INFLUÊNCIA DA CARBAMILAÇÃO INDUZIDA POR CIANATO DE POTÁSSIO SOBRE A QUANTIFICAÇÃO IMUNOTURBIDIMÉTRICA DE ALBUMINA URINÁRIA

  • Caroline Teixeira
  • Rafael Noal Moresco
Rótulo Albumina, Carbamilação, Imunoturbidimetria, Amostras, urina, Cianato, potássio

Resumo

A albumina, principal proteína plasmática, é um dos biomarcadores mais usados na clínica para avaliação de danos renais. Normalmente, esta proteína é encontrada em baixas concentrações, quando mensuradas em amostras de urina, sendo quantificada nessa matriz biológica por meio de ensaios imunológicos, nos quais ocorre a ligação da proteína com um anticorpo específico. Mudanças conformacionais na molécula da albumina, como a carbamilação, podem afetar esta ligação com o anticorpo e levar a subestimação dos resultados. Logo, o objetivo deste estudo foi investigar os efeitos da carbamilação in vitro, utilizando cianato de potássio (KOCN) como agente carbamilante, nas concentrações de albumina mensuradas por imunoturbidimetria. Inicialmente, preparou-se uma solução de albumina humana 2000 mg/L em tampão PBS 0,1 mol/L pH 7,4. Quatro amostras de urina foram obtidas de indivíduos supostamente saudáveis que realizaram exames de rotina no Hospital Universitário de Santa Maria. As mesmas foram homogeneizadas e centrifugadas, com o sobrenadante destinado para as análises. Soluções de KOCN foram preparadas em tampão PBS 0,1 mol/L pH 7,4 para obtenção das concentrações finais de 100, 200 e 400 mmol/L. A indução da carbamilação in vitro ocorreu pela incubação da solução de albumina, diluída em PBS ou pool de urina para concentração final de 200 mg/L, com a solução de KOCN correspondente. Todas as condições foram testadas em quadruplicata. As amostras foram agitadas em vórtex e armazenadas a 37°C por 48h. Após o período de estocagem, os espécimes foram agitados novamente e as concentrações de albumina foram mensuradas no analisador automatizado de bioquímica clínica, BS380 (Mindray, China), seguindo as instruções do fabricante. Um kit comercial de microalbuminúria imunoturbidimétrico foi utilizado. Os dados foram expressos em percentual como média ± desvio padrão. A influência da carbamilação in vitro sobre as concentrações de albumina foi verificada através de análise de variância (ANOVA) seguido pelo pós-teste de Tukey. Consideraram-se estatisticamente significativos valores de P<0,05. Considerou-se 100% a quantificação de albumina diluída somente em PBS e também somente em urina. A adição de soluções de KOCN promoveu uma diminuição nas concentrações dessa proteína variando de 21,3% a 24,0% (P<0,001). Já utilizando a matriz urinária, essa variação foi de 22,2% a 24,5% (P<0,001). Conclui-se então que a quantificação da albumina por ensaio imunoturbidimétrico foi afetada pela adição de KOCN. Assim, a carbamilação contribuiu para a quantificação de concentrações mais baixas dessa proteína tanto em PBS quanto em urina. No entanto, estudos adicionais são recomendados para avaliar o impacto deste processo sobre os resultados de albumina urinária em diferentes populações.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
TEIXEIRA, C.; NOAL MORESCO, R. INFLUÊNCIA DA CARBAMILAÇÃO INDUZIDA POR CIANATO DE POTÁSSIO SOBRE A QUANTIFICAÇÃO IMUNOTURBIDIMÉTRICA DE ALBUMINA URINÁRIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.