecido com as puérperas durante interação pós-parto, análise de prontuários eletrônicos e revisão das carteiras pré-natal. Informações como antecedentes clínicos e obstétricos, dados do pré-natal e fatos clínicos sobre o parto fizeram parte do protocolo de pesquisa. Nenhuma paciente recusou-se a participar. Realizou-se análise descritiva das variáveis e a associação entre elas foi verificada pelo teste qui-quadrado, com nível de significância de 5% (p valor < 0,05). Foram avaliadas 3156 puérperas, destas, 96,7% realizaram pré-natal, sendo 82,7% completo (≥6 consultas) e apenas 25% classificado com alto risco. Consultaram na atenção primária 69% das puérperas, 9,6% em hospital terciário e 5,5% em clínica privada. Durante a gestação, 77,5% das entrevistadas apresentaram complicações, sendo as mais prevalentes: hipertensão arterial sistêmica (31,1%), anemia (21,9%), diabetes mellitus (16,1%), infecção de trato urinário (16%) e sífilis (3,7%). Quanto às complicações, estiveram presentes em 92,6% das gestantes de alto risco e 73,8% no grupo de risco habitual. A realização do pré-natal adequado é fundamental à evolução da gestação, de forma que diante da triagem de possíveis complicações, pode-se encaminhar as pacientes para melhor acompanhamento em serviços de alto risco, de modo a evitar piores desfechos no grupo de risco habitual. Apesar de a maioria das gestações complicadas ser do grupo de alto risco, o número de desfechos desfavoráveis em gestações de risco habitual mostrou-se elevado, o que revela a necessidade de maior incentivo de adesão ao pré-natal, bem como de intensificação dos serviços primários de atendimento às gestantes, a fim de melhor triar e acolher aquelas que se apresentam com risco elevado.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
KUBO, C.; MARIA DOS SANTOS GOEDERT, G.; MARDER, J.; DE LEMOS SOUZA, G.; FIGUEIREDO BITENCOURT, I.; DOS SANTOS WIPPEL, C. CARACTERÍSTICAS DAS PARTURIENTES QUE REALIZARAM PRÉ NATAL NA REGIÃO CENTRAL DO RIO GRANDE DO SUL ENTRE 2017 E 2018. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.