CIÊNCIA REMOTA: A VISÃO DE UM GRUPO DE PESQUISA SOBRE REUNIÕES A DISTÂNCIA

  • Luan Maidana
  • Carolina Fouchy Schons
  • Vinícius Ferreira de Freitas
  • Maílla Máxima da Silva Loureiro
  • Leandro Xavier da Silva
  • Leonardo Magno Rambo
Rótulo Ciência, Ensino, Remoto, Laboratório

Resumo

Com o início da pandemia do novo Coronavírus (Covid-19) a maioria das formas de aprendizagem tradicionais foram interrompidas para evitar aglomerações e diminuir a velocidade de contágio. Com isso, novas estratégias de ensino e pesquisa foram desenvolvidas, a fim de que não se perdesse um ano de construção de conhecimento, e a principal forma de dar continuidade aos processos de ensino-aprendizagem foram as reuniões remotas. Sendo assim, o objetivo deste trabalho é relatar as percepções de alunos de um grupo de pesquisa da UNIPAMPA/Campus Uruguaiana sobre as reuniões online do laboratório. Nesse estudo relatamos as experiências dos participantes do Grupo de Pesquisa em Bioquímica e Fisiologia do Exercício (GPBioFEx), que conta com o professor coordenador do grupo, seis discentes de graduação e sete de pós-graduação, sendo cinco em nível mestrado e dois de doutorado, na Universidade Federal do Pampa, campus Uruguaiana. As reuniões remotas iniciaram no mês de maio, utilizando a ferramenta Google Meet. Inicialmente os mestrandos do grupo ministraram aulas de bioquímica básica para os demais e, após essas aulas, os alunos de iniciação científica apresentavam, de forma breve (5-10 minutos), artigos relacionados com as linhas de pesquisa do laboratório. Além disso, realizou-se encontros com pesquisadores de outras instituições nacionais e internacionais, nos quais o grupo teve a oportunidade de dialogar sobre questões que envolvem desde a formação acadêmica até questões científicas específicas. O presente estudo tem caráter descritivo/qualitativo, no qual os participantes responderam um questionário composto por 9 questões dicotômicas (sim ou não) e uma questão aberta, enviado aos membros do grupo via aplicativo WhatsApp. Responderam ao questionário todos os membros do grupo, e foi evidenciado que o novo formato de reuniões é positivo, para 100% dos entrevistados, apenas no contexto de pandemia, pois a maioria afirma não ter o mesmo rendimento nas reuniões remotas, e também acredita que os encontros presenciais não serão substituídos futuramente. Ainda assim, 50% do grupo consegue ter um bom aproveitamento das reuniões e dizem não ter problemas com o uso de novas tecnologias durante os encontros, mesmo que 90% não teve qualquer treinamento prévio para a utilização das plataformas digitais. Entretanto, 80% afirmou ter tido problemas relacionados à qualidade da internet, como a queda momentânea do acesso, por exemplo. Além dos dados citados, alguns participantes da pesquisa também relataram perceber as reuniões com positividade mesmo que sejam desafiadoras, ou por perder o foco com algum fator externo à reunião, mesmo que os encontros sejam úteis para que as atividades do grupo não sejam descontinuadas. Dessarte, é nítido as dificuldades enfrentadas pelo grupo durante as reuniões, mesmo que com um bom aproveitamento, o ambiente virtual apresenta desafios cotidianos que devem ser enfrentados para dar continuidade no processo de produção de conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.
Publicado
2020-11-20
Como Citar
MAIDANA, L.; FOUCHY SCHONS, C.; FERREIRA DE FREITAS, V.; MÁXIMA DA SILVA LOUREIRO, M.; XAVIER DA SILVA, L.; MAGNO RAMBO, L. CIÊNCIA REMOTA: A VISÃO DE UM GRUPO DE PESQUISA SOBRE REUNIÕES A DISTÂNCIA. Anais do Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão, v. 12, n. 2, 20 nov. 2020.