AUTOMEDICAÇÃO NA DOR LOMBAR: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA

  • Helena Vianna
  • Helena Silveira Vianna
  • Cristina Domingues
  • Anelise Murari
Rótulo Lombalgia, Dor, nas, costas, Automedicação

Resumo

A automedicação é caracterizada pelo uso por conta própria de medicação sem orientação médica ou farmacêutica e, na maioria das vezes, é utilizada para obter alívio imediato de algum sintoma. Essa prática possui riscos que vão desde reações adversas, interações medicamentosas, intoxicações, dependência e até a morte. A dor lombar é uma problema de saúde pública, uma vez que, apresenta prevalência estimada em torno de 70% na população e suas principais causas incluem postura inadequada, falta de exercícios físicos regulares, obesidade, doenças reumáticas, envelhecimento além de poder estar relacionada a fatores emocionais. Com isso, foi elaborado um trabalho a fim de verificar se a automedicação é praticada por indivíduos com dor lombar. Para tanto, foi realizada uma revisão de literatura consultando as bases de dados Biblioteca Virtual em Saúde (BVS) e PubMed utilizando os descritores automedicação, lombalgia, dor lombar e dor nas costas e seus correspondentes em língua inglesa self medication, back low pain e backache. O período de levantamento dos dados foi no mês de agosto de 2020. Foram selecionados apenas artigos publicados nos últimos cinco anos, o que resultou em 103 publicações cujos títulos. Os resumos foram lidos, sendo excluídos os que não tratavam do tema proposto, resultando em quatro artigos. A dor lombar é relatada como um fator incapacitante e que compromete a qualidade de vida. Um estudo transversal com adolescentes identificou a automedicação como solução escolhida por 17,3% dos 539 adolescentes do estudo onde a prevalência de dor lombar foi de 22,4%. Em uma pesquisa exploratória descritiva do uso de diclofenaco de potássio por uma população idosa identificou que 85% dos entrevistados comprou o medicamento sem prescrição e justificou o uso como sendo bom para dores nas pernas e costas, além de acessível. Já em um estudo observacional transversal, com 3580 participantes onde 43,6% identificaram a região lombar como o foco de sua dor e destacou que o uso de analgésicos de venda livre foram utilizados em 38% dos casos. Outro estudo com 165 famílias identificou que 17,8% destas praticam automedicação. De acordo com os artigos estudados a dor lombar pode ser um dos fatores estimulantes à automedicação que pode causar prejuízos à saúde. Portanto, se faz necessária a criação de políticas públicas da prevenção da dor lombar e dos riscos da automedicação. Assim, a atuação do profissional farmacêutico pode prevenir a automedicação, bem como pode diminuir os problemas relacionados aos medicamentos e contribuir para o uso racional de medicamentos.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
VIANNA, H.; SILVEIRA VIANNA, H.; DOMINGUES, C.; MURARI, A. AUTOMEDICAÇÃO NA DOR LOMBAR: UMA REVISÃO BIBLIOGRÁFICA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.